Alguém me dá um chute?

4 comentários:

Angie em 25 de julho de 2011 16:34

Identifiquei-me bastante com o teu texto. Dizem que a gente não deve procurar sentindo em tudo, caso contrário enlouquecemos, mas eu, particularmente, não consigo aceitar essa coisa de "deixar a vida me levar" sem razão ou propósito algum; e nem você, pelo que vejo. Sei lá, se eu descobrir o que estamos fazendo de errado eu volto aqui e te conto, rs.

Yama em 25 de julho de 2011 16:37

Não gosto dessa sensação das coisas acontecerem ao acaso, de não guiar minha própria vida. Sei que algumas coisas, não temos como controlar, mas sempre que podemos, estou lá. rs rs rs
Se descobrir, volta sim e me conte, antes que eu pire de vez. rs rs rs

Jucifer em 30 de julho de 2011 19:00

Só um chute? não estas precisando de mais nada?
acho que temos algo em comum
sou otima em não concluir as coisas
sei lá
as vezes começo a fazer algo, "entro" em algo, mas não sei parece que a impolgação ou minha visão em relação a "x" ou "y" acabam do nada
é sei sou sem sal kkkkkkkk
como diz meu velho pai as variaveis mudam com os ventos, mudamos a direção procurando "sensações" "emoções" algo que nos complete...sendo assim; sou uma variavel constante q muda de direção, com qualquer "timido" vento... agora qual meu proposito? ai ferro ...

tu anda se dando bem com as palavras gostei de ver coisinha!

Yama em 30 de julho de 2011 19:04

Variáveis, variáveis e variáveis. Quando penso em algo constante, de repente, o vento levou. E assim caminho, nessa longa estrada que não sei onde terminará.
Acho que estou com alguns parafusos a menos ou preciso realmente ser acordado. rs rs rs
Beijão

Postar um comentário