Depois de muito tempo, saí.

2 comentários:

Juliana Gonçalves. em 4 de setembro de 2012 00:14

HAHAHAHA Lembrei da luta que eu faço para sair, da briga que eu faço para não ir e de como meus amigos me convencem, de um jeito SUPER gentil.

Mas pelo menos o barzinho tem cadeiras e mesas, sempre tem uma amiga mais "chata” do que eu; a diversão é conversar sobre o nosso pé dolorido, o sono e sobre como nós nos arrependemos de sair de casa ás 23hhrs sabendo que iríamos voltar no outro dia.
Ainda com um bônus, de se irritar com metrossexuais.

Mas até que algumas vezes, algo de interessante acontece. Algo que pelo menos compense a dor no corpo e a vontade de dormir.
Além de sempre estar acompanhada de pessoas maravilhosas.

(E sobre os orientais, sim, vocês não têm cara de bandido, malvado ou metrossexual. Na realidade, vocês têm cara de bonzinho, de serenos e super, mega dóceis. HAHAHA)

Yama em 4 de setembro de 2012 07:11

Desde minha adolescência é muito difícil conseguir sair. Nunca gostei de lugares cheio de pessoas, filas, etc. Então, depois de velho, essa situação apenas piorou um pouquinho. rs rs rs

Claro, de vez em nunca, até sinto vontade de ir a algum lugar, mas gosto de coisas mais calmas e tranquilas. Bares com bandas ao vivo até me instigam, mas a super lotação é algo que realmente me desagrada.

Não reclamarei dessa última saída, foi bacana, vi minha amiga cantar, coisa que espero há muito e conheci a irmã dela, que na outra ocasião não consegui. Enquanto era possível conversar, foi bem legal. rs rs rs

Ah, esse lance do oriental não parecer bandido é meio relativo. rs rs rs Conheci um que era marginal na minha adolescência, apesar do cara ser bem legal. rs rs rs

Beijão.

Postar um comentário