Desespero

Desespero.As palavras me fogem à cabeça, diversas ideias vagam pela minha mente mas não consigo organizá-las a ponto de conseguir colocar aqui algumas coisas que sinto neste momento.
Angústia não cabe, revolta já passou, nervoso já foi ultrapassado, tristeza não tem lugar mas sobrou o desespero, aquele que vem quando menos esperamos e que só serve para atrapalhar. Desespero porque não sei mais o que quero da vida, o que gostaria de fazer no futuro incerto que sonda nossas vidas.
Todos tentamos, alguns da melhor forma possível, outros da pior. Corremos, corremos e não chegamos a lugar algum. Visualizamos mas não enxergamos. O mundo está aí mas ninguém consegue alcançá-lo, não fazemos as coisas certas para isso.
Todos reclamam, alguns mais, outros menos, mas reclamam. Palavras que não são ditas ficam perdidas vagando pelos confins do espaço, as vezes palavras necessárias, muitas desnecessárias.
Bacana é o cego, que enxerga muito mais que nós, que enxerga nas palavras cuspidas, diversos sentimentos que estão ocultos para a grande maioria dos que enxergam. A desordem do dia, da semana, do mês, do ano, está se tornando um caos. Talvez esse seja o real motivo que me faça rir desesperadamente quando estou em família, seja por não enxergar, seja por não ouvir, seja por não sentir. Palavras são apenas palavras, atitudes são apenas atitudes, o que nos resta? Chorar? Não, não seria muito útil nesse momento, sorrir também já não ajuda tanto. Tenho pena de todos nós e me incluo nesse "nós", afinal de contas o fim está próximo, seja do ano ou da vida, mas sinto que o fim está bem próximo.
Cada um com uma perspectiva, cada um com uma noção do que será o fim, mas todos navegando ou vagando para o mesmo fim. Tal qual "Leonidas", rei de Esparta, lutamos uma guerra perdida, uma guerra sem um final feliz, talvez alguns enxerguem da mesma forma, talvez outros enxerguem algo um pouco mais ofuscado. No final das contas, todos os dias são os mesmos, todas as horas são as mesmas, podemos declarar que também os minutos, segundos e milésimos de segundos. O futuro incerto mais que certo está próximo, o que iremos fazer?

2 comentários:

  1. Poxa, gostei muito!
    "Corremos, corremos e não chegamos a lugar algum"

    Exatamente assim que me sinto hoje, como se toda correria fosse pra lugar nenhum.

    Parabéns pelo texto, muito legal mesmo!

    ResponderExcluir
  2. É, um pouco complexo o dia a dia, na realidade, tem horas que preferia parar de respirar! rs rs rs
    Obrigado pelo parabéns!

    ResponderExcluir