Post de vídeos.

YouTube.

Eu não acho muito legal esse lance de ter um post com uma imagem ou link para um outro site, o que vocês acham? Mas é uma forma de poder compartilhar coisas que acho bacana, principalmente no YouTube, mas que não permitem a exibição em outro site.

Escrever?

Escrevendo.

E quando você força amizade e tenta escrever sobre um determinado tema sobre o qual não está nem um pouco a fim? O que fazer? Eu penso seriamente em me matar nesses momentos. Já não sou bom escritor, não sou criativo e ainda tento me forçar a escrever sobre uma determinada coisa? Aí fode!

Tenho diversas fagulhas sobre diversas ideias, mas não consigo ter um insight para um texto genial a partir de uma única ideia. Estou me esforçando para escrever algo diferente, algo que posso chamar de roteiro, talvez seja por essa razão que está tão complexo conseguir escrever.

Marc Maron: Thinky Pain.

Marc Maron

Hoje estreia no Netflix Brasil o especial "Thinky Pain" de Marc Maron, só fiquei sabendo graças ao blog "Sobre Comédia".

O término.

Adeus.

Enquanto ela chorava, ele ficou ali, sentado ao lado dela esperando que ela retomasse a conversa. Aguardou por diversos instantes até que ela conseguiu parar de soluçar. Ele tentou tocar novamente no assunto, mas assim que o fazia, ela voltava a chorar. Decidiu então ir ao banheiro, jogar uma água na cara e dar um tempo a ela.

Ela ficou ali, chorando e chorando, não parava nem mesmo para respirar. Soluçava e voltava a chorar, não conseguia conter o choro de maneira alguma. Ele disse que sairia, que voltaria mais tarde para conversarem, foi o único momento em que ela conseguiu dizer algo e pediu que ficasse, que precisavam resolver aquilo.

Para sempre?

Para sempre.

"...o para sempre, sempre acaba..."

Ah, que coisa linda é o amor, não é? Depende. De quê? Ah, diversas coisas. Mas, façamos uma pequena análise, todos tem aquele amigo ou amiga que a cada semana está com uma pessoa diferente e chama de "amor eterno" ou "minha vida", entre outras diversas coisas melosas. E por que fazem isso? Desespero?

Não sei dizer se é desespero, medo ou sei lá o quê. Só posso dizer que acho isso um tanto quanto assustador, porque, como é possível achar que encontrou o amor da sua vida depois de ficar ou trepar com a pessoa durante uma ou duas semanas? Amor a primeira vista? Fala sério.

Sinto falta...

Vida.

Sinto falta de respirar todo o ar puro no meio de uma chácara perdida por aí.
Sinto falta de ver o nascer do sol todas as manhãs.
Sinto falta de sentir a brisa leve batendo em meu rosto.

Em uma cafeteria qualquer.

Café.

Todos os dias tomo café em um lugar de que gosto muito e todos os dias a vejo sentar na mesma mesa e fazer o mesmo pedido. Enquanto respondo e-mails de clientes e tento tomar um delicioso café, você apenas contempla as garçonetes andando de um lado para o outro. Fiquei curioso com o que se passa com você. Por que ficar apenas olhando as garçonetes todos os dias? Nunca está com uma revista ou com alguém.

Tento me concentrar no que preciso fazer, terminar de responder os e-mail, mas nunca consigo quando estou nesse café e é por causa de você. Sua beleza incomum, simples, mas completamente incomum me deixa a beira da loucura. Não direi que não te cobiço desde a primeira que te vi, apenas posso dizer que depois de muito tempo me senti atraído por alguém.

Férias permanentes.

Férias permanentes.

Mudança de planos, novamente, mas dessa vez foi um pouco diferente. Pela primeira vez na vida, eu pedi demissão. Sim, por mais incrível que possa parecer, eu, o cara mais "medroso" nesse quesito saí do meu último trampo.

Estou agora em casa, tenho um trabalho pago para fazer, mas não tenho mais renda fixa. Algo que me deixaria completamente perdido, transtornado ou com medo, mas estou bem mais tranquilo do que imaginei. Desde o dia 25/09 não tenho mais emprego, não preciso mais levantar cedo, mas meu corpo ainda não compreendeu isso. Não, mentira, na verdade, estou levantando cedo porque não gosto de perder o dia dormindo.