Mudar nome de usuário no Windows 8 Single Language.


Se você está com o Windows 8 Single Language e precisa mudar o nome do usuário, sabe que pode acessar as contas de usuário e modificá-lo. Alguns não sabem, mas isso muda apenas o nome de "login", há um outro local onde é necessário modificar para que alguns programas interpretem seu nome corretamente.

O retorno.

Workaholic.

Tempo de lutas, incertezas, medos, o que está por vir? Não sei ao certo, não consigo nem mesmo premeditar o dia de amanhã, não que isso seja possível de certo ponto de vista. Não consigo mais planejar nada, nem mesmo meu almoço. Mesmo assim não me sinto infeliz, muito pelo contrário.

Networks.


Aderi ao lance de entrar em networks no YouTube e resolvi tentar na Paramaker. Aparentemente fui aceito e achei interessante, porque na primeira vez não rolou. Meu canal não mudou nada, minhas views não aumentaram e muito menos o número de inscritos chegou a uma marca considerável. Em termos de conteúdo, nada mudará, já que sempre tentei seguir corretamente a lei de direitos autorais, etc. Em termos de ganho, também, porque se o número de views não aumenta, os ganhos seguem o mesmo fluxo. - Ah, legal Yama, então porque está contando isso? Só porque queria compartilhar com vocês.

Carnaval? Férias? Morreu?


- Tirou férias?
- Não.
- Parou por causa do carnaval?
- Não.
- Então o que aconteceu nessa porra?
- Não escrevi, oras.

Não desisti, não estou de mau-humor, não estou deprimido ou sem criatividade, apenas dei uma semana para fazer outras coisas além de escrever. Na realidade, estou desenvolvendo um sistema para uso pessoal e quero terminar logo. Como não consigo pensar em outra coisa a não ser isso e trabalho, que em suma é tudo trabalho, não consigo pensar em escrever.

Tentarei escrever algo essa semana, tenho até um post em mente mas não sei se deveria escrever, mas vamos tentar escrever algo para essa semana nem que seja apenas no "Na sua estante".

Visual Basic 6.0 - A importância do array de controles.


Quem nunca recebeu essa mensagem maldita quando foi adicionar mais um componente em um form no VB6? Bom, eu não lembro de ter passado por isso, mas na primeira vez que vi essa mensagem, não pensei em ir atrás para tentar burlar tal situação.

Ato III - O início.


Você não se importa mais, eu não me importo, o que sobrou para nós? O fim? O que é exatamente isso? Como deixamos tudo que era bom tornar-se praticamente uma guerra sem razão? Não deveria deixar-me levar novamente pelos encantos daquilo que é considerado amor?

Um ano, sim, hoje foi o dia em que nos beijamos pela primeira vez. Não sei por que não lembrou, afinal de contas, normalmente as mulheres nunca esquecem essas coisas. Talvez sejam os diversos afazeres do dia a dia ou apenas um pequeno lapso de memória. Ou será que algo a incomoda tanto em nosso relacionamento que ainda não percebi?

Com quem falo?


Não sei com quem converso por aqui, conheço alguns rostos familiares, aliás, nomes, mas no geral não conheço praticamente ninguém que lê. Isso ocorre principalmente pela falta de comentários neste blog, são pouquíssimas pessoas que comentam algo. Quando vejo comentários de novos nomes e rostos, normalmente são em posts mais antigos que ajudaram alguém. Noto que muitos dos posts bobos sobre como configurar algo no Windows ou simplesmente alguma dica básica de programação possui pessoas assim.

Office 365.


Depois que comecei a utilizar software original, claro que não todos, gosto de atualizar a versão para uma mais recente. Desde o lançamento do Office 2013 que espero uma oportunidade para adquirir mas também fiquei muito curioso com o 365.

Bom, decidi experimentar já que temos o primeiro mês gratuito. Imaginei um Office estilo os do Google Drive, tudo rodando apenas no browser, o que não é muito do meu agrado. Li alguns artigos sobre o Office e parecia alguns comentavam que ele rodava apenas dessa maneira. Para minha surpresa, não é bem assim que as coisas funcionam, é, deveria ter visto sobre ele no próprio site da Microsoft.

Marjorie Estiano - Versos Mudos

A criatividade para terminar meu último conto de três atos me deixou na mão, infelizmente somente na semana que vem. Mas para não deixar você sem nada, fica aqui uma música que me traz boas recordações.

Ato II - O jantar.

Antes da meia-noite.

Achei que nunca mais me apaixonaria, que talvez fosse melhor assim pois o sofrimento mútuo nunca é algo muito agradável. Mas seu sorriso me encantou e sua pequena faz sentir-me pai. Seus encantos conseguiram me fazer passar boas horas em frente a tv, sentado com sua filha e sua gata assistindo desenhos que jamais imaginaria. Ah, como tudo isso seria bom se o fim não fosse tão certo.

Jantar às 21h30, cheguei mais cedo como sempre fiz em todos os compromissos da vida, fiquei esperando os 30 minutos que faltavam antes de te avisar que estava ali. Acendi um cigarro enquanto ouvia um pouco de blues, contemplava a bela noite iluminada por uma lua cheia que deixava o ar com um certo tom de romantismo.

Ato I - O despertar.


Eu queria falar de amor, mas você tirou isso de mim. Já nem sei mais pronunciar essa palavra, há muito se extinguiu de meu vocabulário. Talvez seja por um curto período, mas não acredito nisso, essa era minha última chance de tentar descobrir o grande significado dessa palavra.

Tarde chuvosa, você esperava pelo ônibus das 17h45 enquanto eu estava quase chegando ao ponto. Sentei ao seu lado, você olhou pra mim com o canto do olho, provavelmente para ver se não era nenhum bandido ou algo do gênero. Não retribuí seu olhar, pois nunca gostei de puxar conversa com pessoas desconhecidas, mesmo sua beleza chamando mais atenção que um pote de ouro. Ficamos ali, em um silêncio profundo, quase não passavam carros, então o silêncio era matador.

Ajude um pobre coitado e ele continuará pobre e coitado.

A dama e o vagabundo.

Muitas pessoas precisam de ajuda, seja financeira, seja uma mão, seja um pequeno favor... Sim, um dia todos precisaram ou precisarão pedir ajuda para algum amigo, parente, irmã(o), pais, mas a grande questão é saber quando se deve ou não ajudar alguém.

Para mães não existe essa última parte, se o filho matar, roubar, estuprar, ela sempre protegerá, existem algumas mães que são sensatas mas não são muitas. Um dia, normalmente no início da vida financeira, seu filho passará por alguma dificuldade. É mais que normal uma mãe ajudar seu filho, afinal de contas, é seu filho. Todas querem vê-lo bem, não querem ver passar perrengue ou apertos que são muitas vezes um infortúnios da vida.

Pessoas sem bom senso.

Tem cérebro ali?

Pessoas, cada uma tem seu limite, cada uma sabe o que é capaz de suportar, mas e quando nada é suportável por alguém? Compreendo certas atitudes vindas de adolescentes, mas chega uma certa idade que muita coisa não deveria ser comportada.

Uma pessoa que não sabe lidar com chefia, não sabe engolir sapo, pelo menos alguns, não consegue parar em qualquer emprego. Claro que existem chefes e chefes mas muitos tem bom senso e reclamam apenas de situações realmente necessárias. Ah, você não acredita nisso ou não sabe compreender que certas cobranças são realmente necessárias?

De cama em cama.

Sexo vazio.

O sexo vazio já não cumpre o seu papel. Os beijos em vão já não me excitam. Novas faces, novos sorrisos, novas línguas que nada dizem. Como vim parar neste mundo de faz de conta? Como cheguei a um nível tão baixo, talvez imoral, banal, não sei definir exatamente. O vazio me consome, a falta de amor está me deixando doente?

Desde que parti carrego um vazio enorme, não tento preenchê-lo com álcool como muitos, apenas atravesso o mundo pulando de cama em cama sem a intenção de me amarrar novamente. Aquelas amarras que me prenderam por longos oito anos e meio, desculpe, não foi bem uma reclamação, apenas frise um detalhe.

Pessoas.

Vai ser ruim assim na casa do caralho!

Algumas pessoas entram na sua vida por acaso, se não fosse por aquele instante, talvez nem teria conhecido alguém que poderia mudar as coisas. A maioria das amizades, pelo menos as que se mantém por um bom tempo, normalmente agregam algo a sua vida. Aprendemos muito com o convívio, seja diário ou apenas em finais de semana, mas as pessoas que nos cercam normalmente nos ensinam muitas coisas ou nos fazem desenvolver certos sentimentos que talvez não fôssemos capazes de sentir sozinhos.