Onde está você?

Traição.

Ela corre perdida na noite, sem destino, apenas tentando encontrá-lo. Um pequeno indício de onde ele está seria algo extremamente aliviador. Procura por todos os lugares comuns que frequentam, liga para todos os amigos e nada. Então decidi ligar para a última pessoa com quem gostaria de falar, com muito esforço liga para mãe dele e no décimo toque ela atende.

- Alô? O que foi dessa vez?
- Ele sumiu novamente e não consigo encontrá-lo.
- Já procurou em todos os lugares possíveis?
- Sim. Você sabe que não ligaria caso não tivesse feito.
- Não precisa ser tão dura.
- Me desculpe, é que estou meio desesperada.
- Calma, uma hora ele aparecerá.

Sobre o livro interrompido, "O anjo de Gabriel".

O anjo de Gabriel.
Fiquei extremamente feliz pelos comentários feitos por uma amiga em relação ao "livro" que estava escrevendo e acabei abandonando. Sim, não ia mais comentar sobre isso mas achei que seria interessante, mentira, é porque fiquei muito feliz com os elogios dela.

Mas desisti mesmo deste projeto, tive diversas ideias mas o primeiro capítulo não ficou do meu agrado e como fiquei ansioso acabei lançando-o assim. Estou reformulando algumas ideias, estudando outras e pretendo um dia escrever novamente, mas esse título será deixado de lado e seus personagens talvez sejam reaproveitados.

Acho que o "enredo" que comecei a descrever mentalmente não comportava o que estava por vir, queria algo diferente para esse início e caí na besteira de misturar todas as ideias. Espero planejar melhor e farei diferente desta vez; primeiramente escreverei diversos capítulos para depois postá-los aqui para vocês.

Espero que aqueles que acompanhavam não tenham interpretado como um simples abandono, pelas trapalhadas que cometi, desanimei mesmo em prosseguir com essa que seria minha primeira "obra fictícia".

Recursos humanos?

Debi e Lóide.


O melhor funcionário da empresa nunca está quando você precisa dele. Como ele trabalha até mais tarde, pode chegar a hora que quiser. Acharia justo se ninguém precisasse dele no horário que devia cumprir. Ele também é o exemplo de conhecimento de todas as coisas que são mantidas por ele. É tanto conhecimento mas tanto que acho que acaba esquecendo de tudo e muitas vezes não sabe o que fazer. Consegue se enrolar em qualquer tarefa, até mesmo para trocar o rolo de papel higiênico em um banheiro que não utiliza esse recurso.

Se algo precisa ser feito na segunda-feira de manhã, no primeiro horário do dia, pode contar com ele que até às 11h ele estará disponível para cumprir com sua obrigação. Melhor ainda é avisá-lo sobre uma visita que fará na sexta, faça isso na segunda-feira, mas espere ele chegar, sentado. Avise-o e tenha em mente que ele não lembrará de pedir o dinheiro da condução, lembre-o diversas vezes durante a semana e quando chegar quinta-feira, depois do pessoal do financeiro ter partido, ele lembrará que precisa.

Mas ele é dotado de diversas qualidades excelentes, como solucionar problemas simples em um prazo "ninja". Se você passar um problema que levará uma hora para ser concluído, multiplique por dez, divida por 5, eleve ao cubo e some seiscentas e sessenta e seis horas a mais para deixar o diabo feliz. Você pode dar a solução para apenas ser executada por ele e poderá diminuir duas horas do total. E aí, melhorou? Conhece algum funcionário mais exemplar?

Outra coisa super bacana nessa excelente pessoa é ensinar qualquer coisa. Claro, você precisa ser o melhor professor do mundo e explicar apenas dezesseis vezes e pedir para anotar. Terá certeza do seu aprendizado quando perceber que ele executou todas as linhas de comando incorretamente, mesmo tendo suas anotações. E quando questioná-lo sobre elas, ouvirá a resposta de que esqueceu de consultá-las, porque é o que todos devemos fazer.

Com meus pequenos neurônios, tento incansavelmente compreender quais tipos de procedimentos devem ser tomados para mudarmos esse quadro? Chego a conclusão que nem mesmo a morte resolveria um caso como esse. Todos concordariam com uma possível demissão mas outras pessoas diriam que seria impossível encontrar alguém capacitado para cumprir com seu papel. Sim, nessa hipótese de não encontrarmos outra pessoa como essa, acredito seriamente nisso, apesar que existem muitos idiotas no mundo. Mas ainda tenho fé e esperança, menti na primeira, que um dia as coisas melhorarão. Se isso é sério? Sim, por mais incrível que possa parecer, isso é muito sério. Só será uma pena eu não poder esperar para ver isso acontecer.

Sem assunto? Fale sobre o seu dia.

iPad.

Vamos finalizar o dia sem post? Sem nenhum post? Sério mesmo? Ah, de última hora lembrei que ainda não havia postado nada hoje e como fiz um acordo com o Yama, soltaria pelo menos um post por dia que fosse com qualquer merda. Calma, não escreverei qualquer merda, pelo menos espero.

Hoje foi um daqueles dias que resolvi fazer tudo de uma vez. Comecei o dia formatando um notebook enquanto jogava e pensava em um possível post, entenderam por que não saiu mais cedo. A parte ruim do dia é que esqueci de ir na minha cunhada e não brinquei com meu sobrinho como havia prometido ontem pra ele, ponto negativo. Houve outra coisa ruim, tive que formatar esse notebook duas vezes, uma porque instalei a versão errada e a outra porque consegui esquecer ou errar a senha que coloquei, coisa jamais vista ou imaginada em toda minha vida.

Coração de pedra?

Now what?

Queria que a paixão e o amor não existissem, somente até certo ponto, amor pela família devia existir sempre. Mas pensando bem é bom se apaixonar, principalmente porque isso cria uma casca grossa, como diria uma querida "amiga" (não pessoal ainda), cria uma armadura para nos proteger dos males que habitam o planeta dos sentimentos.

Já me apaixonei dezenas de vezes, umas foram boas, outras ruins, como acontece na vida de qualquer pessoa. As "decepções" me tornaram uma pessoa mais dura, não que já não fosse tão duro, mas praticamente transformou o coração em algo parecido com uma pedra. Não direi que tenho todo o coração petrificado, pois ainda consigo sentir um pouco de compaixão, sinto amor pela família, de vez em nunca bate uma certa "solidão" e carência, eu acho. Se não fosse pelas paixões que passei talvez ainda tivesse aquele coração gelatinoso que se magoava com qualquer palavra um pouco mais grosseira ou o partir de alguma paixão verdadeira.

Entregar ou não as soluções?

Cadeira vazia.

Um belo dia você encontra uma requisição para uma pequena correção rotineira, algo que deixou para ser feito sob demanda pois nem todos atualizam o sistema no mesmo tempo, então, a cada cliente onde era encontrado o problema, fazíamos a implementação nova. Essa requisição foi aberta no dia 31/10/2011, alguns dias depois, exatamente no dia 03/11/2011, fiz a pequena implementação. Esse é o tipo de implementação que nem exige grandes testes, basta abrir o sistema para comprovar se o problema foi ou não sanado.

Escreva menos.

John Nash.

Pensei na preguiça das pessoas, o que é um hábito horrível, e me questionei sobre as coisas que escrevo. Na realidade me questionei sobre o tamanho dos posts que crio. No início deste blog, quando praticamente não tinha noção do que estava fazendo, escrevia posts curtos sobre o cotidiano ou coisas "bobas". É, tive que reler diversas coisas que escrevi para lembrar disso. Cheguei a criar pequenos posts com 3 ou 4 linhas, coisa meio absurda pra mim hoje em dia, mas mesmo assim eram poucas as pessoas que liam, talvez porque estava no começo e não divulgava este blog.

A magia está presente.

Mágica.

A inteligência das pessoas nunca pode ser subestimada, principalmente daquelas que estão ao seu redor. Porque, pela teoria, você "escolhe" os melhores para caminharem a teu lado. É, isso se aplica na vida, talvez não seja bem assim quando falamos de trabalho ou estou enganado? Às vezes tento crer que estou enganado, que realmente busco um mundo inalcançável, um simples delírio de uma mente perturbada pelo desejo insano de ter ótimos profissionais me rodeando e evitando que minha paciência se esgote. Oh, utopia que me persegue durante anos, que me fez perder noites e noites pensando nos porquês das coisas acontecerem da maneira que me são apresentadas.

Novamente, um pouco sobre sentimentos.

P.S. I love you.

Sentimentos tomaram conta de minha mente, mas não de uma forma boa, talvez apenas tenham vindo para roubar palavras e ideias. Aliás, acho que sentimento demais serve somente para isso mesmo, para roubar nosso foco, roubar nossas ideias, deixar nossa mente atordoada a ponto de não conseguirmos fazer quase nada. Eles vem para nos tirar o ponto de equilíbrio, arrancar toda lógica e razão para nos mostrar o quê? Mostrar que o céu pode ser mais azul que o normal? Que um sorriso pode tirar toda fúria de sua alma?

A graça da desgraça.

Sarah Silverman.

Estava pensando, muito pouco, mas tentei muito analisar os motivos que fazem meus vídeos tirarem risadas de diversas pessoas. Mas só parei pra pensar nisso porque não faço vídeo nessa intenção e mesmo assim, algumas pessoas, dizem que deram muitas risadas com o vídeo. Me sinto um tanto quanto idiota ao ler isso mas ao mesmo tento imaginar o que os levam a isso.

Tentei diversas vezes escrever para realmente tirar risadas das pessoas mas nunca consigo achar um texto meu engraçado, acho básico, praticamente sem graça. Lembrei dos bons tempos, quando uma de minhas cunhadas lia meus textos sobre as reclamações do trabalho, e ela sempre dizia dar muitas risadas ao ler meus textos. Mas ela sempre frisou em um detalhe importante que era me imaginar falando o texto. Não foi por isso que comecei a fazer vídeos mas me despertou diversas ideias de como fazê-los. E quem disse que é fácil ser natural e falar como se estivesse conversando quando se fala apenas para uma câmera?

House M.D. 3x23 "The jerk"


E na terra sem lei...

Inception.

Sempre fui contra esse lance do controle de horário para trabalho, principalmente para profissões que exigem um potencial intelectual, porque o braçal sempre podemos nos esforçar quando não estamos muito bem. Agora, quando utilizamos o intelecto e o mesmo não está tão bem, há como forçá-lo a trabalhar?

Antigamente, quando não tinha noção do que era trabalhar com o cérebro, sempre dizia que o trabalho intelectual não cansava. Fazia graça com pessoas que trabalhavam sentadas em uma mesa de escritório, apenas utilizando o cérebro, dizendo que não havia motivos para reclamarem de algum cansaço. Quanto ingressei para área de TI mudei meus conceitos em relação à isso, descobri que o corpo não sobrevive sem a mente. Aprendi, talvez da pior forma possível, que quando a mente está exausta, não exista corpo que aguente qualquer coisa.