Valorize o seu amor

Amor.Todos sabemos o quanto é difícil mantermos um relacionamento durante muitos anos. Sabemos também que ninguém se relaciona com outra pessoa para ficar sozinha ou fazer tudo que a vida oferece da mesma maneira.
É como já comentei com alguns amigos: "Se for para namorar e ficar sozinho, fique sozinho, dá menos despesas.", sei que muitos acharão um tanto quanto extremista minha frase, mas alguém discorda disso?
Pare pra pensar, você encontra alguém super bacana, gosta dos todos os trejeitos dessa pessoa, realmente se identifica e resolve dar uma chance, quem sabe o coração não transforma uma pequena paixão em amor. Depois de algum tempo, percebe que seu sentimento em relação à essa mesma pessoa virou amor e de repente percebe que essa pessoa mudou totalmente. Tudo que ela fazia por você, agora nem mesmo implorando acontece. Te busca na saída do colégio, faculdade ou qualquer outra coisa, é algo que se torna raro. Aquela saidinha para o cinema ou para uma lanchonete qualquer, não faz mais parte da rotina do final de semana, virou algo praticamente exclusivo de datas comemorativas. As idas ao motel praticamente ocorrem somente no aniversário de namoro, casamento ou sei lá o que. Flores então, servem apenas para enfeitar o jardim ou mesa dos outros. Todo aquele tempo disponível que essa pessoa tinha para você, sem nem mesmo mudar sua rotina, tornou-se mais escasso que água no deserto. Como explicar todos esses fenômenos?

Vlog 0108 - Eu não pedi pra nascer.

Quanto custa um tormento?

Cuidar para que?Não sou o tipo apaixonado por carros e motos, gosto muito de uma moto, tenho uma, mas não cuido de maneira doentia como muitos mas preservo porque é um bem que penei muito para conquistar. Afinal de contas, não é da noite para o dia que resolvemos adquirir um bem de tamanho valor e por isso tomamos certos cuidado tanto para preservá-lo como para preservarmos nossa vida.
Não sou o tipo que realmente lava a moto todo final de semana, não sou o típico homem doente pela sua "máquina", mas dava toda manutenção necessária. Não sou o tipo descuidado no trânsito e muito menos abusado, conheço bem meus limites e tento respeitá-los ao máximo, nunca cai por escorregar em óleo ou areia e as duas vezes que dei uma leve batida, uma foi um descuido de segundos e o outro foi porque pararam em via principal, mas nenhum deles foram acidentes graves, tanto que os prejuízos foram irrisórios, tirando o preço abusivo de algumas peças.
Não sou o tipo corredor, mais conhecido e difundido como piloto, que acha que qualquer rua ou avenida um pouco mais "lisa" serve para torcemos o cabo e chegarmos a 140km/h, muito pelo contrário, na cidade, em raras ocasiões atinjo os 70km/h, ando sempre no limite, nunca abuso dos corredores, praticamente não os frequento e somente em determinados horários furo o farol vermelho por questões de segurança mas mesmo assim sempre olhando muito bem antes de atravessar um cruzamento.
Minha moto é original, nenhuma peça é paralela, nunca levei a um mecânico meia boca, sempre em concessionária, isso porque quero mantê-la com sua qualidade original e não quero problemas futuros. Sempre tomei cuidado ao parar em determinados lugares porque tenho medo de roubo, de riscos e batidas. Sábado o meu segundo maior medo aconteceu, estava na casa de meu irmão, passamos a tarde fazendo um churrasco super agradável, o dia estava maravilhoso, mesmo como peso na consciência de ter deixado de estudar, fiquei super feliz porque precisava de descontração. Fiz isso porque merecia, após tanto estresse que passei durante essa semana, as mudanças e mais um monte de outras coisas, precisava relaxar um pouco e desencanar um pouco dos estudos. Fiquei lá a tarde inteira, tranquilo, rindo, fui realmente uma tarde agradável com pessoas mais que agradáveis.
Próximo das 21h, ouvi um estrondo e aquele barulho me lembrou o som de uma moto caindo, assim que olhei para o portão do meu irmão, notei que um caminhão de lixo parou e logo me levantei para conferir, mas já senti que haviam derrubado minha moto. A cada passo que dava em direção ao portão, meu coração acelerava mais e mais e minhas mãos ficavam cada vez mais trêmulas, comecei a sentir o ódio tomando conta, dominando minha mente. Assim que ultrapassei o portão, vi um desconhecido levantando minha moto e diversos recolhedores de lixo ao redor, começo a ficar mais nervoso ainda, porque aquilo era verdade, minha moto havia mesmo sido derrubada.
Vi a frente dela toda torta, assim que me aproximei, ouvi um dos recolhedores comentar que não sabia como o motorista não tinha visto a moto, outro questionou como fora possível ele cometer tal ato. Fiquei ali, parado em frente a minha moto, só então percebi que meu outro irmão me acompanhou e estava segurando ela, fiquei olhando, sem abrir a boca, a mão esquerda tremia demais, não conseguia segurar direito meu celular, que nessa altura do campeonato, nem sabia como estava em minha mão. O motorista desceu e começou a falar palavras inteligíveis, não conseguia compreender nada, não porque ele falava em algum dialeto, apenas porque estava tomado pelo ódio, a cada grunhido que ouvia de sua boca, meu ódio aumentava e a tremedeira também. Nunca vi minha mão tremer tanto, nem mesmo quando me tiraram do sério na empresa.
Comecei o ritual, anotei a placa, o nome do cara e finalmente consegui perguntar: "Como você conseguiu fazer isso?", aliás, em minha mente foi essa frase que tentei formar, não sei se consegui realmente exprimí-la. Via diversas pessoas ao redor, não reconhecia nenhum rosto a não ser do meu irmão do meio, logo em seguida notei que meu irmão mais novo também estava conosco, ele começou a indagar o cara, de uma forma um pouco brusca, um tanto quanto grosseira, tive medo de começar uma confusão naquele momento, do jeito que estava, provavelmente não seguraria ninguém, apenas tentaria levar ao chão o cidadão que fizera aquilo com minha moto. Tentei dizer algo, na realidade, disse algo que nem ao menos me recordo neste momento, mas sei que fizeram os ânimos se acalmarem e a conversa não tomar rumos desastrosos.
Meu irmão do meio me pediu a chave para ver se a moto andava, fui até a casa do meu irmão mais novo e peguei, entrei pensando em diversas coisas, a palavra faca me passou diversas vezes pela cabeça, pensei também em algum pedaço de madeira, que lembrasse um bastão, mas parei por uns instante mexendo na mochila para me acalmar. Não me recordo de ter uma reação como essa na vida, todas as vezes que me descontrolei, somente em uma tive pensamentos mortais, tive realmente a vontade de arrebentar a cabeça de uma pessoa, mas me controlei. Dessa vez foi complicado, respirava muito fundo, procurava praticamente o ar para tentar me convencer de que deveria apenas anotar os dados e depois fazer boletim e contato com a empresa para consertar minha moto.
Assim que voltei, perguntei se eles eram terceirizados ou se trabalhavam diretamente na prefeitura, alguém me respondeu que era uma empresa que prestava serviço, o motorista ainda falou que eles tem seguro e que a empresa cobriria tudo tranquilamente. Nessa hora tive uma vontade de falar um monte de coisas, porque o negócio não é somente cobrir o conserto. E o transtorno que terei para ir trabalhar, ir na psicóloga e qualquer outra coisa que queira fazer que dependa de transporte público? Tudo bem, nem trabalho tão longe, mas subir e descer diversas ladeiras logo de manhã cedo, foi o principal motivo que levou-me a tanto sacrifício para adquirir um veículo. Nessa hora, fui até a calçada, pensei em sentar, mas me agachei no portão do vizinho de frente ao meu irmão, comecei a pensar novamente, em diversas coisas, em trabalhar, na psicóloga ou em um passeio qualquer. Fiquei mais puto ainda quando pensei o tanto que tomava cuidado para não acontecer um acidente que me deixasse sem ela.
Paciência, vamos correr atrás de todo prejuízo e ver como fica agora, não adianta mais chorar sobre o leite derramado. E para quem pensar que eu poderia ter evitado ficando em casa estudando, pelo horário, provavelmente estaria lá de qualquer maneira. É muito provável que pararia às 18h para poder brincar e ver meu sobrinho, afinal de contas, estou vendo-o bem menos durante a semana. E também gosto do convívio que tenho com meus irmãos e cunhadas e eles estariam todos ali, eu não poderia ser o único a me ausentar mesmo por uma boa causa.

Amor destrutivo

O amor destrutivo...Quem nunca passou por situações incompreensíveis e cruéis com quem menos esperamos passar? Mesmo que não machuque fisicamente, a dor emocional pesa tanto quanto uma marretada em sua mão esquerda. E o engraçado é que existem tantas maneiras dessas dores serem causadas, algumas em que as pessoas nem mesmo percebem que estão praticamente matando o ser amado.
Pequenas palavras podem desencadear diversas amarguras, criam cicatrizes que nunca serão esquecidas, fazem nosso subconsciente guardar coisas ruins para um dia serem lembradas. A mente é algo realmente incrível, porque nos esquecemos facilmente de atos bondosos enquanto os ruins, aqueles que nos feriram, ficam guardados por décadas, se não para o resto da vida.
A pior delas é a distância, acredito que não exista algo pior, nem mesmo o término do relacionamento dói tanto quanto sentir que a pessoa está fisicamente ao seu lado mas à milhas de distância emocionalmente. Passar dias e dias ao lado de alguém que não sabe dar o devido valor a pessoa que tem, sinceramente, é a pior coisa do mundo, é um dos principais motivos que nos leva a desacreditar no amor. Traição não é algo que me surpreende muito, faz parte da índole da pessoa, do caráter dela, é passível de perdão e de fácil compreensão. Agora se afastar emocionalmente de alguém, sem motivo aparente, sem uma explicação plausível é algo que pode levar uma pessoa à loucura, porque você roda o mundo em pensamentos e não chega a conclusão alguma.
A parte mais cômica dessas situações, é que ao perguntar ao ser pensante que convive com você se algo está acontecendo, a resposta sempre será a mesma: "Nada!", se soltar o famoso comentário:" Você está estranha...", a resposta será que não. Mas você sabe que no fundo existe algo, a pessoa nunca comentará e de duas uma, isso levará ao rompimento ou simplesmente depois de alguns desaparecerá para daqui uns meses voltar a ficar assim. Mas sinceramente, algumas pessoas preferem ficar com um ser distante, se maltratam tentando fazer com que essa pessoa volte a enxergá-las, se humilham, esquecem que também são seres humanos e merecem um mínimo de dignidade, odeio pessoas assim, mas elas existem aos montes, já fui um desses...
Os infortúnios na vida amorosa me fizeram abrir os olhos para diversas coisas, não que tenha sofrido o bastante, mas isso me ajudou muito a me tornar o que sou hoje. Sou mais forte em alguns aspectos amorosos, não que não sofra mais por causa de amor, não virei um ser totalmente sem coração, mas aprendi a cortar diversos males pela raiz. Ao menor sinal, se percebo que será uma relação complicada demais, que sofrerei como na primeira vez que um relacionamento acabou, prefiro terminar, acabar com o mal pela raiz mesmo, não deixar o sentimento crescer mais e mais. Afinal de contas, é muito mais fácil terminar com 6 meses, mesmo que o que sinta seja amor do que sofrer durante vários anos de sua vida. Já temos problemas demais para ter que transformar o amor em mais um.

Vlog 0106 - Decifrando códigos.

Fúria sobre rodas (Drive angry)



Trailer do filme 'Fúria sobre Rodas' (Drive Angry), filme que traz Nicolas Cage (O Aprendiz de Feiticeiro; Presságio) no papel principal. O elenco conta ainda com William Fichtner (Batman -- O Cavaleiro das Trevas), Amber Heard (Zumbilândia), e Billy Burke (saga Crepúsculo).

'Fúria sobre Rodas' narra a história de Milton (Nicolas Cage), um criminoso que sai da prisão para uma última chance de redenção. Milton tem a missão de acabar com um culto de magia negra liderado por Jonas King (Billy Burke), que assassinou sua filha. Milton tem três dias para detê-los antes que também sacrifiquem sua neta em uma noite de lua cheia.

O filme estreia em 8 de abril nos cinemas em 2D e também em 3D.
Quer ver mais trailers? Acessem o canal loucosporwarner.

Axe Excite

Vlog 0105 - Desabafo? Surpresa? Despedida.

Pela última vez...

Está operação está errada!Sem progressos, sem mudanças, tudo igual como sempre foi, aliás, mudou muita coisa, para pior. Claro, faz parte da vida passar por momentos difíceis, por dificuldades, por "perreios", mas não fazer nada para mudar o quadro não tem muito sentido para minha mente insana.
Engraçado que não sou o único a enxergar que as situações não mudam mas não vejo ninguém brigar ou se estressar por isso, não que seja o correto, mas pelo menos tomar alguma atitude seria mais lógico.
Mas é verdade, não existe lógica nas pessoas de nosso convívio, apenas pessoas pessoas compreensivas demais. Não sou a melhor pessoa do mundo, posso não tomar as melhores decisões mas não fico de braços cruzados. Mostro, explano, tento fazer o povo enxergar mas a única explicação que recebo não me convence de nada. Posso novamente estar errado e realmente devemos esperar o tal "momento certo", o único problema disso é que nesse meio tempo diversas coisas pioram, clientes ficam cada vez mais descontentes e continuamos na merda. Faço parte do descontentamento do cliente, claro, é impossível trabalhar da maneira que nos viramos ali em cima e não errarmos, fazermos merda, mas não deixamos os problemas se resolverem sozinhos.
Paremos para pensar, se existe um setor de atendimento e mesmo assim as coisas nem chegam ao meu conhecimento, o cara que tem que corrigir as merdas feitas, como o cliente terá suas soluções? Eu acho incrível que quando o problema chega em minhas mãos, já começa o tormento, porque aí o negócio não é para amanhã, é para ontem. Aí o povo reclama que não entrego nada no prazo, que não tenho prazo pra nada, claro, como consigo seguir algum cronograma nessa merda? Trabalho, por enquanto, sozinho, talvez mais por opção, mas não tem como não parar pra apagar um incêndio aqui e outro ali, como cumprir prazos dessa maneira?
Se evitarmos deixar o problema do cliente virar um incêndio, fica muito mais simples resolver as coisas com tempo e nos programar com prazos. Mas é claro que a vida nunca será bela e o céu nunca será azul, simplesmente a podridão e o descaso tomam conta daquele setor que não entendo até hoje para que serve. É como digo, se for para anotar recado, coloquem pelo menos 4 gostosas e resolvemos todos os problemas. Não tem cúmulo maior que ouvir do atendente que ele não sabe metade das informações que necessitamos. Muitas vezes nem compreenderam a porra do problema do cliente e a ligação já foi encerrada, como assim? Mas achei realmente engraçado uma pessoa comentando para o povo de lá se virar porque ele estava saindo de férias, tipo, já não fazem isso todos os dias e por isso está a merda que está?

24º dia

Decisões...Depois de muito tempo sem terapia, finalmente voltei a ver minha querida psicóloga. Me senti bem ao vê-la, estava realmente fazendo uma enorme falta um pouco de terapia, as conversas excelentes que temos em todas as sessões e alguns esclarecimentos que precisei. Tudo bem, talvez ainda tenha tempo para resgatar certas coisas e acertar.
Medos precisam ser extintos, não em sua totalidade, mas boa parte precisa. Talvez esteja realmente na hora de dar chance a novas aventuras, novas pessoas, novos desafios, novas tecnologias, tudo novo! Acho que preciso tentar enxergar o futuro, ver que as coisas podem realmente mudar e para melhor. Claro que diversas mudanças serão exigidas nessa transição e espero não deixá-las para trás novamente.
Escrito ao som de "Waiting for the end" do Linkin Park.

Comercial CCAA com Bruce Willis

Quarto do Yama?

Quarto do Yama?Assim que acessei o twitter hoje, vi um post do meu querido pequeno pequerrucho mostrando como seria o meu quarto.















Colaboração de PseudoJoker, retirado do site Gizmodo Brasil.

Vlog 0102 - Viseira do capacete. E pra beber senhor? Presta atenção na resposta!

A leitura me acalma

Crepúsculo - Lua nova.Depois de ter desistido, parado para estudar poker, iniciar um livro que parei pela metade, resolvi ler "Elite da tropa 2", leitura muito bacana diga-se por passagem, valeu realmente a pena ler. Em seguida resolvi ler o livro "House - Um guia para a vida", um livro de auto-ajuda, só se for para ser mais grosso do que já sou de costume, mesmo assim valeu a leitura, ver um ponto de vista diferente sobre as reações do meu mais querido personagem me fez refletir diversas coisas.
Assim que terminei de ler esse livro, graças a minha cunhada me senti atraído novamente pela saga Crepúsculo e decidi voltar a lê-la. Peguei novamente o segundo livro, "Lua nova", cacei a página em que havia parado mas achei melhor recomeçar a leitura. Seria um grande valor jogado fora se não voltasse a ler essa saga que achei tão bacana, porque comprei os 4 livros em um pacote bem gracioso mas com um preço não tão agradável. Voltei a ler também porque precisava ler alguma coisa e não queria gastar dinheiro com livros, na realidade, não estou gastando com nada. Em um futuro próximo, quero comprar mais dois livros que falam sobre "House" e alguns livros de estudo.

Pegue tudo de dentro...

From the inside.Perdido em meio as letras do Linkin Park passo cada dia tentando não sentir saudades, tentando não pensar muito para não ter um colapso. A falta das conversas é algo realmente doloroso, me acostumei à você, as suas palavras, as suas confidências.
Talvez isso seja ruim ou extremamente bom, não existe um meio termo nisso, não dá para levar uma coisa como essa no meio termo. É algo binário, zero ou um, ligado ou desligado, não existe um talvez nesse ponto. O que importa de fato é a falta que sua pessoa me faz, mesmo que distante, você faz realmente falta no meu cotidiano, mesmo que seja por poucas horas durante a noite.
Talvez, se estivesse por aqui, não poderia dar toda atenção que você merece, mas pelo menos poderíamos passar um ou duas horas conversando, jogando papo fora, dando risadas juntos, reclamando da vida juntos. Quando menos percebi, você se tornou uma parte muito importante, uma parte bem considerável. Mesmo que não seja da maneira como queremos, mesmo que não seja tão próximo, a sua presença sempre marca meu coração. Sejam com palavras boas, histórias da vida ou qualquer outra coisa.
Espero que esteja aproveitando bem, que esteja realmente desligada de todos os problemas do cotidiano, que esteja limpando sua mente para voltar renovada. Espero que não tenha esquecido de mim, porque não esqueci de você nem um minuto sequer e aguardo ansioso seu retorno. É muito estranho passar uma noite sem trocar pelo menos 5 minutos de palavras com você. Faltam apenas 3 dias, talvez um pouco mais, mas a certeza de que estará aqui, provavelmente, na segunda-feira de noite, já me reconforta muito.
Ao som de "From the inside" do Linkin Park.

Voltando aos estudos

Microsoft Visual Web Developer 2010.Voltei aos meus estudos desde o início dessa semana, depois das complicações com computador, com a saúde, estamos de volta ao cenário de desenvolvimento. Sinceramente, não estava com muito saco para estudar nessas últimas semanas, tem certas coisas que não tenho mais saco para aprender, talvez porque não aplicarei tão cedo todo conhecimento que quero adquirir.
Seguindo um conselho de um grande amigo, brother mesmo, larguei os estudos em C# desktop para partir para o ASP.NET com C#, rever algumas coisas que já sabia me fez bem porque nem lembrava mais por onde começar, na realidade, nunca "startei" um projeto .NET do zero, então foi bom rever todas as coisas hoje. Apesar da falta de empolgação para tudo que faço na vida ultimamente, esse estudo de hoje me deixou bem empolgado, talvez porque criei um login para um site sem digitar uma linha de código, putz, mas que grande merda, foi a primeira vez que vi isso de fato e nessa versão do 2010 ficou muito bacana.
Espero não abandonar novamente as coisas, espero me adaptar a essa nova brincadeira até o final do semestre e para isso estou sacrificando meu tempo com a família e do vlog. Acredito que no final valerá a pena, talvez, é um risco que todos corremos com qualquer nova coisa que queremos fazer. Bom, uma coisa é certa, servirá para alguma coisa um dia...
Escrito ao som de "Lying from you" do Linkin Park.

Participações em outros canais.

RabuGentoInterAtivo.


O Guih Bachir.

Vlog 0097 - Está sem calça? Descascar uma bala? Aparador de linha.

Onde me encontrar?

Na chuva...Somente mais um em meio a uma multidão, perdido entre milhares de pessoas que caminham sem olhar para o lado. Só mais, é realmente assim que ando me sentindo ultimamente, sou apenas mais um no meio de milhões de pessoas que vagam, pensam e respiram. Procuro uma saída, não encontro, simplesmente ando em círculos, tentando descobrir que rumo tomar.
Se as decisões foi simples, o problema seria muito simples mas não é tão simples como todas as outras vezes, pela primeira vez não consigo sair do lugar. Já caminhei quilômetros de distância mas me sinto no mesmo ponto, no início, naquela noite em que falamos, falamos e falamos diversas palavras que queriam dizer uma coisa só.
Mesmo que não tenham sido muito claras, em minha mente tudo ficou claro, minha desconfiança tornara-se realidade, meu instinto não havia morrido. Há certas coisas na vida que nunca mudam e nunca mudarão, o "feeling" é algo realmente incrível. Acho que as experiências da vida são as maiores dádivas que possuo hoje, certamente sem elas não teria tal percepção. Descobrir as coisas antecipadamente é algo extremamente gratificante, mas no entanto, nesse caso, preferia nunca ter descoberto e muito menos ter despertado o monstro adormecido há mais de 3 anos.
Sinto me em meio à dragões sem possuir uma espada, sem possuir alguma arma para combater bravamente. Nesses momentos não dispomos de armas e nem escudos, ficamos com nossa guarda baixa, o que nos fez chegar ao ponto em que estamos. Talvez algumas pessoas estejam certas, ainda creio que o bom senso deveria reinar e trazer novamente a paz à esse coração cansado. O tormento deveria se esvair e me deixar em paz mas que deixasse apenas o carinho e a sinceridade postas desde o início, sem outro tipo de pensamento. Gostaria de ter pleno domínio em relação à sentimentos e vontades, gostaria de ter uma tecla del em minha mente.
Essa sensação que me consumiu por todo o dia, me fez lembrar de diversas coisas do passado, diversos sentimentos bons e ruins, coisas que me alegraram e que me entristeceram muito. Ficar nessa corda bamba de nada ajuda, apenas atrapalha mais a vida turbulenta que enfrento, as baixas que tanto gostaria que acontecessem, entre outras coisas. Fiquei tomado por uma enorme vontade de largar tudo, pegar a estrada com um destino certo. Mas a vida não se resume a um romance de cabeceira ou uma simples utopia, felizmente ou infelizmente, talvez esteja mais para o lado do felizmente, porque sempre que estamos bem, algo ruim tende a acontecer.
Talvez fosse a hora de baixar a guarda, cogitei diversas vezes essa hipótese nesse ano que passou, principalmente nos dois últimos meses, pensei que a hora seria agora, mas talvez tenha me engano. Mentira, não me enganei, sei bem o que quero, o grande problema é que não posso ter...

Barreiras nem sempre devem ser quebradas

Por um beijo seu...Aquela vontade de ver alguém, sem mesmo se importar com o mundo, sem se importar com as consequências, sem se importar com as diferenças, entre outras coisas. Já passei muito por isso, já me senti assim diversas vezes na vida, mas dessa vez é diferente, muito diferente. Há certos impedimentos na vida que não devem ser superados, que não devem ser burlados, isso porque as consequências podem ser muito graves, seja fisicamente, emocionalmente, em todos os sentidos.
Há certas regras impostas pela sociedade que realmente não deveriam existir, não deveriam ser seguidas da forma que são. Claro, em muitos casos há antecedentes que a tornaram tão eficiente e por isso elas ainda são seguidas. Algumas coisas na vida não deveriam acontecer, se realmente existisse um ser divino que olhasse por nós, provavelmente elas nunca sequer passariam por nossas cabeças. Mas quem é que realmente poderia julgar o que é certo e errado, tirando as coisas básicas da vida? Acredito que não exista ser humano, normal, de são consciência, que nunca tenha violado uma das regras da vida que pela teoria dos catetos não devesse ser violada. Sei que matar, roubar, estuprar, não são coisas corretas, salvo matar para proteger a sua vida e de sua família, a famosa legítima defesa. Mas quem definiu as regras do amor? Quem estipulou o que é certo e o que é errado nesse quesito? Falando de amor generalizando qualquer sentimento relacionado, como uma simples paixão, por exemplo.
A vida nos coloca a prova ou nós mesmos fazemos essa parte tão árdua e dura de se conter? Eu acredito, sim ainda acredito, que não escolhemos àquela ao qual chamaremos de alma gêmea, de sua cara metade, a tampa da panela ou qualquer outro ditado popular. Diversas vezes na vida lutamos contra determinados sentimentos porque sabemos onde acabarão, sabemos onde estaremos quando aquilo não der certo. Mas e quando a barreira é muito maior do que as já impostas do relacionamento em si? Se você sente que realmente algo não deve acontecer, você é o único responsável por evitá-la. Suas ações, suas palavras devem ser mensuradas para evitar qualquer tipo de confronto direto com relação à esse sentimento quando provavelmente será julgado pelo resto de sua pequena e simples vida. Se você não tem o controle da situação, arrume alguém que lhe ajude, procure alguém que possa lhe aconselhar de forma realmente eficaz e não simplesmente chegar à você e dizer que aquilo não passa de mais um absurdo que sua mente criou para lhe perturbar ou que você seja um doente mental. Esse tipo de ajuda não serve para nada a não ser lhe empurrar mais ainda para à beira do abismo, dar mais um passo em direção daquilo que você tanto tenta fugir.
Sempre pare, reflita, pense nas consequências, pense no amanhã, no depois de amanhã, na eternidade. Pense em todas as coisas possíveis, pense em tudo que pode refletir em sua vida e na vida dessa outra pessoa. Leve em consideração os julgamentos alheios provindos daqueles que nunca entenderão certas coisas, que nunca aceitarão, e não porque são pessoas sem sentimentos, apenas porque talvez sejam mais sensatas que você. Mas quem realmente define o que é sensatez?
Escrito ao som de "Lullaby" do Creed.

Nos tempos medievais

A praticidade emburreceu a humanidade?Às vezes me pego imaginando o mundo como nos livros de história ou nas ficções que podemos apreciar em DVD e hoje em dia em Blu-Ray. Imagino se nos tempos de hoje ainda tivéssemos grandes batalhas medievais, o que seria do mundo? Do mundo não sei, mas sei que de algumas pessoas sobrariam somente seus restos mortais.
Falo isso porque ninguém luta hoje em dia, ninguém briga para alcançar algo, mesmo que seja algo não tão difícil de se alcançar. Ninguém almeja melhorar de vida, aliás, minto, as pessoas almejam isso mas não lutam para isso. Algumas simplesmente ficam esperando o momento chegar, não batalharam, nem pensaram em tentar mudar as coisas para alcançarem de forma mais rápido aquilo que poderiam ter alcançado há muito tempo. Esses não durariam nem metade de uma pequena batalha, simplesmente cairiam em campo sobre seu próprio sangue, sem o mínimo esforço seus últimos suspiros seriam desperdiçados.
Alguns, talvez, durariam um pouco mais, pelo seu esforço, pela sua vontade de viver, mas provavelmente terminariam no mesmo destino dos demais. Outros não terminariam mortos, porque provavelmente nem sairiam para o campo de batalho, simplesmente ficariam nos bastidores assistindo a carnificina. Se muitas coisas, nos dias de hoje, pudessem ser resolvidos com uma espada e um duelo, as coisas seriam diferentes? Talvez, porque sua vida dependeria realmente disso e tudo que fosse possível absorver de conhecimento, seria absorvido. Enquanto as pessoas não correm risco de morte, ninguém muda suas atitudes, não mudam sua forma de pensar e de batalhar, simplesmente vivem o mesmo momento dia após dia.
Novamente saliento que luto por uma causa perdida, uma batalha que já fora perdida antes mesmo de um grande time de guerreiros se dissolver. Grandes mentes pensando em conjunto fazem toda a diferença mas não fazem milagres. Só vontade não lhe trará aquilo que tanto almeja, sem esforço não há ganho. Comece a enxergar o pão nosso de cada dia com sangue e lágrimas que deveriam ser derramadas a cada dia, cada dia que deveria ser encarado como uma batalha em um campo onde muitos disputam o mesmo poder que você. Mude sua mente antes que a batalha dê conta de você, te liquide, te faça incapaz de mudar ou de voltar atrás.

Vlog 0096 - Manobrista filho da puta. A mágica dos problemas. O café queimará?

Saudades do passado

O passado.
Saudades de um tempo que provavelmente nunca voltará. Saudades de um abraço que custa muito a vir. Saudades de conversas que me faziam muito feliz. Saudades de uma companhia que não mora mais próxima de mim.
Se houvesse a opção de matar um sentimento na vida, seria a saudade, porque sinceramente não existe dor maior que essa, pelo menos pra mim. A dor da perda de alguém, se cura com o tempo, acabamos por nos conformar, nem tanto, mas chegamos em um equilíbrio praticamente perfeito. Mas a saudade que essa pessoa deixa, nunca morrerá.
Não sei realmente o que é pior, sentir falta de alguém que já partiu ou de alguém que ainda está na face da terra. Muitos pensariam, claro que é de alguém que já partiu, porque nunca poderá vê-lo novamente. Mas existem casos onde não podemos ver nem os vivos, seja pela distância ou por outros contratempos. Normalmente, barreiras que podem ser vencidas, mas nem sempre, pode existir empecilhos maiores. Não que seja uma força divina, mas acredito que seja um fator bem complexo.
É cruel "perder" alguém com quem você passava metade do seu tempo. Aquela pessoa com quem compartilhava toda sua vida, todas suas decisões. Te incentivava em cada novo passo tomado, em cada ideia, quando todos vão contra você. Sinto falta das conversas, dos momentos de silêncio, das caminhadas, dos passeios em lugares que eu odiava, mas que essa pessoa tornava o melhor lugar do mundo. Mesmo brincadeiras que nunca gostei, com ela, tudo era diferente, se tornavam realmente momentos de diversão verdadeira.
Sinto falta do tempo em que minhas preocupações eram apenas agradá-la, o máximo que pudesse, tentar não fazê-la ficar brava comigo. Claro que nem tudo era mil maravilhas, existiam coisas que poderiam não existir, mas é assim em qualquer relacionamento em nossas vidas. Se tudo fosse perfeito, se tudo fosse exatamente do jeito que eu queria, provavelmente a outra pessoa não estaria tão feliz. O que me faz mais falta são as conversas, podíamos passar horas falando, na realidade, ela falava muito mais que eu, mas nem sempre eu ficava apenas calado. Mas mesmo nos momentos em que ficava apenas de ouvinte, era muito bom ouví-la compartilhando suas coisas comigo. Quando ela contava as histórias de sua vida, sempre eram histórias super bacanas, me prendiam de uma forma inexplicável, gostava muito de ouvir sobre o passado dela e de sua família. Fora os tantos planos que ela fazia, tantas mudanças, tantas ideias, gostava de ficar escutando, calado, ouvindo cada detalhe das coisas que ela inventava, a cada semana uma novidade, uma nova vontade. Sinto falta até das conversas ao telefone, mesmo nos vendo praticamente o dia inteiro, conversávamos, às vezes, ao telefone por um bom tempo. Era ruim quando ela viajava, tínhamos que falar muito pouco no telefone porque ela estava muito longe e como eu não ganhava o suficiente para pagar a conta de telefone, nunca enrolávamos muito. Bons tempos, época em que vocês me conseguiriam me ver sorrir muito facilmente...

Ao som de "Hide", "One last breath", "My sacrifice", "Don't stop dancing", "Lullaby", "Higher", "One", "Is this the end" e "Unforgiven" do Creed.

Creed - To whom it may concern

Já se sentiu preso?

Perdido no meio do nada...Provavelmente já tenha escrito algo sobre o que direi hoje, claro, a vida é praticamente um erro cíclico de redundância, por essa razão acredito que já escrevi sobre isso. Depois de muito tempo sem me sentir ilhado, preso num calabouço, jogado nas profundezas do inferno ou qualquer outra coisa que lhe faça sentir que não tem mais o direito de ir e vir, é o momento em que aquela única coisa que gosta de fazer, não pode ser feita.
Sabe quando você tem vontade de trepar com a mulher e ela diz que está com dor de cabeça? E você, naquele puta tesão filho da puta, não tem o que fazer. Porque de duas uma, você traí sua mulher ou simplesmente se alivia de outra forma que não seja o ato impuro de trair. Da mesma forma me sinto quando fico sem meu computador, minha vida é a informática, tudo que necessito para fazer qualquer coisa do cotidiano está ali. Naquele monte de fios, lataria e mais trocentas tralhas que há dentro dele. Hoje em dia, não consigo mesmo viver sem um computador, na realidade, para ser mais exato, o meu. Qualquer coisa que me perguntam e não sei, vou consultar no computador. Se quero encontrar um endereço, consulto nele também. Qualquer coisa que faço dependo dessa máquina, coisa que antigamente, procurava apenas em livros.
Talvez seja algo realmente bom, a tecnologia nos proporcionou a velocidade, principalmente para adquirir conhecimento. A praticidade para as coisas diárias do cotidiano então, nem se fala, para quem já pegou uma fila enorme em qualquer banco e hoje em dia paga todas suas contas por internet bank, sabe do que estou falando. Não consigo me ver em uma agência bancária para pagar alguma conta, tanto que ao adquirir um serviço, se não houver a opção boleto, nem aceito. É engraçado pensar que um dia ia até uma biblioteca para poder fazer um trabalho escolar, quem dessa nova geração conhece uma biblioteca? Provavelmente, conheceu por causa de algum trabalho que teve que fazer sobre ela, porque qualquer trabalho que não seja para falar sobre uma biblioteca, provavelmente é procurado no grande google. Livros, de papel e tinta, ainda são procurados, mas noto que em raras ocasiões por pessoas mais jovens, normalmente vejo pessoas mais velhas ou alguns garotos(as) que gostam da leitura no papel, hoje em dia, com os eReaders, fica muito mais prático e barato comprar um livro digital.
Amo tecnologia, acho que de todas as profissões que já pensei em exercer na vida, foi a única escolha mais sensata que tive. Mesmo sem total noção do que seria ingressar para essa área, foi uma das melhores escolhas que já fiz. Primeiramente, porque algo que sempre gostei na vida, foi de quebrar a cabeça, de ter que utilizar raciocínio lógico para resolver as coisas. Nunca gostei de coisa que envolvesse o lado humano, qualquer coisa que saia do razão, que saia do exato, nunca me atraiu. Claro, mesmo sendo uma ciência exata, existem pontos não tão exatos assim. Mas de tudo que já estudei, das poucas coisa que tive oportunidade de ver no colégio ou de outra maneira, tudo que me atraia era sempre pro lado de exatas. Odeio essa coisa de talvez, odeio incertezas, odeio coisas que podem ser duas ao mesmo tempo.
Claro que minhas escolhas também ajudaram a provocar outros diversos problemas. A época já não era tão propícia para trabalhar nessa área, não se ganhava mais rios de dinheiro como 10 ou 20 anos antes de ingressar, mas quem liga pra dinheiro realmente? É, com o passar do tempo, aprendi que todo mundo liga pra dinheiro, só um idiota como eu acreditava nessa coisa de vestir a camisa porque gosto do que faço e foda-se se não ganho o suficiente para manter um padrão de vida que todos almejam. Se ainda sou assim? Em partes, na verdade, minto, sou completamente assim, ligo para dinheiro porque tenho dívidas para pagar, mas não faço as coisas esperando sempre um retorno financeiro. Se realmente ligasse apenas para isso, com certeza mais da metade do tempo que passei trabalhando teria passado jogando vídeo game ou poker. Essa minha escolha, trouxe muito estresse, porque existem muitos que tentam atuar nessa área como simples técnicos que não resolvem nada, pessoas que se aproveitam da oportunidade para tentar ganhar dinheiro em primeiro lugar, depois pensam se realmente gostam ou tem uma forte tendência para atuar nisso. São esses que fodem tudo, são esses que tiram a oportunidade de quem realmente gosta disso. São esses que me fazem o sangue subir até o tampo. Essa é uma das consequência de ter entrado para área, aumento da pressão, do estresse, porque o trabalho em si não é tão complexo, o problema são sempre as demais equipes ou pessoas de quem dependemos para a engrenagem funcionar 89%.
Como presenciei hoje, num comentário inútil, algumas pessoas tem o pensamento de que estão ganhando dinheiros para seus "chefes" encherem o cu, mas raciocione apenas um pouco, mesmo o "chefe" mais filho da puta do mundo, é esperto e sabe que as coisas não funcionam assim em uma empresa. Não digo que não existam caras assim, mas a maioria que é realmente um bom empresário, não tem esse pensamento de ganhar dinheiro e não compartilhar com os demais. Os mais idiotas ainda tem o pensamento de que alguns são gananciosos demais e apenas pensam em si, mas uma empresa onde seus colaboradores estão totalmente insatisfeitos, não funciona. Por isso digo que se o "chefe" está ganhando bem, não tem sentido, seria uma cagada ele não compartilhar com o pessoal da ala que realmente faz a engrenagem rodar. E escrevo "chefe", entre aspas, porque como diria um grande amigo e sócio, quem tem chefe é índio.

Vlog 0091 - Começando bem 2011.