Volte para o início

Tenha bons sonhos.
E dormirei. Não vencido pelo cansaço e nem pela injúria. Talvez, vencido pelo tempo, que não fora curto mas também não fora suficiente. Fui vencido pela persistência, a persistência em errar e não erradicar a causa do todo.
Insípido é uma palavra que vagou pela minha mente, velou meu sono e me despertou da imensidão do perdido mundo dos sonhos. Mas que sonho? Não houve sonho, apenas sono, um profundo e insípido sono.
O relógio não para, a alma não desperta, mas o sacrifício é como um "déjà vu". E novamente voltamos ao infinito, àquele "loop" que tanto persiste em tentar me carregar, até agora não descobri para onde. A mesma voz, o mesmo timbre, as mesmas palavras, será que realmente estou acordado? Talvez, apenas, não esteja tão lúcido quanto imagino estar.
Em meio a milhares de estilhaços, seu rosto, seu cheiro, seu sorriso. Ele encanta ainda, apesar de estar quase apagado. Sua voz ecoa muito distante, cada vez mais distante, mas ainda consigo ouví-la. Um despertar, é tudo que preciso, um simples despertar para o real. O controle emocional se fora, para bem longe, talvez meu subconsciente esteja totalmente no comando, meu auto-controle já é algo que não vejo há muito.
Talvez em meio as batalhas e a guerra em si, eu esteja mais perdido que um cego, um cego que não perdera a visão, apenas se perdeu no futuro. E dentre essas lutas, mesmo que as piores tenham passado, talvez ainda não consigo enxergar alguma esperança no amanhã. Vencido, me sinto assim, não me sinto um desistente, apenas um vencido. Dormirei, novamente, para voltar ao início de tudo isso.

Mereço queimar no inferno

Me castigue.
Cometi o maior pecado de todos os possíveis na vida de alguém que trabalha com informática. Deixei de fazer aquilo que mais prego entre todos os suporteiros e aspirantes da área de informática. Perdi 90Gb de informações de um cliente.
Não sei porquê raios não quis fazer um backup, isso nem me passou pela cabeça. E o pior é que li no fórum que era pra copiar as coisas, deletar tudo e copiar de volta mas tentei fazer uma manobra meio arriscada.
Acho que pegarei uma chibata, amarrarei algumas giletes nas pontas e começarei a me açoitar até não aguentar mais. Esse é o tipo de imbecilidade que tanto prego para não cometerem. Isso é uma atrocidade que jamais deve ser cometida. É como experimentar uma arma na cabeça do melhor amigo.
Aquela mania que tenho de tentar solucionar todo caso estranho, às vezes, me deixa maus lençóis. Sinceramente, não entendi até agora o motivo de não ter feito backup das informações. Na realidade, até sei o porquê, mas não tinha cabimento não fazê-lo. A falta de espaço, hoje em dia, não é desculpa. O pior é que agora ficarei uma semana pensando na merda que fiz. Essa enorme cagada que há muito tempo não cometia. Hoje me senti um estagiário.

Dia do estagiário?

Tú tá sem bandoleira amigo?
Quem inventou isso? Um estagiário? Não, impossível, estagiário não emplacaria uma data comemorativa para seu dia.
Acredito que tenha sido obra de um coordenador ou alguém de alto cargo que resolveu criar um dia, onde o estagiário deve acertar em quase todas as tarefas.
Esse é um título que todos utilizam um dia na vida mas que nem todos gostariam de relembrar. Então por que criar um dia para comemorar? Ah, como o estagiário é considerado, hoje em dia, quase uma pessoa, conquistando diversas regalias que antigamente não eram concedidas, então nada mais justo que criar um dia para ele?
Essa vida de estagiário não é algo muito fácil mesmo, as pessoas esperam que você aprenda, que se dedique mais que os outros e o mais importante, que um dia saia dessa condição. Não que seja algo extremamente ruim, na realidade, é péssimo. Mas é claro que um dia você será tratado como gente após passar diversos dias de amargura.
Alguns fazem questão de manter este adjetivo para o resto de sua vida, provando cada vez mais que é capaz de permanecer com este status até o último dia de sua existência na face da Terra. Alguns superam esse episódio, engrandecem, se tornam realmente capazes de serem chamados de juniores, seniores ou qualquer outra qualificação superior. Para este tipo de estagiário, é realmente merecida uma data comemorativa, para os demais, continuem sem a bandoleira.

O antigo estagiário agora se chama aprendiz

Ira.
E num piscar de olhos, sua pressão subiu, você percebe uma leve tremedeira tomando conta novamente de sua mão esquerda. Você para, respira, tenta se acalmar, mas é praticamente impossível. Como é possível desequilibrar o prumo de tal forma? Façanha totalmente inusitada, sim.
Intolerância? Talvez. Um pouco de excesso? Talvez. Sinceramente, não sei mais distinguir o excesso do normal. Aliás, o que é o normal hoje em dia? O que deve ser tolerado em um ambiente de trabalho? Ah, com certeza, muito mais coisa do que realmente tolero.
Mas e aí, está na hora de fazer uma reciclagem, é isso? Porque, se pensarmos bem, não tolero praticamente nada que deveria ser básico. Mas espere aí, o que deveria ser básico? Bom, pela visão de algumas pessoas que conheço, não existe básico. O básico é praticamente o cara saber andar e falar. Isso é o básico de hoje. Não existe mais aquele negócio de ter o mínimo de conhecimento, pelo menos, na área em que você atua.
Interessante, quer dizer que agora, o que chamam de estagiário é o tal aprendiz? Sim, praticamente, porque se o cara não consegue nem mesmo comunicar corretamente o que ele precisa fazer... Como assim? É, o cara não consegue nem explicar o que precisa. É, o negócio está feio então. Muito, porque imagine, o cara te pede um negócio, você logo deduz que vieram buscar esse negócio. Aí, você questiona se vieram buscar e o cara começa a gaguejar, não consegue explicar que porra ele quer com o negócio. Fala sério véio!
Mas também, o que esperar de uma pessoa insubordinada? Como assim insubordinada? Ah, pra mim, todo mundo que não faz o que o seu coordenador manda, é insubordinado. Na polícia, seria passível de alguns dias de cadeia. Verdade. Mas o que acontece afinal de contas? Porra véio, se o cara mal entrou e não sabe praticamente nada do que ele precisa, o coordenador manda o cara estudar o que ele precisa saber, ele vai estudar outra coisa? Como assim estudar outra coisa? É tipo assim, mando você estudar para aprender a mexer no motor do carro e o cara está vendo como instalar os vidros do carro. Sim, o assunto tem a ver com o negócio, mas agora ele não precisa saber como instalar a porra do vidro véio.
O que posso esperar de um estagiário insubordinado, que não sabe falar, tudo não sabe explicar, o que esperar desse rapaz? Ah meu amigo, não faço a mínima ideia, talvez o básico? Caralho, mas o que é o básico pra você? O cara saber ligar o computador?

Verdadeira profissão? Abriria mão de tudo para viver com a Brenda? - Pequenos detalhes da vida

Muitas ideias de uma só vez

Furacão de ideias.
Estava muito disposto a escrever neste final de semana, mas todas vez que abria o livro para escrever ou o blog, milhares de ideias giravam como um enorme furacão em minha mente.
Esse fato deveria ser útil para produzir diversos textos mas eram tantas ideias que não conseguia manter o foco e escrever sobre cada uma delas.
Na realidade, eu queria mesmo era escrever o segundo capítulo do livro mas como não conseguia me concentrar nesta história, acabei adiando de deixando para essa semana.
Outras diversas coisas me preocupavam esse final de semana. O cheque que não fui buscar, o currículo que ainda não escrevi, o problema do trabalho que fiquei de resolver. Tudo vinha no mesmo momento em que tentava parar para escrever.
Quando finalmente consegui colocar as coisas em ordem, era praticamente final de domingo, já estava conversando com pessoas super agradáveis no msn e decidi deixar para escrever depois. Quem sabe, com isso, mantenho o foco da história e de outras coisas que escreveria.
A parte triste de tudo isso, é que diversas coisas bacanas que pensei em escrever como posts no blog, se foram, simplesmente se perderam no meio de milhares de sonhos que tive nessa noite. Sinceramente, não aguento mais sonhar com as coisas que ando sonhando. É possível tornar esse sonhos reais?

Quero um mundo novo

Surreal.
Em diversos momentos, gostaria de poder fugir para um mundo inexistente, onde fosse possível superar qualquer problema sem quase enlouquecer. Percebo que a cada dia, tenho menos paciências com as pessoas, minha única preocupação, isso ocorre pelo fato de serem as mesmas perguntas idiotas ou porque já cheguei até meu limite?
Ainda acho que tenho um pouco de controle, porque sempre que perco a paciência, percebo que a perdi e tento voltar para o mundo real. O que me deixa realmente preocupado, é por que não consigo me segurar antes de sair? Talvez os anos tenham me calejado demais, talvez as cabaçadas tenham se superado.
As perguntas podem até mudar, mas as situações são as mesmas. Ainda me questiono se realmente as pessoas não conseguem pensar, se realmente é falta de capacidade ou pura preguiça.
Os fatos de hoje me fizeram lembrar da história da porta, que um de meus sócios me contou. Imagine um corredor cheio de portas e cada uma com uma fechadura diferente. O cidadão passa pela primeira porta porque é uma maçaneta básica, daqueles simples que estamos acostumados. A segunda, ele sente um pouco mais de dificuldade porque é uma maçaneta daquelas arredondadas. Na terceira, mais dificuldade ainda, porque é uma eletrônica. O detalhe interessante nessa história, é o fato de que a cada porta com mais dificuldade, o cidadão fica batendo a cara nela, sem pensar, sem tentar compreender como abrir a "nova" maçaneta.
Hoje vi a história da porta, tenta uma vez, outra, e outra, e outra. Pensei com meus poucos neurônios sobreviventes: "Quantas vezes precisa tentar fazer a mesma coisa para notar que não funcionará?", não consegui pensar em nada muito lógico. Legal, tente fazer de uma forma diferente. Opa! Funcionou.
É como sempre comentei, lógica não se ensina, não haverão livros que lhe ensinarão a ter lógica, o máximo que alguém pode fazer por você, é treiná-lo para ajudar a desenvolver sua lógica lhe colocando perante diversos desafios. Alguns discordarão, dirão que é possível ensinar lógica para uma pessoa, eu já desisti. Como o caso do "where" que contei no vídeo, eu sinceramente me desespero ao ver esse tipo de coisa. Fico realmente indignado em como é possível não ter uma raciocínio lógico e perceber que deveria passar algo a mais para o negócio funcionar.
Mas é como disse há alguns posts atrás, parei de escrever tanto sobre trabalho, porque é praticamente um "loop infinito", onde acontecem sempre as mesmas coisas e assim que a roda terminar de girar, voltará para o ponto inicial e tudo ocorrerá novamente e da mesma forma. É fácil notar isso, se pegarmos todos os posts da tag "coisas que eu odeio", notarão que muitos dos "problemas" são os mesmos com pequenas diferenças.
Eu gostaria de saber como lidar com essas coisas. Gostaria de ser mais tolerantes com a imbecilidade das pessoas, mas não consigo, não aprendi com todos esses anos na área. Fiz terapia para tentar ajudar, acho que parei cedo demais, mas é como minha psicóloga também comentou, não iria zerar, não é que nunca mais me estressaria, mas aprenderia a controlar mais essa emoção que me toma de tal forma, que um dia ainda serei capaz de matar e nem notarei.

O anjo de Gabriel - 01.Conhecendo Julia

O anjo de Gabriel.
Estamos em 2003, para ser mais exato, uma tarde de julho. Era uma tarde fria mas agradável, estava trabalhando há pelo menos 24h, incessantemente, tentando resolver um pequeno problema em um computador. Há muito tempo não virava uma noite na empresa e aquilo acabou com todo meu ânimo.
Mesmo assim, pude reparar em uma garota, algo que achei estranho porque nunca a havia visto na empresa, talvez ela tenha começado naquele dia, posso não ter sido apresentado porque não estava presente no momento em que o fizeram. Olhei para ela e no mesmo momento ela se virou para mim. Ela tinha olhos claros, verdes, mas um verde totalmente diferente, muito vivo.
Ela deu um leve sorriso e acenou, uma forma meio sem graça de cumprimentar alguém. Acenei de volta e me concentrei novamente em meu trabalho. Foi estranho, normalmente teria ido cumprimentá-la com um beijo no rosto e me apresentar antes de tudo. Não sei porque resolvi não fazê-lo, não fiquei imobilizado, apenas não tive a vontade de seguir meu ritual clássico de sempre.
Quando olhei novamente, não a vi mais sentada em sua mesa. Parecia ter sumido como um fantasma, até cogitei a hipótese de ter alucinado com uma garota tão bela na empresa. Nesse momento, senti uma enorme necessidade de tomar um café e me dirigi à copa.
Assim que entro na copa, ela estava ali, parada, mexendo calmamente o seu café. Assim que ela levou seus olhos aos meus, soltou um sorriso sem graça e continuou misturando o seu café. Aproveitei a oportunidade para me apresentar.

Uma ideia nunca morre

Palavras.
Milhares de palavras passam por nossa mente a cada segundo. Milhares de palavras são ditas. Muitas jogadas ao limbo, enquanto outras são guardadas a sete chaves dentro de seu coração. Alguns pensamentos incompreendidos não são lidos e interpretados em sua primeira vez. Talvez o ato falho de tentarmos ouvir o que outros tem a dizer seja o real motivo de tudo isso.
Algumas palavras ferem, outras consolam. Em determinados momentos, palavras não servem para nada. Em outros, são mais valiosos que ouro.
Essa é a grande razão para não deixarmos as palavras fugirem mesmo nos momentos em que deveríamos deixá-las. Algumas coisas são fortes demais, por isso nos impedem de apagar algumas palavras.
Cada palavra escrita em um texto, cada palavra articulada em uma frase, cada palavra de um pensamento, nunca deve ser em vão. Acredito que não sejam, acredito que por mais que não sejam ditas, essas palavras são sempre levadas em sua consciência.
Jogo diversas palavras ao longo de um dia exaustivo e estressante, guardo inúmeras delas também, a fim de não ferir quando não necessário. Mas não as meço quando penso em ferir, quando penso em abrir mais uma ferida.
Talvez, se um dia, pudesse me conter e guardar todas as palavras que tenho, somente para mim... Talvez, nesse dia, sim, nesse dia, talvez seja mais feliz. Se conseguir apagar diversas dessas em minha mente, também ajude. Preciso esquecer palavras como amor, carinho, paixão, compaixão... Não, talvez não precise ser tão severo assim.
Mas o que faço aqui, neste momento, é somente escrever meras palavras, sem sentido, sem rumo, sem significado profundo. Na realidade, nem mesmo sei o que retirou essas palavras proferidas aqui do fundo de meu subconsciente, apenas comecei a escrever, tudo isso por causa de uma frase que relembrei ontem, na realidade, uma ideia: "A ideia de que uma ideia é à prova de balas."

Mais um livro sobre pedaços de minha vida?

O anjo de Gabriel.
Para complementar o lançamento do prólogo desta que gostaria de chamar de "obra", diferente do "Minha pequena florzinha" que foi uma história de uma fração de minha vida, neste novo gostaria de inventar uma história. Quero concretizar meu pensamento inicial, antes de criar o "Minha pequena florzinha", minha ideia era criar uma ficção de um assassino com coisas relacionadas a internet, uma pequena ideia "divertida" que o pequeno pequerrucho e eu, tivemos.
Infelizmente, como nunca fui um excelente leitor e muito menos um bom escritor, decidi escrever sobre algo que fosse fácil. Para quem não tem experiência em criar histórias, acredito que contar alguma história da vida fosse o caminho mais simples e rápido para tentar ganhar alguma experiência.
Não que me sinta extraordinário neste momento ou confiante, mas quero arriscar em uma obra de ficção, é bom para relaxar. Escreveria sobre o assassino que imaginei em uma noite de loucura, mas achei melhor escrever sobre aquilo que talvez eu seja um pouco mais criativo, um romance. Não sou do tipo menininha que fica floreando seus sonhos com a pessoa perfeita mas sou um tanto quanto romântico demais para um único homem. Por essa razão escolhi escrever um romance. Claro que não serei um dos melhores, até porque, se fosse realmente bom com romances, acho que não estaria sozinho hoje.

Sonhos ou tormentos?

Não quero mais sonhar.
Depois de muito tempo sem nenhum sonho, noites de sono agradáveis, há um pouco mais de um mês, tenho sonhos constantemente. Sonhar não é algo ruim, pelo menos do ponto de vista da maioria, mas acordar ou dormir mal por conta deles é realmente ruim. Pelo menos não parece ser alguma loucura de minha mente, são em volta do mesmo tema mas são sonhos sempre diferentes.
Engraçado, quando era mais jovem, sentia como se os sonhos fossem pequenos avisos. Sempre sonhava com algo que aconteceria e realmente as coisas aconteciam, não iguais aos sonhos, mas muito próximos. Sonhava com o assunto em si e no máximo, uma semana depois, essa coisa acontecia em minha vida. Isso tirando todas às vezes que sonhei com mortes.
Quando adulto e depois que comecei a trabalhar com coisas que exigiam mais a inteligência que a força bruta. Chegava a sonhar com soluções dos problemas do trabalho. Qualquer coisa que parece um quebra-cabeça ou que não tivesse lógica, eu sonhava com a solução. E o mais engraçado que não era uma simples dica, era a solução completa praticamente. Era interessante mas ao mesmo tempo me fazia parar pra pensar.
Tudo bem, normalmente sonhamos com algo que estamos pensando muito. Coisas do trabalho, contas a pagar, problemas com a família ou problemas de saúde. Mas e quando sonhamos incessantemente com algo que tentamos não pensar? E principalmente quando tentamos não pensar, porque isso nos incomoda, por que sonhar nessa situação?
Acho que me matei tanto essa semana, estou fazendo coisas que me cansam de verdade e acabei dormindo cedo em pleno sábado. Dormi um pouco antes das 23h, coisa meio rara quando falamos do sábado. Tive um sonho meio estranho e por conta dele consegui levantar às 03:30h. Sinceramente, pelo cansaço que sentia ontem, não era pra eu acordar e principalmente desesperado. Me sentia sufocado, parecia que alguém tentara me sufocar. Despertei de tal forma que não conseguia mais dormir. Sentei no computador e comecei a vagar pela internet, vi uma mensagem no celular que chegou pouco depois de me deitar e notei que perdi de encontrar pessoas bacanas. Acreditei que aquela hora já seria meio tarde para responder e enviei um e-mail.
Ouvi diversas músicas, tentei escrever e não consegui. Tentava lembrar de cada detalhe do sonho e não conseguia. Às 7h senti que conseguiria dormir mais um pouco e me deitei. Dessa vez dormi um sono tranquilo, não acordei por causa de nenhum sonho, simplesmente acordei com o despertador.

O anjo de Gabriel - Prólogo

Quem nunca pensou que seria muito mais fácil terminar com sua vida ao invés de lutar contra seus demônios?
Acredito que todos já pensaram que a morte seria a melhor saída e a mais fácil, mas poucos tiveram a coragem para fazê-lo. Medo? Não, talvez não seja isso, apenas resolveram que tentar lutar seria melhor.
Olhando o mundo daqui de cima, diria que a morte não é algo tão simples de se desejar. Realmente é necessário ter muita coragem para arrancar a própria vida. Talvez, se tivesse escolhido outra maneira, seria mais fácil.
Continuo olhando para baixo, pensando no que me espera amanhã. Amanhã? Não é uma palavra cabível neste momento. Ouço somente o som do vento que corta minha alma em alta velocidade. Será que isso acabará aqui?

Próximo capítulo - 01.Conhecendo Julia.

Evergrey - Broken wings

Hora errada.

Os dias que nunca virão.
Queria poder ler mais você, ouvir sua voz, te encarar dentro dos olhos. Tudo isso porque queria saber mais de você, a queria mais presente em minha vida. É, mas nem tudo é como desejamos.
Não sei dizer que escolha foi feita para terminarmos onde terminamos. Não vejo razões para não termos nos conhecido de verdade. Talvez tenha sido o destino? Não, não acredito nessas coisas. Não foram as escolhas, porque não houveram escolhas, as coisas simplesmente aconteceram.
Pedi para que furassem meus olhos, assim nunca mais veria seu sorriso. Depois de um tempo descobri que ele já está impregnado em minha mente. Tal qual uma tatuagem, que pode apagar um pouco, pode borrar, mas nunca será esquecida. E quando, em um esforço maior, tento lhe tirar de minha mente, ela vem e me prega uma peça novamente.
A vida é algo muito engraçado, as coisas acontecem quando menos esperamos ou planejamos. Mesmo quando não almejamos algo, principalmente algo que um dia nos feriu como uma lança no peito, as coisas acontecem. Simples, é a única palavra para descrever tal acontecimento. Algo que talvez devesse significar muito menos do que a amplitude que se tornou. Somente em minha mente, sim, somente em minha mente.
Talvez esteja ficando louco, talvez esteja carente ou tenha algum significado que ainda não descobri. Gostaria que fosse apenas mais um acontecimento em minha vida, algo que simplesmente foi bom mas passou como um vento que tocou a alma. Mas gostaria mesmo que fosse só de passagem. Não impregnasse em nada, não ficasse na memória de forma tão grandiosa.
Ah se pudéssemos escolher o que sentir, talvez a vida seria menos complicada e trágica, de algum ponto de vista. Se criassem um botão para lidarmos com certas coisas, tudo na vida seria fácil. Claro, continuaríamos batalhando o pão nosso de cada dia, mas não teríamos que suplicar por certas coisas. Não necessitaríamos de orações, rezas ou qualquer coisa desse gênero. Um coração vazio não clama por nada, simplesmente continua vivendo cada dia como se fosse o mesmo, como se nada importasse.
A vida sempre pregará suas peças, deus sempre fará suas brincadeiras mas a vida continuará como sempre. Um passo foi dado, outro, recuado. Talvez não seja a hora certa para isso. Prossigo tentando respirar, acordar, sair desse marasmo, mas quando penso em tudo isso, tenho vontade de desistir. Preciso trazer meu espírito de volta, preciso retornar, ainda não descobri para onde, mas sinto que tenho que voltar para algum lugar.
Escrito ao som de "Closure" do Evergrey.

Evergrey no Carioca Club em 29/07/2011

Evergrey - São Paulo - 29/07/2011
Depois de quase 14 anos, fui ao meu terceiro show de uma das bandas de metal progressivo super bacanas, o Evergrey.
Achei que não assistiria esse show mas ganhei um ingresso de presente de aniversário de meus queridos amigos.
O Carioca Club, para quem não conhece, é uma casa onde rola mais pagode e samba, mas de vez em quando rolam alguns shows de bandas de metal um pouco menos conhecidas. Sim, o Evergrey não é tão conhecido quanto outras bandas no mesmo estilo, mas para minha sorte um amigo me apresentou e achei uma puta banda.
Há um bom tempo não ouvia, inclusive não ouvi os dois últimos álbuns: Torn e o Glorious Collision. Estava com medo que a banda não tocasse alguns dos clássicos dos primeiro 3 álbuns, que eram as músicas que conhecia e me fizeram gostar da banda.
Foram diversos sucessos dos primeiros álbuns e mesmo as músicas que não conhecia dos outros 3, foram somente sons bacanas que rolaram. Valeu cada minuto ali e se me perguntassem se gostaria de ir novamente no dia seguinte, com certeza estaria lá.
Set list

Leave It Behind Us
Monday Morning Apocalypse
As I Lie Here Bleeding
The Masterplan
Rulers of the Mind
Mark of the Triangle
Wrong
Blinded
Solitude Within
Nosferatu
I’m Sorry
Frozen
When the Walls Go Down
Recreation Day
Broken Wings
A Touch of Blessing

Você é a favor do aborto? Por que não é parceiro do YouTube?