Reformas

Acho super bacana sempre fazermos reformas em nossas vidas. Para alguém que tem um blog, é muito importante sempre manter uma casa bonita e cheia de novidades.
É sempre complicado o início da brincadeira, pois ficamos nesse impasse desgraçado de qual o melhor template, a melhor visualização, as cores, as letras e diversas outras coisas.
No entanto, primeiramente eu pensaria: "Por que ter uma casa bonita se nem sei falar ainda?". Vamos pensar um pouquinho? Façamos primeiramente uma reforma na língua portuguesa, sem conjuLgar, por favor.

Pequenas alterações, grandes mudanças

Faço uma alteração pequena, vou apenas inserir um registro em uma tabela que não é acessível ao usuário. Crio um parâmetro novo, super bacana, vou deixar o cliente super feliz. Despacho essa alteração para permitir que outra pessoa puxe-a e adicione essa nova alteração para o cliente.
Um pacote novo de atualização é enviado ao cliente. Este recebe com toda satisfação do mundo e vai instalá-lo em seu computador. O cliente vai testar a nova alteração e percebe que começa a ocorrer um "erro" na tela, assim do nada.
Uma correção é feita, a pequena alteração que antes adicionava um registro com a palavra "chupeta", agora inserirá a palavra "babador", até aí tudo bem. Outra vez o negócio é liberado para envio ao cliente. Novo pacote de atualização feito, disponibilizado ao cliente e de repente... PAM! Deu "erro"!
Outra pessoa foi atrás do problema, essa pessoa nota que foi feita a correção, para quem não tem o registro na tabela e para os que tem, já sabem a minha frase. Nesse momento fico imaginando, aliás, tentando imaginar o que se passou nessa cabecinha linda. Por isso eu digo que se um dia sair, não mexerei mais com sistemas dessa empresa, deve haver algum tipo de maldição que faz com que tudo que se aprendeu, seja esquecido. Nessas horas fico tentando imaginar como posso deixar de olhar código fonte e cuidar somente do meu trabalho.

O que ser global?

Existem 4 tipos de pessoas a serem tratadas no sistema. Preciso copiar alguns dados desses 4 tipos de pessoas, a grande maioria são dados comuns. Preciso receber em uma variável 4 valores diferentes, mas 1 de cada vez, ou seja, quando estiver compartilhando um cliente, não tenho como ao mesmo tempo fazer um prestador.
O cara cria uma variável, com um nome que indica ser do cliente, digo-lhe que faça uma variável mais global, coisa que sirva para todos os que utilizarão essa função. O papo foi mais ou menos assim.

Eu: Então, crie uma variável global.
Patata: Crio uma variável para cada tipo de pessoa então?
Eu: Global. Entendeu?

Palavrões, abandoná-los ou não?

Há algumas semanas atrás estava pensando em criar um blog diferente, na realidade, não criar mas modificar a linguagem que utilizo em minhas revoltas. Pensei seriamente em eliminar os palavrões, as palavras de baixo calão que mais fazem parte do vocabulário que qualquer outra coisa.
Mas cheguei a pensar pois existem algumas mulheres que lêem este blog e não acho muito bonito elas ficarem aprendendo palavrões comigo, principalmente porque não tenho papas na língua e solto os piores verbos já escritos na face da terra.
Tenho realmente um problema muito sério desde minha infância, acho que antes de aprender a falar papai e mamãe, aprendi a frase: "Vai tomar no cu". Claro que tive uma excelente educação dada pelo meus pais, mas sempre fui um rebelde sem causa, então desde pequenininho utilizo de palavras que não só servem para ofender como também servem para quantificar certas coisas.
Mas de fato, quem me conhece pessoalmente diria que se não houvesse pelo menos um "caralho", escrito em algum post, com certeza este blog perderia a identidade, provavelmente pessoas duvidariam que estivesse sendo escrito por mim. Porque isso faz parte da minha cultura, faz parte do meu vocabulário, é o meu "jeitinho meigo" de me expressar quando estou muito puto da vida. Mesmo me segurando ao máximo, até mesmo perto de crianças acabo soltando um ou outro palavrão, é inevitável, é impraticável um Yama que não fale palavrões.
Quem sabe um dia eu reflita, ou cresça para alguns, e deixe de falar um pouco, aprenda a ser "educado" como a maioria que prefere seguir "a moda". Mas por enquanto, é como meu camarada comentou, realmente este blog perderia a identidade. Então mulheres, me perdoem pelas minhas palavras.

Perseguição das velhinhas

Olha, eu não trabalho vestindo social, nem camisa, muito pelo contrário, fico mais parecendo o "office-boy" da empresa do jeito que me visto, nada contra eles é claro.
Me visto com camiseta preta, calça social preta e uso tênis, tenho tatuagens à vista, pareço realmente um maloqueiro andando na rua, existem mulheres que até seguram a bolsa mais próxima de seus peitos e outra até atravessam a rua quando me vêem caminhando pela calçada.
Mesmo assim, deve ser carma porque não tenho paciência com idosos, eles insistem em me dirigir a palavra no elevador. Mas hoje foi mais engraçado, o modo imperativo que a "dondoca" sem dente utilizou foi realmente muito cômico: "Aperta o 4º, vou no 4º andar". Fiquei em silêncio, outra senhora entrou no elevador e comentou que também iria no 4º andar, mas não mandou ninguém fazer nada. Comentei que era só apertar atrás, que ela estava na frente do painel.
Uma amiga do escritório estava junto e olhou para o meu sócio e deu risada, do tipo: "Coitada da velhinha", olhei para ela e fiquei em silêncio pensando: "Mas eu tenho cara de acessorista?".

Noção de tempo

Sábado estava numa boa, bebendo cerveja com meu irmão e uns camaradas praticamente irmãos. Um camarada comentava o quanto o trânsito estava ruim nesse sábado, que para ir da Teodoro até a marginal estava um caos e que para ir daqui até a Teodoro também havia sido um caos.
Nisso um outro camarada comenta que preferia ir até a Teodoro Sampaio pela Consolação. Nesse momento comentei que é meio complicado, muita volta e etc. Nisso o camarada me lembra que fomos há um tempo atrás pela Consolação, perguntou se eu lembrava, respondi que sim, só complementei que esse outro dia só faziam 4 ou 5 anos.
Me lembrei hoje disso porque estava conversando com o pequeno pequerrucho algo também super parecido, que outro dia fazíamos não lembro o que, só que esse outro dia também só fazem uns 6 ou 7 anos. Coisa de gente velha mesmo, perder totalmente a noção do tempo e espaço, ô idade que pesa em tudo.

Sempre exibir sublinhado no Windows XP/Vista

Hoje o pequeno pequerrucho me lembrou de algo que não via há muito tempo, como habilitar o sublinhado nos menus dos programas no Windows XP. Porque é um pouco chato você ficar toda hora apertando a tecla ALT para poder ver o sublinhado e poder acessar o menu desejado apenas utilizando o teclado.
Como isso era padrão em versões anteriores do Windows, a Microsoft mesmo deixando sem exibir a todo momento as teclas de atalho, permitiu que fosse configurada a gosto do usuário.

- Windows XP

Clique com o botão direito do mouse na área de trabalho e selecione propriedades de vídeo. Em seguida vá até a aba aparência e clique no botão efeitos.


Desmarque a opção "ocultar sublinhados para navegação do teclado até eu pressionar a tecla Alt". Alguns programas necessitarão serem fechado e abertos novamente para assimilarem o novo efeito.



- Windows Vista

No Windows Vista vá até o painel de controle e clique em facilidade de acesso.


Em seguida clique na opção central de facilidade de acesso.


Depois clique em facilitar o uso do teclado.


Selecione a opção "sublinhar atalhos de teclado e teclas de acesso".


No Windows Vista, em algumas janelas normalmente são apresentados "links" diretos caso você já tenha acessado pelo menos uma vez algumas das opções. Aqui ensinei o caminho passo a passo, mas como podem ter notado na primeira figura, ao lado esquerdo, o meu já possui o atalho direto para "sublinhar os atalhos de teclado e as teclas de acesso".

Velhinha simpática

Dou parabéns ao meu sócio, que comemorou seus 31 aninhos no domingo. Dentro do elevador ainda comento que ele não tinha do que reclamar que estava em uma situação melhor que a minha porque ele já tinha um apartamento e tal.
De repente, uma senhora que está conosco no elevador, dá uma risadinha e comenta: "Tenha fé meu jovem que você também terá.". A simpatia dela era tão grande que até desencanei de responder de uma forma mal educada.

Pensei em você...

Estava eu em minha mesa trabalhando, procurando uma solução para algo praticamente insolucionável. Olho a hora no relógio do computador. Era aquele horário básico que me persegue como um aviso, como uma meta a ser alcançada. Nesse exato momento, pela lembrança da hora, penso em você, fico tentando imaginar por onde andas e o que estava a fazer naquele momento?
Sinto falta da sua visão em minha frente, do teu abraço, do teu carinho. Sinto falta de nossas conversas engraçadas, as sérias, as brigas, tudo que passamos durante diversos anos de nossas vidas. Sinto falta das festas em família, das festas com o pessoal do teu pai, das visitas a sua avó, do papo bacana dos teus tios e tias, sinto muita falta do teu avô. Logo que penso nisso, me vem algumas lembranças dos bons tempos, reuniões familiares em praticamente todos os feriados, e mesmo não gostando muito de festa ou reuniões em família, me fazia feliz passar todos aqueles momentos ao teu lado, cada minuto, cada segundo, cada beijo escondido.
Falando em beijo escondido, até hoje acho engraçado como algumas coisas aconteceram em nossas vidas, como ficaram algumas coisas. Algumas brigas eram engraçadas também, outras eram mais profundas, mais tristes, mas mesmo assim, sempre que fazíamos as pazes, me sentia a pessoa mais feliz do mundo. Cada reencontro depois de uma briga era o melhor do mundo, cada sorriso ou lágrima em tempos de guerra, valeram a pena, mesmo em alguns casos tendo sido por motivos banais, coisa normal, afinal de contas, estávamos aprendendo muitas coisas sobre a vida a dois.
É uma pena nossos caminhos terem se dividido, foi realmente uma pena cada um ter seguido um caminho diferente. Talvez era isso mesmo que deveria acontecer, talvez seja algo para aprendermos ou simplesmente porque quisemos assim. Talvez tenha sido o melhor ou talvez o pior, o que importa mesmo são todas as lembranças que carrego até hoje dentro de meu coração e sei que isso não será tirado de mim.

Esquina da Cubatão com a Estela

Na semana passada reparei que o trânsito para cruzar a Rua Estela, para todos os motorista que trafegavam pela Rua Cubatão, estava um tanto quanto ruim no horário do almoço. A hora que chegamos ao cruzamento citado, notamos duas presenças estranhas, haviam dois "oficiais" do CET cuidando do tráfego de veículos. Acredito que isso cause mais lentidão que qualquer outra coisa.
Não entendi até agora o motivo dos dois estarem ali, até porque o semáfaro estava funcionando corretamente e a única diferença que notei no tratamento do trânsito é que os dois ficavam acenando para que os carros passassem.
Foi bacana, porque com isso o pessoal evitou de cometer a infração básica de virar a esquerda na Rua Estela, no local onde já comentei e fotografei um cidadão indo contra a lei. Achei bacana também quando um dos "oficiais" flagrou um motorista adentrando a Rua Cubatão utilizando seu aparelho celular, logo que fora visto, o "oficial" puxou seu "bloquinho" e provavelmente mutou o infeliz, comentei com euforia o fato.

Nova batalha da NF-e

A partir de amanhã diversas atividades passarão a emitir suas notas fiscais no modelo NF-e, serão obrigadas a deixar a emissão em papel e somente emitir suas notas eletronicamente.
Muitas empresas já correram muito tempo antes do prazo para efetuar a implantação do novo sistema, mas vejo que muitas ainda estão a deriva, estão totalmente perdidas em relação a NF-e. Já sei que terei muitos problemas pela frente, a grande maioria são problemas de cadastro, mas existem ainda alguns casos raros que não se enquadraram ao sistema e estou correndo para que seja possível emitir corretamente suas notas.
Espero que todas empresas que não entraram em fase de testes antes, tenham a sorte de não terem muitos dados fora do padrão exigido pela NF-e, isso já facilita muito a implantação desse novo formato. Bom, só amanhã descobriremos o que ocorrerá de fato e o tanto de retrabalho que teremos pela falta de informação da grande massa.

Vamos ajudar na preservação do meio ambiente?

Depois de ler uma matéria super interessante na INFO desse mês, resolvi aderir ao movimento verde que todos andam falando há um bom tempo. Me surpreendi com as estatísticas tiradas sobre o aumento da temperatura no planeta e principalmente sobre o excessivo aumento que provavelmente ocorrerá daqui 10 anos se não pensarmos em fazer algo hoje.
Como a própria matéria ensina, existem diversas coisas simples que podemos fazer para ajudar na preservação do planeta. Já havia aderido a uma delas, não com essa intenção é claro, mas já não deixo mais meu computador pessoal ligado o dia inteiro durante a semana, passei a utilização zero, como estava acessando e utilizando muito pouco resolvi desligá-lo de vez durante o dia, ele agora só fica ligado mesmo nos finais de semana e mesmo assim ao dormir eu desligo-o.
Outras coisas básicas como evitar impressões desnecessárias ajudam e muito no movimento. Outro comentário da matéria diz que as administradoras de cartões e outras empresas que enviam boletos para que seus clientes efetuem seus pagamentos de contas, passarão a efetuar a cobrança eletronicamente, se bem que hoje já dispomos da opção de deixarmos de receber a fatura em papel. Isso com certeza será o segundo passo que darei para diminuir o uso abusivo e desnecessário de papel.
Outra coisa que pode muito bem ser adotada na própria empresa é desligar o computador ao sair para o almoço, prática que me desabituei depois que passou a crise do "apagão", nem mesmo desligar meus monitores eu desligava. A partir de hoje comecei a desligar o micro, não tem porque deixar 1h consumindo energia desnecessária sendo que levo menos de 1 minuto para tê-lo ligado novamente.
Vou fazer um movimento dentro da empresa para começarmos a aderir a esses pequenos detalhes, coisas supérfluas que mesmo parecendo pouco, pode se tornar muito no período de 1 ano. Fora a economia de energia e de gastos desnecessários, estamos ajudando o meio ambiente.

Megadeth & Cristina Scabbia - A tout le monde


O que mais gostei foi...

Apesar de todo trabalho que tive para fazer esse novo template, mesmo não partindo do zero é bem trabalhoso fazer certas modificações. Mesmo diversos recursos bacanas que criei, como o envio para o Twitter, o que mais gostei no template foi a coisa mais simples que fiz, a data no post-it junto ao título dos posts.

Enquete - Qual resolução você utiliza?

Graças ao Google Analytics, voltei a idéia de ter um template em 1024x768. Isso porque ele mostra as resoluções utilizadas pelas pessoas que acessam o blog.
Quase criei um template que seria melhor visualizado em 1280x1024, mas no último minuto resolvi voltar e refiz todo o template na resolução anterior.
Poderia ter realmente desencanado e ter feito um template com resolução maior, mas pensei um pouco como bom marketeiro e segui a grande massa que move o blog. Se a maior parte das pessoas utilizam uma resolução mais baixa, não teria sentido criar um template para uma minoria que está em segundo lugar. Apesar das grandes mudanças em termos de monitores, melhoria nas tecnologias, muitas pessoas ainda utilizam a resolução 1024x768 fora alguns que ainda utilizam resoluções mais baixas.
Claro que a resolução maior não iria interferir muito na leitura do blog, mesmo aumentando bem, pensei nos leitores e fiz com que a coluna dos posts ficasse visível até em resolução menor que 1280x1024, mas mesmo assim achei que ficaria melhor não criar a barra de rolagem horizontal no browser das pessoas. Mas no final das contas, essa enquete que foi criada mais me enganou do que qualquer outra coisa. Por essa razão, caros visitantes, votem, vocês tem a opção de opinar e ajudar nas melhorias deste blog.

Novidades

Pensando sempre em melhorias para os leitores, acabo de lançar o novo "template" deste blog. Como podem notar o blog está totalmente de cara nova, mudei o template pedindo opiniões de diversos leitores com quem tenho contato, também fiz muitas leituras e estudos para chegar nesse novo formato para que seja agradável a quase 100% dos leitores.
Claro, é praticamente impossível agradar a gregos e troianos, mas fiz o máximo para agradar a grande maioria. Bom, pelo menos agradou muito a minha pessoa, pois o fundo branco com letras em preto facilitou muito minha leitura. Fiquei realmente um pouco triste em perder aquele template ao qual eu era praticamente apaixonado, pensei que nunca o mudaria, mas depois que passei a fazer algumas leituras neste blog, percebi o quanto era cansativo ficar lendo diversos posts em sequência.
Por essa razão, e como sempre devemos melhorar a cada dia, cheguei nesse novo formato. Espero ter realmente agradado a grande maioria e que todos continuem visitando este blog que conta um pouco do meu cotidiano desastroso e traumático. Espero conquistar novas visitas, claro que não é meu foco principal, mas é sempre agradável descobrir que o número de acessos aumentaram. Minha últimas palavras: "Obrigado à todos que me acompanham.".

Maconhado

Agora entendo porque as pessoas não conseguem deixar de "gerundiar", eu consegui escrever "conjulgar", por favor, me batam.

Fim dos dias

Parece que cada vez mais nos aproximamos do fim, não sei de que, mas ando com sensações estranhas, e não são no meu pau.
Todos os dias passamos pela mesma rotina, as mesmas coisas, a mesma vida, claro que não fazemos nada para mudar isso e ficamos reclamando do mesmo jeito. Mas o que fazer para mudar cabeças duras? O que poderia ser feito para transformar pessoas deficientes em seres eficientes? Faço essas perguntas, entre outras, todas as noites antes de dormir.
Da mesma forma que tenho vontade de mudar a minha pessoa, as que estão ao meu redor ou o próprio mundo, tenho também muita vontade de deixar tudo isso de lado e desistir. Tem horas que sinto que seria muito mais simples desistir e partir para novos horizontes, buscar novos desafios, porque lutar contra o tempo é praticamente impossível.
Por que lutar contra o tempo? Não, infelizmente não estou com câncer, pode tirar esse sorriso de seus lábios. Lutar contra o tempo porque sabemos que existem coisas que nunca mudarão, do mesmo jeito que pedra sempre será pedra e água sempre será água. Sinto que estamos muito próximos do fim, não sei que fim será esse, apenas tenho sentido isso como disse no início do post.
Quando pensamos que as coisas melhorarão, elas pioram de vez, quando algo parece estar se amenizando, resolve estourar de vez. Não entrei para área de TI para brincar de bombeiro, que vive apagando incêncio. Entrei porque almejei algo grandioso, criações maravilhosas, mas no entanto, às vezes sinto que escolhi a profissão errada ou apenas trabalho com pessoas que me deixam com esse sentimento. Ainda não descobri o que de fato anda me fazendo pensar dessa maneira, apenas estou deixando as coisas caminharem e seguirem seu destino.
Não estou mais brincado de atirador de elite, não tento mais ser top de linha, não tento mais ser o número 1, nunca fui, nunca serei e nem espero mais ser. Apenas quero viver uma vida regrada, como todo mundo espera, só quero trabalhar como um ser humano normal, ter uma vida normal, um emprego normal, um salário normal e apenas ser um profissional normal. Cansei desse negócio de tentar lutar contra fantasmas, contra sombras, apenas quero conseguir ser como os outros, não me preocupar tanto se conseguirei resolver algo ou não, apenas tentar sem muito sacrifício e se não conseguir, não importa, o salário estará na conta no final do mês mesmo.

Ele seguiu seu destino

Acho que finalmente ele seguiu seu destino, como todo bom panetone, ele foi comido. Que dó...

Pensamentos

Espere pelo homem que te chame de linda em vez de gostosa...
Que te ligue de volta quando você desligar na cara dele...
Que te beije e diz que te ama, no meio de uma discussão...
Que deite embaixo das estrelas e escute as batidas do seu coraçao...
Ou que permaneça acordado só para observar você dormindo...
Que te faça cafuné enquanto você dorme...
Espere pelo homem que te beije na testa...
Que queira te mostrar para todo mundo mesmo quando você esta feia...
Um homem que segure sua mao na frente dos amigos dele...
Que te ache a mulher mais bonita do mundo mesmo quando você esta sem nenhuma maquiagem...
Aquele que te lembra constantemente o quanto ele se preocupa com você...
E que sempre diz o quanto ele é sortudo por estar ao seu lado...
Aquele que vire para os amigos e diga: "É ela!"
E aquele que vira para você e diz: "É você! A mulher da minha vida!"

Quem lembra da RD350 que pilotei?

Quem se lembra quando postei algumas fotos de uma RD350 da Yamaha que um camarada comprou? Pois é, ele reformou a amiguinha e ficou show. Eu pelo menos achei chapada.

































Post: http://pequenosdetalhesdavida.blogspot.com/2009/04/yamaha-rd350.html

Você tem medo de substituição tributária?

Existe no sistema em que trabalho o tratamento da substituição tributária do país, inclusive atendemos a mais nova regra que inclui o IVA.
Muito clientes tem problemas para conseguir configurar suas situações, pois cada um trata de uma determinada forma, normalmente os mesmos acabam entrando em contato para que seja auxiliados.
O mais engraçado é quando aparece um erro, ou algo que poderia ser um, acredito que ninguém nem ao menos lê atentamente o negócio quando existe a palavra substituição tributária no e-mail. Fico imaginando a cena quando o cara recebe um e-mail com esse assunto, ele levanta da cadeira, puxa os cabelos como se quisesse arrancá-los, saí correndo de sua mesa e se joga contra a parede. Logo em seguida, ele se recupera, pega o e-mail e encaminha para o trouxa do desenvolvimento.
O trouxa olha, analisa, pensa, repensa e fica na dúvida se realmente existe um problema ou se é apenas uma dúvida. Levanta-se, vai procurar quem pediu para que ele olhasse aquele e-mail e pergunta: "Alguém testou? Alguém viu o problema acontecer?", quem adivinhar a resposta ganha um chocolate.

Como é que é?

Depois do lançamento do panetone, temos o novíssimo "panetônis". No momento em que vi isso no MSN já lancei um super slogan para ele.

"O panetônis está louquinho para ser comido!"

Pernas no meio do caminho

Bem na entrada da empresa colocaram um sofá, é necessário, imagine receber um cliente e deixá-lo em pé no meio da entrada da empresa. O mais engraçado é que sempre tem um monte de vagabundos desleixados sentados nele.
Não seria problema ocupar o sofá se fosse de maneira elegante, não é legal você ser pego de surpresa, por um cliente ou os donos da empresa, praticamente deitado, de olhos fechados e ouvindo som. Acho que o mínimo de bom senso vai bem nesse momento, mesmo sendo seu almoço ou pausa ou sei lá o que. Primeiro porque se aparecer um cliente, o que ele pensaria de uma pessoa como você?
Outro detalhe importante, a passagem não é tão larga a ponto de você esticar suas malditas pernas fazendo com quem todos que entrem tenham que prestar atenção no seu lindo pé. Tenha bom senso novamente e recolha a porcaria do meio da passagem, um dia alguém ainda passa e pisa propositalmente para quebrar seu pé, aí você verá o quanto seria bacana você não ficar com a sua maldita perna no meio do caminho.

Onde eu filtro?

Há algum tempo atrás uma pessoa chegou até minha mesa, questionou sobre como resolver algo e a única coisa que me lembro foi do comentário que o filtro deve ser feito no registro, que não utilizamos filtro no grupo.
Dias depois chega o comentário de que o negócio ainda não funciona, que funcionou no dia da correção mas agora não funciona mais. Comentou ainda que deixou o filtro e confirmei realmente que não fazia diferença pois nosso sistema limpa antes de passar um novo filtro.
Vamos verificar o relatório, conseguimos fazer um funcionar, vamos a pasta onde o relatório original está e continua não funcionando. Onde está o filtro? No registro. Típico 23, 20 anos de curso...

Será que eu seria capaz?

Ontem ouvi o melhor comentário de todos os tempos na hora do almoço. Conversando sobre minha revolta da semana passada, o que causou minha ausência na sexta e na segunda, um dos meus sócios comentava sobre o temor do meu abandono provindo de meus outros dois sócios, achavam que eu não voltaria mais a empresa.
Esse meu sócio que estava almoçando comigo disse ter outro temor, acha que é mais provável um dia eu entrar armado e atirar nas pessoas do que simplesmente abandonar a empresa e não aparecer mais. Não sei se posso dizer que ele é mais pé no chão que os outros dois ou mais louco, apesar de não faltar essa vontade.
Me questionei no momento em que ele comentou e até mesmo indaguei ele, perguntei se ele achava realmente que um dia eu poderia cometer esse ato insano. Ele disse que estava realmente falando sério, porque as pessoas no auge da raiva podem cometer cada ato sem pensar. Acredito nas palavras dele, realmente, quando estamos possuídos pelo ódio somos capazes de muitas coisas, mas ainda acredito que esteja são, pelo menos eu acho, acredito que conseguiria me controlar antes de cometer uma chacina. Essa história me fez lembrar desse vídeo dos dois garotos insanos de "Columbine".

Quero apanhar dela

Improvável - Só perguntas



Quer saber mais sobre eles? Acessem Improvável - Um espetáculo provavelmente bom.

Excelente alteração

Vamos brincar com lógica no visual basic 6. Crie uma variável global em um formulário, essa variável servirá para guardarmos a chave de um produto ou serviço que será inserido em suas compras.
Após isso façamos o seguinte, adicionamos um item a compra e a variável global que criamos assumirá a chave desse item. Em seguida adicionamos um segundo item a compra e novamente atualizamos o valor da variável com a chave do item.
Interessante, agora façamos o seguinte, sabendo que a variável global do formulário contém a chave do último item adicionado em nossa compra, façamos uma alteração no primeiro item, vamos alterar a sua quantidade comprada de 1 para 5. Nesse momento perceberemos que ele vai efetuar uma busca em uma outra tabela para pegar algumas informações do item para atualizar a compra. Para nossa surpresa, ele irá utilizar a variável global do formulário para efetuar essa busca, no entanto, a variável não é atualizada com o valor do item que estamos alterando, mas mesmo assim ela será utilizada para efetuar a busca. Será que teremos informações corretas referentes ao primeiro item?

Para que serve o campo assunto?

Comumente usado para nos comunicar, o e-mail facilita demais nossa vida. Imagine como seria a comunicação, hoje em dia, se simplesmente o e-mail deixasse de existir.
Como a etiqueta de e-mail não deve ter contemplado, vou fazer um pequeno comentário aqui sobre o campo assunto ou "subject" nas versões em inglês. Muitos devem se questionar: "Para que serve esse campo?". Explicarei de forma simples e objetiva, ele serve para colocarmos o assunto que o corpo do e-mail conterá, ou seja, ele serve para uma descrição breve, como um pequeno título, do assunto contido em seu e-mail.
Por essa razão peço-lhes que prestem muita atenção antes de enviarem um e-mail. Acredito que essa regra exista no post da etiqueta de e-mail, mas vale a pena ser relembrado, não esqueça nunca de colocar um assunto em seu e-mail, ele antecipa e nos auxilia a darmos prioridade ou não a determinados e-mails, apesar da existência do "flag" de prioridade.
Pensando dessa forma, venho aqui para ensinar-lhes mais uma regra, nunca enviem um e-mail com mais de um assunto. Se o campo assunto diz se tratar da fulana de tal, que seu e-mail contenha apenas coisas falando sobre a fulana de tal. Quer falar sobre mais um outro assunto, tenha em mente que o campo assunto deverá ser preenchido de forma que seja facilmente notado que o e-mail tratará de dois assuntos.

Frases do Orkut

Nem ia postar, pois como comentei provavelmente o Orkut não me dará uma nova frase. Mas essa vale a pena ser relembrada.

Sorte de hoje: Sua vida é limitada. Não perca tempo vivendo a vida de outra pessoa

Todos temos problemas

Eu vivo reclamando da vida nesse blog, vivo escrevendo coisas muito desagradáveis que acontecem no meu cotidiano, mas o faço porque criei esse blog exatamente para isso.
Todos temos problemas com mãe, pai, irmãos, cunhados, cunhadas, primos ou amigos. Todos temos problemas no trabalho, na rua, em um barzinho ou problemas de dinheiro, na realidade, a falta dele. Todos passamos por fases ruins na vida, mas sempre essas fases são passageiras.
As coisas podem não ficar a seu gosto, do jeitinho que você sonhou ou imaginou, mas podem ter certeza de que um dia melhoram. E tenha mais certeza ainda que se não melhorar, você fará algo para que melhore ou que mude. Só aprenda uma única coisa muito importante, os problemas te perseguirão onde estiver e em qualquer ano da sua vida. O que temos que aprender é como lidar com eles sem que eles interfiram em nossas vidas que estão a par deles.
Uma coisa que percebi com o passar dos anos é que sou um cara totalmente errado no quesito problema. Se tenho um problema no trabalho, que me deixa injuriado, acabo voltando para cada com uma injúria tão grande que é visivelmente notável a kilometros de distância. Minha feição muda totalmente, fico realmente com cara de quem quer matar alguém. Se algo que estava fazendo dava errado, eu ficava puto da vida e acabava descontando em pessoas que nada tinham a ver com o problema. Nos perguntamos: "Por que fazemos isso?", simplesmente porque as pessoas que mais amamos, estão mais próximas e sempre serão aquelas que querem te ajudar. Infelizmente, como estamos injuriados, acabamos punindo essas pessoas porque elas sempre serão as primeiras a tentarem descobrir o que você tem para tentar te ajudar.
Eu fazia isso com uma namorada que tive, hoje vejo nitidamente que sempre fui assim, ficava injuriado com ela mas na realidade a minha injúria era com o dono da empresa ou com algo que deu errado no trabalho. Ou um computador que parou de funcionar ou algo que não consegui entregar a tempo. E sempre acabamos descontando nessas pessoas mais próximas porque temos essa "liberdade" de dizermos o que queremos ou pensamos naquele exato momento. Isso é errado, porque acabamos magoando pessoas que não tem nada a ver com o problema que aconteceu no seu trabalho ou em algo que você tentava fazer.
Por isso hoje sou diferente, estou injuriado, chego injuriado e fico quieto até conseguir me animar com as pessoas que estão ao meu redor. Não tenho porque descontar minha raiva em meus irmãos, cunhadas, meu sobrinho ou minha mãe, se bem que ela quase nunca escapa, mas tento ao máximo não envolvê-los nisso, porque são as pessoas que amo e quero muito bem. Na realidade, uma pessoa que me ajudou muito com isso foi minha última ex, porque ficava irritadíssimo no trabalho com estagiários e quando eu chegava em casa e ligava pra ela ou conversava pelo MSN, ela que conseguia me acalmar e fazer com que tudo ficasse mil maravilhas, é a maldição do amor, isso conta muito. Mas é realmente por isso que devemos tomar muito cuidado em quem descontamos as coisas, pare e analise sua situação, será que você não está fazendo isso hoje?

Você é dependente?

Uma coisa que aprendi com o passar dos anos, isso porque não quis ouvir meu pai, é nunca contar com os outros. Claro que essa regra não se aplica à todas as pessoas que você conhece, sempre existe aquele com quem você pode contar até para te buscar no meio de uma guerra, tiroteio, terremoto, tsunami ou até mesmo no inferno.
Mas infelizmente hoje em dia vejo que em determinados momentos é melhor não esperar uma mão ser estendida ou alguma ajuda de grande valor. Principalmente quando você tem princípios totalmente diferentes das pessoas ao seu redor.
Claro que posso estar errado, posso ser radical demais, coisa que na realidade sou, mas sinceramente, ver pessoas se matando e outras apenas ficando na retaguarda esperando os respingos, não é fácil para quem não gosta desse tipo de coisa. Falar para não ser de tal jeito, não tratar as pessoas de determinadas maneiras, é fácil, porque no final das contas o único que está de pé quando todos já caíram são sempre os mesmos. Mas é claro que sempre existem aqueles que acham que estão fazendo demais, que acham que só porque dão mais a cara pra bater são "os caras".
Mas é engraçado, tem uma história que conto que é mais ou menos assim: o financeiro encontra um problema que não consegue resolver, pede ao suporte que o ajude, o suporte por falta de conhecimento acaba pedindo auxílio a um suporte nível 2, que tenta, faz de tudo para resolver o problema mas também não consegue. Recorre ao último setor da empresa, aquele setor que em muitas empresas é tido como o setor das "estrelas", os caras que acham que sabem mais que todos e por isso podem ter mais exclusividade. O problema chega esse último setor, mais conhecido como desenvolvimento e os caras tem que resolver de qualquer maneira, pelo menos na maioria das vezes que os problemas chegam eles já estão naquele nível, resolve ou você está fudido. O resto nem há necessidade de contar.
Nesse momento, depois de contar toda essa história, eu chego para o ouvinte e pergunto: "Para quem o desenvolvimento pede ajuda quando o negócio é muito complicado para ser resolvido?" Se todos acreditarem em deus, quem sabe seja possível pedir ajuda a ele e ficar esperando que algo aconteça, mas nem todos acreditam e todos que acreditam sabem que nada vem do céu, sabem que todos devem fazer sua parte e fazem o possível para se virarem. Por que isso? Por que eles tem mais conhecimento? Eles são mais inteligentes? São superdotados? Ou será que eles simplesmente não se dão por vencidos e vão atrás da solução ou o que for preciso para sanar o problema do financeiro? Não sei ao certo.
Hoje em dia entendo a revolta de alguns em relação a certas atitudes de algumas pessoas com quem convivemos, mesmo concordando com algumas opiniões não partilhava 100% de tudo. Concordava com algumas coisas, outras tentava enxergar pelo lado positivo, que na realidade a pessoa queria mesmo é ajudar e não ir contra ou qualquer outra coisa. A cada novo passo dado não consigo mais enxergar de forma boa algumas atitudes, não consigo enxergar como sendo boas algumas opiniões. Não sou dono da verdade, não tenho nem noção do que seja mover uma máquina como a nossa empresa, mas sei que ali ninguém sabe ao certo que rumo tomar. Todos querem consertar as coisas, fazer a roda girar novamente, mas ninguém nunca sabe como e nem tem idéias extraordinárias para tal.
Sei que tenho algumas atitudes que não deveriam tomar parte da postura que deveria ter, mas acho engraçado algumas pessoas que deixam de participar de certas coisas e esquecem o seu passado. Simplesmente apagam da memória ou como dizíamos nos bons tempos: "Vão para o lado negro da força". Outras pessoas tendem a pensar que cresceram, que se tornaram adultas e começaram a enxergar coisas que não enxergava antes de estar do outro lado, eu não consigo me imaginar sendo de outro jeito mesmo estando do outro lado. Sinceramente, algumas vezes tenho vontade de estar do outro lado, ouvir um monte de bostas, chegar para outra pessoas e dizer: "Se vira, é teu trabalho". A única pessoa com quem posso dizer isso é meu colaborador e mesmo assim no final quem se vira e dá o rabo, sou eu mesmo.
Mas não sou como sou porque sou estrela ou porque quero parecer saber mais que todo mundo, apenas odeio pessoas que não dão seu sangue pelo que fazem. Que ficam esperando milagres acontecerem, que ficam esperando alguém pegar em suas mãozinhas delicadas e ajudarem a resolver tudo. Imagine um cara desses tentando decidir se viaja pro exterior e fica um ano longe da família para melhorar a vida, nem assim consegue tomar uma decisão sozinho. Mas sou o que sou porque não tenho medo de falar o que penso e o que acho, sou desbocado, fui a vida inteira, não seria agora que seria diferente. Se é pra xingar, sou o primeiro a fazê-lo, não tenho mãos atadas, se já bati de frente com chefe, com dono de empresa, por que seria diferente com um colaborador que está ali para aprender e não quer nada da vida?
Mas como todos dizem, sou o errado, sou o cara que não sabe lidar com pessoas, não sabe valorizar aquilo de bom que elas possuem. Não sei se é felizmente ou infelizmente, mas realmente talvez não saiba, mas a vida inteira foi assim, não fico esperando reconhecimento de ninguém pelas coisas boas que fiz. Gosto mesmo de ser lembrado por tudo de ruim que já fiz, não porque seja rebelde, mas é para não amolecer e muito menos deixar de tentar fazer as coisas acontecerem porque fiquei acomodado por ser bem reconhecido. Diferente do que alguns pensam, que fico esperando reconhecimento, quando comentei sobre a merda do reconhecimento era para outras pessoas, se ficasse esperando isso já estaria em outro emprego há muitos anos. Então lhes digo, está esperando reconhecimento? Vá trabalhar na tv, vá trabalhar em uma ONG, na câmara dos deputados ou em qualquer puteiro.
Agora, acharem que é agradável ficar ensinando as mesmas merdas todos os anos, podem esquecer. Tem gente que acha que é o certo ficarmos ensinando para todo suporteiro que entra, as mesmas coisas que já foram ensinadas no passado, sendo que o cidadão tem onde procurar e entender, não vejo sentido. Até porque você ensina hoje um negócio e na semana que vem estão perguntando a mesma porcaria novamente. E novamente digo o porque disso, porque é mais fácil perguntar para o idiota do lado do que tentar procurar nos locais indicados para encontrar suas respostas. Hoje fico pensando o que teria acontecido ou como estaria a nível de conhecimento de minha profissão se tivesse esperado entrar em uma faculdade ou alguém me ensinar tudo que sei. Talvez estivesse vendendo plano de saúde...

Tipo... Como?

"Sou um cara que fabrico concreto e vendo para grandes construções. Tenho um sistema onde posso controlar minhas vendas e ordens de produção. Então hoje resolvi vender água mas mandei fabricar concreto para entregar."

Esse cara não é o popular vendedor, é suporteiro mesmo.

Eu que sou o imbecíl

Descobri hoje que o imbecíl sou eu, não são as pessoas a quem chamo de imbecis. Também descobri que não uma alteração de um tamanho razoável não deve ser testada, apenas informados os erros quando o cliente os informá-los, é mais fácil.
Aprendi que antes de testar eu não preciso entender o sistema para conseguir encontrar problemas. Também descobri que testar em um banco de dados do cliente, que tenho há mais de 5 meses, é o melhor banco de dados do mundo para efetuar testes.
Descobri que não há necessidade de pegarmos mais detalhes para tentarmos encontrarmos o problema quando não conseguimos replicá-lo. Sei que devemos abrir uma requisição técnica ou comunicar alguém do desenvolvimento mesmo que não encontremos o problema e nem tenhamos nos esforçado para tal.
Aprendi que devo passar o "problema" para frente ou para outra pessoa sempre que possível ao invés de tentar averiguar se realmente é um "problema". Já sei que não preciso me esforçar porque se eu não conseguir encontrar o problema, sempre terei um trouxa para encontrá-lo.
Resolver problemas, que estão ao meu alcance de serem resolvidos, não fazem parte de minha alçada, assim como entender o sistema também não faz. Aprendi que minha única tarefa é atender telefones, receber problemas e repassá-los a outras pessoas mais responsáveis e eficazes em resolvê-lo.
Sou praticamente uma secretária, estudo informática, mas não me importo com isso porque ganho meu salário resolvendo ou não o problema do cliente. Aliás, salário não, bolsa auxílio porque na maioria das vezes sou um estagiário. Conseguindo ou não resolver o problema, não preciso me preocupar em tentar aprender algo de útil da situação ocorrida.
Sei que a única coisa que sou obrigado a fazer, é comparecer na empresa e evitar ao máximo faltar. Isso garante que a empresa esteja sempre com a maioria das cadeiras ocupadas. E o mais importante que aprendi, não é porque outra pessoa encontrou vários dos erros que não encontrei, em um teste de 5 minutos que devo me preocupar, ela é realmente paga para isso e eu sou pago para atender telefone. E o Yama que é o imbecíl.

A única coisa que sei

É que hodômetro tem acento. E desconheço tranporte, procurei no dicionário mas não encontrei.
Aliás, na realidade, com as novas regras da nossa língua querida, não tenho mais certeza do que seja ou não acentuado. Mas ainda acho que hodômetro tenha acento.

Sobre conceitos

Você cria um conceito sobre determinada coisa, assim como um padrão, aquilo deverá ser feito de uma determinada maneira ou funcionar de uma determinada maneira.
Sem ao menos entender o por que, você faz mudanças que vão contra o conceito que você criou e interferirá na vida de outras pessoas.
Para que criamos as coisas se vêm outras para mudar o que não deveria ser mudado sem ao menos entender como de fato aquilo funciona?
Como posso efetuar uma mudança sem entender como algo deveria funcionar? Pergunte a melhor equipe de desenvolvedores, só não lhes indicarei quem são os melhores.

Frases do Orkut

É, acho que essa será a última frase postada repetida.

Sorte de hoje: Não conte cada hora do dia. Faça cada hora do seu dia valer a pena

Desenhando Spiderman no Photoshop

Quando a carapuça serve...

Conversando com um camarada hoje, me fez lembrar de um post que gostaria de ter escrito no sábado, na realidade há mais tempo, mas não conseguia lembrar sobre o que era. Em um simples comentário ele tocou bem no assunto sobre o qual eu queria dichavar.
O que seria tal assunto? Pessoas que se doem demais com posts alheios, até mesmo indiferente de ser em meu blog, mas em qualquer blog. Acho muito cômico quando a pessoa se dói, provavelmente porque ela faz a mesma merda mas acha "super normal". Ou senão por aquelas pessoas que não concordam com uma determinada opinião e querem escrever o mundo em um comentário no post.
É tipo assim, você não gosta da opinião de um escritor, você não lê seu artigo em uma revista, você não gosta da maneira como um escritor descreve algumas coisas, então você deixa de comprar seus livros, se você não gosta como um apresentador trabalha em um jornal, você deixa de assistí-lo, estou certo? É a mesma coisa com um blog, se você não gosta da maneira como a pessoa escreve sobre certos assuntos ou mesmo se você discorda totalmente e fica injuriado com isso, você simplesmente deixa de visitar seu blog e pronto.
Mas a vida é uma caixinha de surpresas, e as pessoas são uma desgraça, então mesmo não gostando, só para contrariar, vocês continuam visitando ou lendo aquilo que as deixam indignadas. Eu não compreendo esse tipo de atitude, sinceramente, não compreendo mesmo. Eu passei por uma situação em um servidor de Counter Strike em que não gostei do tratamento de um dos administradores do server, mas como a maioria dos meus conhecidos jogavam nesse server, eu apenas evitava jogar no mesmo time do indivíduo, não por birra e muito menos por mágoa, é porque não queria ter que xingá-lo. Mas existem pessoas que gostam de ser maltratadas ao extremo, que gostam de se exaltar e continuam navegando pelas mesmas praias onde além de não se divertirem, ainda se estressam, não sei nem como classificar esse tipo de pessoa.
Existe o lado da liberdade de expressão, blogs estão aí para isso e comentários tem o mesmo papel, agora querem criar uma guerra, uma pequena intriga ou qualquer similar, é sinal de que você está com tempo ocioso demais e está na hora de procurar o que fazer de sua vida. Vá ler um livro, vá chupar um pênis, vai dar o cu, mas não atormente aqueles que estão ali, na deles, apenas divagando com suas palavras ao mundo.

Se for data

Encontraram um problema curioso e vieram me questionar porque aquilo estava acontecendo. Fui olhar e comentei que só entraria naquele bloco caso a variável não fosse data. Tudo bem, depois do meu comentário veio me mostrar, mas olha a variável tem uma data.
Fui, fiz uma verificação do tipo da variável, era data também. Voltei e usei uma função que verifica se a variável é data, a mesma no bloco que faz a verificação, era data mesmo. Voltei na linha de código e comentei novamente que ele estava verificando se "NÃO" fosse data, ele sairia do programa. Depois disso veio um silêncio...

Super capacitado

Ultimamente as coisas estão tão boas aqui que mesmo sem encontrar um problema as pessoas abrem uma requisição técnica para consertarmos um problema que não encontraremos.
Fico feliz quando vejo requisições que tem a menção cara pau de que o problema não fora encontrado. O mais engraçado é imaginar se realmente a pessoa sabe como deveria funcionar o sistema. Pior é que muitas vezes não sabem e resolvem abrir uma porcaria de uma requisição técnica.
Sabem por que fazem isso? Porque é mais fácil jogar a bucha para outros encontrarem uma resposta do que tentar entender e concluir se é ou não um problema. Já tivemos esse tipo de problema com suporteiros, onde a grande maioria abraçava qualquer coisa que o cliente dizia ao telefone. É como eu disse há um tempo atrás, se for para ser garoto de recado, contrata umas gostosas que pelo menos alegra um pouco a galera.
O negócio está cada vez pior, ninguém toma uma atitude, e lhes asseguro que quando eu tomar uma atitude, vão reclamar que não é assim que funcionam as coisas. Não somente pela minha grosseria, virão com a "desculpinha" que não deram treinamento, que ninguém ensinou e toda aquela pataquada. Mas aí eu pergunto pro imbecíl filho de uma puta arrombada: "Tentou aprender ou perguntou algo pra alguém?".

Pessoas de idade e comentários em elevadores


Entra uma senhora no elevador que praticamente acuou uma garota no fundo do mesmo. Ocupou quase metade do espaço do elevador e não porque era gorda, mas porque era sem noção, deve ser coisa da idade.
A velhice fede e não só porque não gosto de velhos, deve ser também coisa da idade, porque a maioria das senhores que frequentam esse prédio fedem a alguma coisa. Acho que se alguém peidasse dentro do elevador ficaria um ambiente mais cheiroso.
Alguns segundos após a porta se fechar, a pobre senhora solta o comentário mais desgraçado do mundo: "Quer dizer que a gente que tem que apertar o botão?". A vontade que tive era de responder: "Não porra, o elevador vai adivinhar o andar em que a senhora irá!".

Onde encontrar aulas de interpretação de texto?

O povo precisa começar a estudar interpretação de texto. Todos reclamam que não foram ensinados, que não foram treinados. Todos sempre tem alguma desculpa.
Como implementamos algo novo, resolvi fazer um manual porque percebi que a maioria dos clientes estavam reclamando de algo que não é um erro e sim problema em seu cadastro.
Para que não tivéssemos mais esse tipo de reclamação, que acabava demandando um certo tempo para serem respondidas, criei um manual para não ter mais que perder tempo explicando o porque do "erro".
Infelizmente criei o manual em vão, porque ninguém leu e se leram não conseguiram entender, isso porque o negócio é tão simples quanto aprender o abecedário. Mas é isso aí, com pessoas desse naipe estamos bem felizes, porque ninguém aprendeu a ler mesmo, entraram para a faculdade simplesmente porque prestaram a porra do vestibular.

Coisas absurdas você só encontra aqui

O cara tem 5 subordinados, apenas ele trampa praticamente no setor dele. Até rola uma ajuda de um ou outro mas é esporádico demais. Precisamos ensiná-lo a delegar coisas para os outros, precisamos fazê-lo entender que ele não tem que abraçar e nem salvar o mundo, é praticamente impossível.
Mas colocar essa palavra proibida na empresa, em seu MSN, não fará nada mudar, só você pode mudar essa situação, então vamos juntos mudá-la. Vamos construir um ambiente para que você possa trabalhar da melhor forma possível. Se precisamos bater nas pessoas vamos bater, se precisamos criar uma guerra, criaremos uma guerra, mas deixar do jeito que está não tem jeito. No mínimo você fica louco ou desiste, e isso não seria tolerável por todos.
Eu ainda acredito e quero continuar acreditando, então vamos mudar o mundo para termos um pouco mais de tranquilidade, um pouco de paz. Quando criarmos um novo mundo, você não terá mais porque usar essa palavra proibida. Conte comigo nessa luta porque eu não suporte mais as coisas que andam acontecendo.

Como é que é?

Estou até agora pensando em como é possível trocar um "R" por um "O", principalmente pela distância entre as duas teclas. Mas é isso aí, faz parte da vida.

"...a inclusão de uma rotina que irá Leo os registros..."