Já se sentiu preso?

Perdido no meio do nada...Provavelmente já tenha escrito algo sobre o que direi hoje, claro, a vida é praticamente um erro cíclico de redundância, por essa razão acredito que já escrevi sobre isso. Depois de muito tempo sem me sentir ilhado, preso num calabouço, jogado nas profundezas do inferno ou qualquer outra coisa que lhe faça sentir que não tem mais o direito de ir e vir, é o momento em que aquela única coisa que gosta de fazer, não pode ser feita.
Sabe quando você tem vontade de trepar com a mulher e ela diz que está com dor de cabeça? E você, naquele puta tesão filho da puta, não tem o que fazer. Porque de duas uma, você traí sua mulher ou simplesmente se alivia de outra forma que não seja o ato impuro de trair. Da mesma forma me sinto quando fico sem meu computador, minha vida é a informática, tudo que necessito para fazer qualquer coisa do cotidiano está ali. Naquele monte de fios, lataria e mais trocentas tralhas que há dentro dele. Hoje em dia, não consigo mesmo viver sem um computador, na realidade, para ser mais exato, o meu. Qualquer coisa que me perguntam e não sei, vou consultar no computador. Se quero encontrar um endereço, consulto nele também. Qualquer coisa que faço dependo dessa máquina, coisa que antigamente, procurava apenas em livros.
Talvez seja algo realmente bom, a tecnologia nos proporcionou a velocidade, principalmente para adquirir conhecimento. A praticidade para as coisas diárias do cotidiano então, nem se fala, para quem já pegou uma fila enorme em qualquer banco e hoje em dia paga todas suas contas por internet bank, sabe do que estou falando. Não consigo me ver em uma agência bancária para pagar alguma conta, tanto que ao adquirir um serviço, se não houver a opção boleto, nem aceito. É engraçado pensar que um dia ia até uma biblioteca para poder fazer um trabalho escolar, quem dessa nova geração conhece uma biblioteca? Provavelmente, conheceu por causa de algum trabalho que teve que fazer sobre ela, porque qualquer trabalho que não seja para falar sobre uma biblioteca, provavelmente é procurado no grande google. Livros, de papel e tinta, ainda são procurados, mas noto que em raras ocasiões por pessoas mais jovens, normalmente vejo pessoas mais velhas ou alguns garotos(as) que gostam da leitura no papel, hoje em dia, com os eReaders, fica muito mais prático e barato comprar um livro digital.
Amo tecnologia, acho que de todas as profissões que já pensei em exercer na vida, foi a única escolha mais sensata que tive. Mesmo sem total noção do que seria ingressar para essa área, foi uma das melhores escolhas que já fiz. Primeiramente, porque algo que sempre gostei na vida, foi de quebrar a cabeça, de ter que utilizar raciocínio lógico para resolver as coisas. Nunca gostei de coisa que envolvesse o lado humano, qualquer coisa que saia do razão, que saia do exato, nunca me atraiu. Claro, mesmo sendo uma ciência exata, existem pontos não tão exatos assim. Mas de tudo que já estudei, das poucas coisa que tive oportunidade de ver no colégio ou de outra maneira, tudo que me atraia era sempre pro lado de exatas. Odeio essa coisa de talvez, odeio incertezas, odeio coisas que podem ser duas ao mesmo tempo.
Claro que minhas escolhas também ajudaram a provocar outros diversos problemas. A época já não era tão propícia para trabalhar nessa área, não se ganhava mais rios de dinheiro como 10 ou 20 anos antes de ingressar, mas quem liga pra dinheiro realmente? É, com o passar do tempo, aprendi que todo mundo liga pra dinheiro, só um idiota como eu acreditava nessa coisa de vestir a camisa porque gosto do que faço e foda-se se não ganho o suficiente para manter um padrão de vida que todos almejam. Se ainda sou assim? Em partes, na verdade, minto, sou completamente assim, ligo para dinheiro porque tenho dívidas para pagar, mas não faço as coisas esperando sempre um retorno financeiro. Se realmente ligasse apenas para isso, com certeza mais da metade do tempo que passei trabalhando teria passado jogando vídeo game ou poker. Essa minha escolha, trouxe muito estresse, porque existem muitos que tentam atuar nessa área como simples técnicos que não resolvem nada, pessoas que se aproveitam da oportunidade para tentar ganhar dinheiro em primeiro lugar, depois pensam se realmente gostam ou tem uma forte tendência para atuar nisso. São esses que fodem tudo, são esses que tiram a oportunidade de quem realmente gosta disso. São esses que me fazem o sangue subir até o tampo. Essa é uma das consequência de ter entrado para área, aumento da pressão, do estresse, porque o trabalho em si não é tão complexo, o problema são sempre as demais equipes ou pessoas de quem dependemos para a engrenagem funcionar 89%.
Como presenciei hoje, num comentário inútil, algumas pessoas tem o pensamento de que estão ganhando dinheiros para seus "chefes" encherem o cu, mas raciocione apenas um pouco, mesmo o "chefe" mais filho da puta do mundo, é esperto e sabe que as coisas não funcionam assim em uma empresa. Não digo que não existam caras assim, mas a maioria que é realmente um bom empresário, não tem esse pensamento de ganhar dinheiro e não compartilhar com os demais. Os mais idiotas ainda tem o pensamento de que alguns são gananciosos demais e apenas pensam em si, mas uma empresa onde seus colaboradores estão totalmente insatisfeitos, não funciona. Por isso digo que se o "chefe" está ganhando bem, não tem sentido, seria uma cagada ele não compartilhar com o pessoal da ala que realmente faz a engrenagem rodar. E escrevo "chefe", entre aspas, porque como diria um grande amigo e sócio, quem tem chefe é índio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário