A graça da desgraça.

Sarah Silverman.

Estava pensando, muito pouco, mas tentei muito analisar os motivos que fazem meus vídeos tirarem risadas de diversas pessoas. Mas só parei pra pensar nisso porque não faço vídeo nessa intenção e mesmo assim, algumas pessoas, dizem que deram muitas risadas com o vídeo. Me sinto um tanto quanto idiota ao ler isso mas ao mesmo tento imaginar o que os levam a isso.

Tentei diversas vezes escrever para realmente tirar risadas das pessoas mas nunca consigo achar um texto meu engraçado, acho básico, praticamente sem graça. Lembrei dos bons tempos, quando uma de minhas cunhadas lia meus textos sobre as reclamações do trabalho, e ela sempre dizia dar muitas risadas ao ler meus textos. Mas ela sempre frisou em um detalhe importante que era me imaginar falando o texto. Não foi por isso que comecei a fazer vídeos mas me despertou diversas ideias de como fazê-los. E quem disse que é fácil ser natural e falar como se estivesse conversando quando se fala apenas para uma câmera?

Não sei exatamente ser engraçado, não me esforço para isso, apenas me utilizo de ironia e sarcasmo no cotidiano, o que acaba rendendo algumas poucas risadas, mas isso só acontece naturalmente, não penso para falar, simplesmente é o meu jeito de "reclamar" de certas coisas. Sempre que tento escrever um texto, ultimamente, mais ou menos na forma como eu contaria algo para alguém sobre o meu dia, não consigo soar natural como se estivesse em uma conversa de bar.

Mas nem sei por que resolvi escrever novamente sobre não conseguir escrever humor, na realidade, o foco principal era compreender o motivo que levam algumas pessoas a rirem de meus vídeos. Não, não dão risadas porque pareço um palhaço, aliás, acho que não. Sinto que muitos riem das situações absurdas que acontecem comigo. Isso me lembra repetição, sabe aquela "piadinha" que alguns repetem três ou quatro vezes seguidas e mesmo assim as pessoas dão risada? Rir da desgraça alheia é algo normal, sempre fiz isso, e noto que muitos também acham engraçado. Claro, o fato é que a forma como conto talvez deixe a coisa engraçada, porque no momento com certeza não foi.

Queria falar mais sobre isso mas já devem ter notado que estou meio perdido no meio de diversas ideias. Ao mesmo tempo em que escrevo este texto, fui responder um e-mail, respondi uma pessoa, tweetei, aceitei alguém no facebook e trabalhar que é bom... Ah, não me critiquem, não tenho realmente o que fazer no escritório e por isso resolvi escrever para vocês. Prometo me concentrar mais no texto da próxima vez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário