O ex-andarilho

A canela moeu, mas a panturrilha está perfeita.Costumava caminhar durante 30 minutos todos os dias, era a rotina de volta para minha humilde casa. Saia do escritório e caminhava o percurso de 30 minutos todos os dias, fazia questão de ir embora caminhando para não ter que esperar o ônibus que demorava mais que o tempo que levaria para chegar em casa. Acho que isso ajudou muito no enrijecimento de minha panturrilha e no gosto pela caminhada.
Depois que adquiri minha motocicleta, não tenho caminhado muito, mas sempre que podia, saia a passeio para o bairro Liberdade para caminhar e comer. Mas nem mesmo isso consigo mais fazer nos dias atuais, o cansaço da semana acaba matando o final de semana, escondo-me em meu quarto e só saio para ver meu sobrinho ou meus irmãos e cunhadas, não faço praticamente nada nos finais de semana.
Há 2 dias estou voltando para casa a pé, problemas com a motocicleta, aparentemente nada grave, mas estou sentindo que voltei a caminhar como antes, forçando demais a pisada, desenvolvendo uma leve dor em minha canela. A cada passo que dava, tinha vontade de aumentar cada vez mais a velocidade no intuito de chegar logo em minha casa. Não haviam motivos aparentes, apenas a vontade de chegar em casa. Não estava com fome, com vontade de ir ao banheiro ou qualquer outra coisa, só queria voltar logo. Andei tão depressa que causei uma pequena lesão muscular na canela, vira e mexe isso acontecia quando eu voltava para casa ou quando fazia minhas caminhadas na esteira da academia a quase 5 ou 6 Km/h.
Mas é uma sensação boa essa leve dor, é uma sensação gostosa de alívio, vi alguns prédios que não havia visto quando passei de motocicleta na mesma rua que passei no domingo, percebi alguns rostos conhecidos pela passagem, mas não parei para não atrapalhar a conversa e também minha caminhada. A única coisa que fazia é andar e andar... É legal quando fazemos isso, porque quando tiramos o calçado, temos uma sensação de alívio tão grande, tão gostosa, que faz a caminhada ter valido a pena.
Por sorte minha cunhada e meu irmão ainda não haviam jantado, apesar da fome quase inexistente, precisava comer para aguentar o dia seguinte, então pedimos uma pizza maravilhosa e me afoguei em quase 1 litro de coca-cola, fiquei feliz ao final da refeição. Fiquei na porta conversando, comentando coisas importantes, pensando na vida, lamentando algumas perdas, reclamando de outras, mas só coisas que fazem parte da desgraça da maioria das pessoas. Coisas da vida. E vamos pegar ônibus pela segunda vez essa semana, essa parte eu não faço questão alguma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário