Eu mataria com certeza

Pego o elevador para descer, ele para no sexto andar e assim que a porta se abre, inicia-se o diálogo.

Zé: "Vamos Maria. Vamos Maria. O elevador chegou!"
Maria: (A velhinha entra reclamando e resmungando.) "O que foi Zé? Por que está afobado?"
Zé: (Silêncio.)
Maria: "O que foi Zé? Por que está tão afobado? Vai trabalhar hoje?"
Zé: "É que o elevador não é só nosso..."
Maria: "Ah, vai trabalhar hoje né Zé? Por isso está afobado?"
Zé: (Silêncio.)
Maria: "Vai trabalhar hoje né Zé? Vai trabalhar hoje né Zé? Vai trabalhar hoje né Zé?"
Zé: (Silêncio.)

O elevador chega ao térreo e dona Maria fica parada como se nada estivesse acontecendo, o sr. Zé diz que chegou, diz que é aqui que eles descerão. Antes da dona Maria se mover, uma velha resolve adentrar o elevador sem esperar seus ocupantes sairem. Dona Maria sai enquanto o sr. Zé segura o elevador, ele sai e quando vou sair e velha que adentrou o elevador voltou seu braço que estava indo em direção ao painel e outro diálogo se inicia...

Velha maldita: "Vai descer?"
Eu: "Não, estou de enfeite aqui..."
Velha maldita: (Resmungando...)

Tive dó do senhor que tentou explicar para esposa sem noção que o elevador está em um prédio comercial, ou seja, muitos do que estão nele estão ali a trabalho. A velha sem noção ainda fica enchendo o saco do velhinho, eu com certeza teria matado ela ali ou teria mandado tomar no cu se fosse comigo. Se bem que na hora que ela questionou-o se iria trabalhar, eu quase respondi que ele não mas eu sim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário