Minha pequena florzinha - 13 O aniversário dela.

Minha pequena florzinha - 13 O aniversário dela.Depois de tempos nebulosos, a paz finalmente chega a reinar nessa relação, não que tenha sido algo realmente muito conturbado, mas as últimas semanas foram realmente estranhas. Acho que o fato dela ter pensado se deveria ou não prosseguir com nosso relacionamento mexeu demais comigo, me deixou realmente com muito medo de perdê-la. Provavelmente isso aconteceu porque não estava com os pés no chão, nunca imaginei que ela poderia chegar nesse ponto, de pensar se realmente deveria prosseguir pensando na felicidade dos dois. Claro, compreendo, de uma forma não tão natural, mas compreendo. Afinal de contas, uma pessoa de cunho religioso do tamanho do dela, tem visões bem diferentes em relação ao relacionamento. O que normalmente seria uma briga por ciúmes ou qualquer coisa supérflua, no nosso caso era bem diferente e bem mais complexo que a maioria dos outros relacionamentos que tive na vida.
Mas esquecendo um pouco desse detalhe, me concentrei excessivamente para agradá-la em seu aniversário, já que tudo estava aparentemente bem, não havia outra coisa a se fazer. Pensei em diversas coisas, gostaria de fazer uma super festa para ela, mas infelizmente meu orçamento não se encontrava da maneira que necessitava. Mas com um pouco de esforço consegui juntar um bom dinheiro para um churrasco, coisa que achei que ela adoraria. Pensei em diversas coisas para presenteá-la mas não conseguia decidir o que comprar. Em uma noite da semana de seu aniversário, no msn, pedi alguma sugestão, perguntei se havia algo especial que gostaria de receber, me senti um tanto quanto estranho, porque nunca fizera isso na vida, normalmente tinha um bom gosto para agradar uma mulher. Mas no caso dela, era difícil pensar em algo que fosse bacana, era muito complexo escolher um presente, por isso pedi sua ajuda. Claro que ela não teve coragem de me pedir nada, disse brincando que queria um carro, típico de quem não quer ajudar a escolher algo. Ainda me disse que presente não poderia ser escolhido, deveria ser decidido apenas por mim, fiquei com medo de não conseguir agradá-la, afinal de contas, seria o primeiro aniversário como namorado dela.
Fiz um esforço enorme, andei pelo shopping inteiro, vasculhei diversas lojas e consegui escolher algo. Fiquei feliz, até que não fora tão complicado escolher o presente dela, só não tinha certeza de que ela gostaria. Durante a semana não via a hora de partir a seu encontro, como sempre, mas dessa vez seria diferente, seria um final de semana especial, pelo esperava que sim, esperava agradá-la totalmente. Seu aniversário era na sexta, queria fazer uma surpresa para ela e passar a virada de quinta para sexta junto à ela. Conversei com meu coordenador e pedi que me desse a sexta de folga para poder passar com ela, afinal de contas, ele sempre deu valor à isso e contei com a grande compreensão e amizade que temos. Sem muitas desculpas ou esforços, ele me concedeu a folga na sexta, fiquei muito feliz e agradecido. Acho que o fato de amá-la tanto ajudou nesse quesito, porque além de ser meu coordenador, ele é um grande amigo e notou desde que iniciei esse relacionamento o tamanho de minha felicidade.
Voltando para casa correndo na quinta, comecei a preparar minhas malas, ainda liguei para ela na quinta como uma noite normal, como sempre fazia, conversamos um pouco e logo desliguei para poder pegar a estrada. Sai pensando na cara de surpresa que ela faria, mas assim que cheguei lá, não vi nenhuma cara de surpresa. Ela me contou que já sabia que iria na quinta vê-la para passarmos o dia dela inteiro juntos. Lembrei que havia contado para uma de suas irmãs que provavelmente acabou comentando com ela. Passamos o final da noite de quinta juntos, ela estava cansada, queria dormir, mas ficamos um tempinho juntos. Tentei enrolá-la até que chegasse à meia-noite, foi difícil mas consegui.
Assim que a meia-noite se anunciou em meu celular, fui até sua cama, me ajoelhei e dei um parabéns para ela, alguns beijinhos com ela ainda deitada. Pedi que esperasse um minuto e fui pegar um pacote, entrei novamente no quarto e entreguei em suas mãos. Ela abriu, era um DVD da Ivete Sangalo do show do Maracanã que ela parecia gostar, fez uma cara meio assim, claro que não fiquei chateado, logo em seguida comentei que se ela não gostou do presente, que daria outro e sai do quarto. Segundos depois voltei com outro pacote, entreguei e esse encheu seus olhos, não de lágrimas, mas de felicidade, acertei pelo menos com algo, era um coração de pelúcia rosa escrito "eu te amo". Novamente comentei que se ela não gostou do presente, que esperasse um pouco e entreguei outro pacote, agora um jogo de lingerie preta, suas irmãs brincaram com ela, sua mãe também, mas ela adorou. Parei, fiquei alguns segundos admirando sua felicidade e disse que se não tivesse gostado... Voltei com mais um pacote, um pacote não tão grande, ela abriu e não acreditou, era um celular, algo que ela realmente queria muito e já estava decidido a dá-lo. Bom, acertar 3 em 4 não é algo tão ruim, na próxima quem sabe acerto em todos. Ela me agradeceu, ficamos mais um tempo juntos e fomos dormir.
Passamos o dia de seu aniversário conversando, brincando com suas irmãs, rimos muito, vimos alguns filmes, foi um dia bem interessante e sem nenhum estresse. Gostaria de ficar um pouco mais com ela, poder conversar um pouco mais tranquilamente, mas o dia estava ótimo, não havia muito o que reclamar, privacidade naquele momento era dispensável. Tentei fazer todas suas vontades, tentei agradá-la o máximo que pude e aparentemente consegui. O sábado fora tranquilo também, não fizemos muitas coisas diferentes mas foi um dia bem legal. A verdade é que a maioria dos dias eram iguais, mudava somente quando ela precisava sair para fazer algo e me deixava só em casa.
O domingo tão esperado, o dia em que a família se reuniria e faríamos um grande churrasco chegou. Seu pai trouxe as carnes, o carvão e todo o necessário. Eram muitas pessoas reunidas, foi um churrasco muito agradável e bacana. Mas no final, o que mais me importava, como sempre, era sua felicidade. Aquela felicidade tão exacerbada que era notável até mesmo em seus lindos olhos, eles praticamente sorriam. Depois do churrasco ela foi para a igreja e assim que voltou passamos o restinho da noite juntos, conversamos bastante e ela foi dormir logo em seguida.
Capítulo dedicado a minha queridíssima amiga Laize, desculpe pela demora!
Próximo episódio - 14 O início do fim.
Download da obra completa em formato pdf.

2 comentários:

  1. =D Legal, mas foi curtinho esse hein rsrs
    Vou esperar o restante...

    ResponderExcluir
  2. É, não tinha muito o que falar, para não misturar as coisas, acabei fazendo esse episódio meio curto mesmo. rs rs rs
    Acredito, que o próximo será um pouco mais longo, já estou relendo algumas coisas, vendo fotos, tentando lembrar de alguns fatos, mas não acredito que no próximo tenha muito amor! rs rs rs

    ResponderExcluir