30º dia

A punição.Estresse, totalmente controlado, totalmente domado, na realidade, praticamente se encaixaria melhor. Em diversos momentos sinto desânimo, desmotivação e por fim, parei de dar murro em ponta de faca, ela exemplificou com uma pedra, deve doer um pouco menos. Realmente, estou assim ultimamente e fico feliz, pelo menos com os pontos de vista que ela me apresentou de minha história, não tinha pensado pelo lado protetor.
Sim, estou me protegendo de me machucar mais com coisas desnecessárias, mas no fundo ainda me sinto um tanto quanto culpado. Praticamente encontrei uma forma de me punir, coisa não havia enxergado desse ponto de vista. Talvez a falta de interesse em brigar e sair em busca do trabalho das pessoas tem que me deixado com um certo peso na consciência, fato, mas isso não quer dizer que simplesmente desencanei de tudo apesar de enxergar dessa maneira. Realmente é possível ser uma forma de me proteger do estresse em excesso e desnecessário, uma forma legal de lidar com a situação extrema em que a empresa se encontra.
Fiquei feliz com os diversos momentos em que comentei que sentia vontade de explodir mas me continha, me acalmava para não surtar. Claro, esse tratamento tinha que dar algum sinal que está funcionando, senão não há sentido em prosseguir. Fico feliz com meus avanços, não sei se todos enxergam alguma melhora, mas eu vejo muitas, talvez outros não enxerguem porque evito que as coisas aconteçam mas internamente sei o que estou passando e segurando. Me senti tão bem hoje que voltei caminhando, estava próximo ao shopping Higienópolis e vim caminhando até a estação Paraíso do metrô, andei mais um pouco, totalizei 01:16h de caminhada, achei que chegaria em casa em menos tempo mas acredito que fui mais rápido que o ônibus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário