Que valor é esse?

Contra o tempo.
Coisas que não compreendo ocorrem durante todo o dia, a semana, o mês, o ano... Provavelmente ocorrerão durante minha vida toda. O problema é que algumas delas me ferram a vida profissional, já que hoje preciso fazer certos milagres em cima de um certo legado que provavelmente vem antes mesmo do grupo tão bacana com quem tive a oportunidade de atuar.

Acho que se vivesse por um milênio, essas coisas não acabariam, na realidade, seriam cada vez mais catastróficas. É exatamente esse tipo de pensamento que tenho hoje em dia, não que tenha mudado muito da minha adolescência para a fase adulta. Acredito que muitos dos conceitos que tenho para a vida, provieram dessa fase mais rebelde, foi realmente onde construí diversas coisas do meu caráter. A grande diferença, é que quando ainda somos adolescentes, os erros mais banais até que são perdoáveis, as piores cagadas exercidas nesta época, não lhe trarão grandes consequências futuras, tudo isso, falando teoricamente.

Claro, algumas coisas, com toda certeza, podem foder a vida de um jovem aspirante a alguma carreira bem sucedida em um futuro próximo. Perder um trabalho completo, porque seu cachorro comeu, é algo banal comparado a um campo que existe há diversos anos em um sistema que não grava a informação que necessito hoje. Errar a biografia colocando o nome de outro autor é bem diferente de se deparar com um campo texto que guarda apenas números. Encontrar abreviações absurdas no meio de uma redação não é nada comparado a encontrar campos denominados como "d" e "a".

Tudo isso, porque como já disse em diversas vezes, mas alguns estagiários não compreendem, é que desenvolvedores também cometem erros. Talvez a grande diferença é que os resolvemos da mesma maneira que erramos. Já um estagiário ou mesmo cara do suporte, em alguns casos, não consegue dar mais nenhum passo após cometer uma gafe, mas esqueçamos disso, afinal de contas, não resolvi escrever um post para falar sobre suporte hoje e também não tenho tempo suficiente para tantas críticas.

Mas retomando, hoje me deparei com algo super legal, que me fez descobrir que diversos clientes não utilizam diversas coisas em nosso sistema ou simplesmente não repararam que algumas dessas coisas não estão tão corretas como imaginávamos. Tudo isso porque contei com padrões, sim, aqueles que tanto brigo para que sejam seguidos. Seguiram o padrão para o nome do campo, por essa razão, tudo me levou a crer que aquele armazenava a informação que era necessária naquele momento. Eis que tenho uma pequena surpresa, o campo realmente armazena um valor, não um valor qualquer mas não o valor correto também. Legal, pensei comigo; e tive vontade de me enforcar naquele momento. Comecei a imaginar como "corrigir" esses valores e quase pulei de uma cadeira com a cabeça voltado ao chão para ter um aneurisma. Desisti, hoje não tenho como corrigir aquilo, já que provém de diversos anos, imagine querer fazer o milagre de encontrar o valor real para "consertar" milhares de registros de vários anos.

É, desenvolvedores também cagam, assim como as mulheres, mas às vezes isso me faz lembrar da cagada "mor" onde consegui perder 90 Gb de informações "preciosas". Sim, sou o tipo de cara que se condena a cada cagada cometida, e não só naquele determinado tempo, levo isso para o resto da vida. Isso é tão bom que deixei de fazer pequenas cagadas em banco de dados, aqueles pequenos vacilos que damos quando estamos aprendendo algo. Graças a essa maneira de trabalhar meu subconsciente que aprendo a não cometer o mesmo erro diversas vezes. Só existe um erro que ainda cometo e nunca deixarei de cometer: "Pensar que um dia as pessoas também serão assim".

Nenhum comentário:

Postar um comentário