O que seria diferente?

Amor ou algo similar.
E se não tivesse virado para a direita naquela noite?

E se tivesse ligado no dia seguinte?

E se você não tivesse partido?

E se tivesse te amado?

E se não tivesse terminado?

E se tivesse ignorado o pudor?

E se tivesse te procurado?

E se não desistisse?

Será que as coisas seriam diferentes se para cada pergunta tivesse tomado decisões contrárias? Claro, em alguns casos, como amar alguém, não teria como forçar uma situação, mas em outras ocasiões, seria possível tomar outras decisões. Como seriam as coisas hoje?



Talvez o mundo não fosse o mesmo, talvez minhas atitudes, meu trabalho, minha vida no geral, fosse completamente diferente. Talvez não viveria onde vivo, talvez não veria a família como vejo. Seria melhor ou pior? Quem sabe? Não é algo que simplesmente podemos imaginar e termos plena certeza que seria como em nossa imaginação, principalmente, porque nesses casos, viajamos mais do que se estivéssemos sob efeito de entorpecentes ou bebidas alcoólicas.

Sinceramente, não me arrependo de nenhuma das decisões e caminhos que tomei na vida. Principalmente em alguns dos aspectos que me veem a cabeça nesse momento. Não que não houvesse sentimentos suficientes, mas acredito que não seria feliz em alguns dos casos se tivesse dado o passo seguinte. Só de pensar nas coisas que seria capaz de fazer, em determinada época, fico feliz de ter decidido findar certas coisas, deixar de lado os sentimentos e seguir em frente.

Talvez até pudesse ser feliz, o que nunca teremos plena certeza mesmo que esteja com a pessoa que você intitula como a perfeita para viver o resto de seus dias. Porque nunca saberemos o que será do amanhã, mas quem é que gostaria de viver sabendo como seriam todos seus dias? Tenho plena certeza que ninguém, a não ser que fosse saber que em determinado momento da vida, você ficaria milionário. Mas é como digo, ninguém deveria viver pensando apenas em enriquecer.

Mas voltando as questões que me trouxeram aqui para escrever esse texto que não tem pé e nem cabeça. Não me questionem o porquê de ter pensado em tudo isso, mas nessas últimas semanas, tenho pensado em muitas coisas sobre os relacionamentos que tive na vida. Me peguei pensando em alguns deles na realidade, no que poderia acontecer se não tivesse tomado as decisões que tomei. Isso não é mágoa, não é sentimento enrustido, não é um amor que não morreu, simplesmente meu subconsciente resolveu brincar comigo e reviver alguns momentos da vida. Dei risada de algumas coisas, imaginei uma vida de casado, de viúvo, de divorciado, foi realmente engraçado na minha mente.

Pensando em tudo que poderia ter acontecido, acho que o melhor que fiz foi realmente permanecer sozinho. Não me imagino casado, com filhos e um cachorro para cuidar. Me sinto muito bem do modo como estou, sem dever satisfações para ninguém, poder fazer o que desejo, no momento que desejar. Para alguns, isso parecerá algo imaturo, mas sou dedicado demais quando estou com alguém e deixo de fazer muitas coisas. Pensando dessa maneira, gosto de ser solteiro, como já comentei em diversos outros posts e ainda tem o bônus de não magoar ninguém permanecendo sozinho.
Escrito ao som de Colbie Caillat - Runnin' around.

Nenhum comentário:

Postar um comentário