Saiu de férias?

A arte de estressar as pessoas.

Férias é algo bom, não? Não lembro ao certo o que é, mas em 2009 lembro que fiquei muito feliz quando passei por esse processo na vida. Mas não é exatamente sobre as férias que quero falar, gostaria é de comentar sobre o ato e suas consequências. Na realidade, quando você comanda um setor e decidi sair de férias, você deixa seu subordinados a par das coisas ou simplesmente decidi para onde viajará e sai?

É, um problema muito sério que vejo acontecer, é o coordenador de um setor sair e muitas coisas que somente ele fazia, ninguém sabe fazer. Acho isso interessante porque fico tentando imaginar a quem eles recorrerão quando tiverem uma dúvida. Não digo que não devam tirar férias, muito pelo contrário, o excesso de trabalho sem um descanso prolongado causa amnésia, afasia e uma estafa mental tão grandes que são passíveis de serem tratadas pelos melhores especialistas do país.

É recomendado tirar férias mas nunca saia sem deixar alguém gabaritado ou pelo menos preparado para tudo que pode acontecer. Mas tenha em mente que é necessário escolher bem essa pessoa, não pode simplesmente pegar qualquer um e esperar que essa pessoa faça um milagre. Normalmente, deixamos aquela pessoa que possivelmente te substituirá no dia que resolver deixar a empresa ou subir de cargo, mas nem sempre essa é a pessoa que conhece todos os processos do setor, sabe lidar com pessoas e tem conhecimento suficiente para lidar com qualquer situação que possa ocorrer.

Sei que muitos talvez realmente preparem os outros para lidarem com todas as situações mas infelizmente eles não são gabaritados para isso. Mas é como digo, isso não é algo que se faz em uma semana, é um processo que deve ser feito no dia a dia. Se todos do setor conhecem bem todos os processos, é mais fácil alguém sair de férias. Por essas razões que não acho cabível deixar uma única pessoa responsável por algo dentro de uma empresa. Sei que de acordo com o tamanho da empresa, talvez seja impossível ter mais pessoas relacionadas a um único processo, mas é sempre importante ter aquele jogador reserva.

Porque sempre temos que pensar do pior ângulo possível na vida, não ser pessimista, mas pensar nas piores possibilidade que um dia podem acontecer. Porque precisamos estar preparados para os mais adversos acontecimentos em nossa vida profissional e temos sempre que almejar que a empresa não pare caso isso ocorra. Em quando falamos de pessoas, como os sócios, é o mínimo que esperava.

Nenhum comentário:

Postar um comentário