Zumbis em seu escritório.

Johnny Mnemonic.

Ainda bem que esta é uma empresa de software e não a equipe de "Operações Especiais", porque se alguns aqui fossem atiradores de elite, teríamos mais processos que médicos quando cometem erros. Hoje em dia vejo diversas operações como aquela do "Ônibus 174". Se houvesse atiradores de elite aqui, não seriam capazes de acertar um hipopótamo a dois metros de distância. É algo para preocupar qualquer cidadão em sã consciência, mas como aqui ninguém tem consciência...

Um fato alarmante, preocupante, desesperador, no entanto, o que vejo é uma imensa calmaria em todos. O bicho só pega quando algo dá muito mas muito errado ou quando corremos o risco de perder um cliente. Mas por que raios é necessário chegar nessa situação para alguém tomar uma atitude? Engraçado que quando eu fico no pé das pessoas, mesmo que não seja de forma tão ignorante, chega um momento em que ouço coisas do tipo: não adianta. Realmente, acredito nisso também, que não adianta falar e falar, mas também ficar em silêncio esperando um milagre resolverá o quê?

O negócio é você fazer tudo, não depender de ninguém, não esperar de ninguém. Mas espere aí, como fazer isso quando temos algo que chamamos de empresa, onde, pela teoria, cada um possui suas determinadas funções e o mínimo que esperamos é que sejam cumpridas? Não vejo motivos para manter pessoas se elas não servem para cumprir seus papéis, se no final apenas uma pessoa resolverá a situação, não entendo por que manter uma empresa. Essa que um dia fora bem maior, hoje trabalha em um número bem enxuto, mas que possui um contingente que consegue suprir as necessidades atuais.

Neste momento, provavelmente, alguém está pensando que não é possível que muitos não sirvam para nada, claro que exagerei um pouco mas uma pessoa fazer apenas o básico do básico, não é muito aceitável nos tempos de hoje ou é? Não vejo mais pessoas empenhadas como antigamente, onde todos buscávamos aprender mais e mais, enquanto outros apenas buscavam conseguir solucionar um problema e ponto. Não existem mais jovens que almejam algo maior que suas pequenas carreiras e seus salários miseráveis. Mas é claro que reclamar do salário é fácil, mas quem é que realmente corre atrás para mudar essa situação?

Todos querem mais grana, mais mordomia, menos trabalho, quando alguém descobrir uma fórmula para atingir esse patamar, por favor, compartilhem. E falando em compartilhar, por mais que as pessoas não corram atrás de informações, sempre acabamos distribuindo diversas dela pela empresa e o mínimo que esperamos é que sejam armazenadas em locais onde possam ser compartilhadas. Será que isso realmente acontece? A resposta é bem simples, não! Um aprende, resolve o problema e não passa para ninguém, não disponibiliza no que chamamos de "base do conhecimento" e outros ficam a ver navios quando precisam da mesma informação. Depois de um indeterminado, recorrem as mesmas pessoas que já informaram como resolver tal coisa e esperam que essas expliquem novamente com toda calma do mundo? Quem é que gosta de explicar duas ou três vezes a mesma coisa quando outros dizem ter compreendido?

É, existe uma diferença entre você explicar mil vezes a mesma coisa e explicar pela segunda vez algo que já fora compreendido. O cérebro não consegue administrar informações como "Johnny Mnemonic"? Claro que não, é muita informação para pouco cérebro, no caso da maioria dos reles mortais que aqui vivem, então porque não anotá-las para serem consultadas? Principalmente quando você já sabe que seu cérebro consegue esquecer a informação depois de cinco minutos.

Até hoje me pergunto se é realmente vergonhoso anotar algo que aprendemos ou se é muito complexo fazê-lo, pois não vejo ninguém anotar coisa alguma nesta empresa. O povo resolve anotar quando grito "Anota essa porra porque você esquecerá" e fora isso? Imagino o que seus coordenadores fazem, explicam uma, duas, três, quatro, cinco vezes, pra quê? Por quê? O pior é que já vi coordenador bancado o idiota assim, explicando algo que nem ele lembrava que já havia explicado. Essa é a triste realidade que enfrentamos todos os dias aqui. Convivemos com zumbis, sabe aqueles seres que comem cérebro mas não adquirem a inteligência do mesmo? Se fosse como um "Highlander" seria muito mais bacana mas infelizmente coisas boas acontecem somente em filmes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário