Desculpas e mais desculpas.

O mentiroso.

"Para toda tarefa atrasada, mil desculpas serão dadas para justificar aquilo que não deveria demorar".

Inicio esse post lamentando por não ter escrito um post no domingo, por ter faltado com vocês, por ter arrumado o quarto e fodido meus tendões ao invés de escrever um pequeno texto, como já tornou-se sagrado todos os dias. Em minha defesa apenas digo que era de extrema urgência limpar este quarto e pregar novamente a prateleira que sustentava minha tevê e meu monitor. Que era de tamanha importância poder respirar um ar límpido novamente e que... Ah, foda-se!

A vida é feita de desculpas? De pequenas histórias, algumas verdadeiras, outras parecendo contos de fadas... Penso na possibilidade disso acontecer todos os dias e em todos os momentos que algo é cobrado. Novamente, como diria o sábio House: "Everybody lies"; e não é que essa filosofia realmente funciona? Quem nunca mentiu? Quem nunca deu uma desculpa esfarrapada para uma falta idiota ou para o prazo vencido na entrega de alguma tarefa? Pelo menos não estamos mais na era do "Estou sobrecarregado".

Não houve uma única vez em que alguém não deu uma desculpa que não condiz com os fatos. Alguns engolem as desculpas, outros farejam à distância a pequena mentira que não justifica o ato. Talvez seja muito cruel assumir: "não sou capaz de fazê-lo". Mesmo que seja algo que já devia saber, não acho tão feio contar a verdade e pelo menos se esforçar para aprender. Infelizmente as coisas não funcionam dessa maneira, continuemos maquiando as coisas para parecerem realmente complexas demais para qualquer ser humano. Mesmo em casos onde o conhecimento teoricamente já adquirido sirvam para chegarem a uma solução, pessoas ainda batem cabeça e não conseguem encontrar uma solução em tempo hábil. Qualquer besteira que ocorra com algo é motivo para levar muito mais tempo que o previsto para uma solução.

Alguns darão a desculpa que não foram ensinadas, mas como ensinamos alguém a pensar? Há um bom tempo que cada caso é um caso, não são coisas corriqueiras que são passíveis de aprendizado. Você pega dados de clientes detonados e precisam compreender o que acontece para tentar encontrar uma possível solução. Não existe uma fórmula ou um botão mágico onde seja possível resolver os mais diversos problemas que aparecem. Nos resta somente fazer o que faço na maioria desses casos, pensar. E é mais incrível do que possa parecer, mesmo dando a "resposta" de como proceder, quem diz que a tarefa será concluída em um prazo aceitável?

É como o caso em que passei a solução há meses atrás e até hoje ninguém tomou as devidas providências para proceder com a correção. O que faltou nesse caso? Alguns diriam que faltou eu mesmo executar, outros dirão que faltou cobrança, alguns que faltou porrada. E no final, quem sempre sai prejudicado é o cliente. Mas o que é necessário para as tarefas serem cumpridas e não ouvirmos desculpas? Se nem dando a "fórmula" para chegarem na solução, o que devo fazer?

Eu aprendi que uma empresa de um único homem, não é uma empresa. Mas se nem dando a solução as pessoas são capazes de executá-la, aparentemente por falta de vontade, devo realmente sempre resolver? Ando fazendo alguns testes, cobro as coisas e fico em silêncio durante um bom tempo, só vendo e analisando. Quando penso que estão executando, nada está sendo feito. Quando penso que está parado porque existem dúvidas, ninguém vem me questionar. Nem mesmo o Dr. Google é consultado e quando ocorre é de maneira incorreta. Queria compreender como meus sócios conseguem manter a calma, apesar que sei que no fundo eles estão preocupados e meio "putos" porque o negócio não sai. Mas e aí, ninguém faz cobranças? E quando recebem uma "desculpinha" como resposta, simplesmente acatam?

Nenhum comentário:

Postar um comentário