E de novo, novamente...

E novamente lhes apresento...

Talvez o descontrole emocional não seja algo tão sem sentido. Acredito que cada ser humano tenha um limite e os meus foram superados. Cheguei a hora da reviravolta, a hora das mudanças ou quem sabe das matanças. Posso ouvir diversas coisas, várias delas passam pelo meu subconsciente, são analisadas e jogadas fora, mas infelizmente, algumas delas ficam martelando como água em uma torneira mal fechada. Ah, quem me dera ser como a maioria das pessoas, simplesmente "ignorar" algumas coisas e continuar remando na mesma direção. Mas pensando nesses últimos anos de minha vida, acredito que enquanto alguém rema para frente, existam outros remando para trás fazendo nosso pequeno barco rodopiar em um loop infinito.

Lembrando do famoso loop infinito, meus textos sobre esse assunto também caminham para esse ponto, afinal de contas, se não há mudanças, como escreverei algo diferente? Que fossem novas reclamações, novas dificuldades, novas cagadas mas que não pintássemos o outro famoso "mais do mesmo". Engraçado como essa pequena frase ficou presa em minha cabeça durante e depois a terapia. Eu disse diversas vezes que a consulta foi "mais do mesmo" mas de quem era a culpa? Da psicóloga? Claro que não. Hoje vejo bem, não que não visse isso na época, mas se não havia mudanças em minha vida como algo poderia mudar na próxima consulta?

Ouço quase as mesmas reclamações, mudo a tática e ouço as mesmas reclamações. Acho que tem algo errado, ainda não consegui perceber, talvez seja minha mente entorpecida tentando me manter controlado, me manter em alguma zona de conforto, mas continuo sem entender o porquê. Não direi que não me injurei por ouvir coisas que teoricamente não precisava, mas não surtei como faria normalmente, em diversos momentos me retraí sem ao menos pensar. Medo. Será que estou tão perdido que não consigo nem mais "lutar" por aquilo em que acredito ou consegui finalmente assimilar que não adianta brigar pelas mudanças? Como não consigo arrancar qualquer confissão de meu subconsciente, permanecerei nessa dúvida cretina e cruel que me martirizará por todos meus últimos dias lá.

2 comentários:

  1. Yama como seres racionais, enveredamos por áreas confusas por que buscamos, não a resposta mas a pergunta.
    O que move o mundo a vida são perguntas para algumas, encontraremos respostas para outras apenas o tempo dirá...

    ResponderExcluir