O que você vê?

Acredito no que vejo.

Você acredita nas coisas que as pessoas dizem? Quero dizer, se alguém lhe diz que fez determinada coisa e mesmo assim não obteve o resultados esperado, você não iria conferir se tudo foi feito corretamente?

Isso é o mínimo que espero das pessoas que convivem comigo, acredito que seria mais simples esperar um milagre. Não, não acredito em Papai Noel, duendes, fadas e muito menos em Deus mas ainda tento colocar um pouco de confiança naqueles que fazem parte da equipe técnica. Por mais incrível que possa parecer, espero que o básico tenha sido absorvido por essas criaturas maravilhosas que nos cercam. São criaturas realmente divinas, espetaculares e que demonstram possuir um mínimo de inteligência; está bem, essa última parte ainda não foi confirmada por estudos recentes.

Ainda percebo que as pessoas confiam muito nas outras, enquanto sigo a filosofia Dr. House: "Everybody lies", está certo, sei que não é legal colocar coisas em inglês no meio de um texto, mas isso é um blog de qualquer coisa, das mais sérias até as mais chulas, e essa frase fica muito mais bacana em sua forma original. Mas voltando, eu sou do tipo que só acredito que fizeram a coisa certa quando vejo que está tudo realmente certo. Se eu fosse o cara que me envia os "problemas", faria mais questão ainda de verificar antes. Porque todos sabem o quanto sou um cara chato, grosso, estúpido e que não mede palavras na hora de dar bronca por me fazerem perder tempo.

Coisas que são incabíveis em minha mente, se fiz uma correção onde duas coisas funcionam da mesma maneira e as correções foram feitas da mesma maneira, não existe um motivo para um funcionar e o outro não. Pode existir essa possibilidade? Sim, pode. Mas nesse caso tinha plena certeza de que os dois estavam iguais. Como um cara hiper mega bonzinho, ou seja, idiota, fui conferir se não havia algum problema, se por um acaso da vida teria corrigido um e não o outro. Confirmei que estava tudo correto, então fui averiguar o tal pedido que foi criado para o teste. Peguei as informações necessárias, acessei a base do cliente e SURPRESA!

Eu acreditei que o cidadão que encaminhou o problema havia verificado antes de me contatar, no entanto, estava completamente enganado. Mas quem é que consegue ainda acreditar que alguma boa alma daquele setor, conhecido como suporte, teria averiguado se os impostos foram gerados? É, eu acreditei por isso me "virei" para encontrar um problema onde não havia. Mais engraçado é ouvir comentários do tipo: "Não, mas eu vi o imposto gerado", é, talvez o Grinch tenha se antecipado e veio brincar com os dados do pedido em questão.

Ainda tenho esperança que as pessoas compreenderão que o negócio é zero ou um, foi feito ou não, vivo ou morto, que se não está lá é porque não estava antes. Que se uma planilha não está onde salvou é porque foi excluída. Que se um cadastro de cliente não existe mais no sistema, alguém deletou. Um dia as pessoas compreenderão que em certos casos não adianta inventar histórias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário