House está mais que certo.

Todos mentem.

Perderam quase uma hora tentando startar o serviço postgreSQL no notebook com Windows. Até a semana passada estava tudo funcionando perfeitamente e sem ninguém alterar nada, ele simplesmente parou de funcionar. Como todo bom profissional eles precisavam dizer que ninguém mexeu ou alterou nada, claro que acreditei porque sou formado em Hogwarts.

Vamos procurar o log de erros, o cara vai e abre o visualizador de eventos do Windows. Tudo bem, é de praxe o povo que não conhece postgreSQL fazer isso, já que estamos no Windows, nada mais sensato que verificar se há alguma informação por lá. Explico que lá fica somente um aviso explicando que não foi possível iniciar o serviço. Explico pela milésima vez que o log que guarda o que realmente ocorreu é o do próprio serviço. Vamos procurar o log na pasta que normalmente ficaria e pam... É, não foi criado, não sei como esses simpáticos seres que trabalham aqui conseguem fazer uma configuração totalmente diferente. Ah, é porque eles se formaram em Hogwarts, verdade.

Já que não temos log para informar o real motivo da falha no start, vamos verificar as configurações do postgreSQL, pelo menos isso sempre me pareceu a coisa mais lógica a se fazer. Verifica um arquivo e nada demais. Abra o arquivo X, ouço o comentário: lá não tem nada. Interessante, já vi várias vezes o serviço não subir por configurações incorretas de permissão de acesso, mesmo assim ouvir o cara que manja muito mais que eu e desisti. Bom, poderia haver algo por lá mas lembrei de outro detalhe mais interessante e que já vi muitos fazerem: dar permissões administrativas para o usuário que starta o serviço.

Vamos verificar o usuário, já é possível notar que foi recriado manualmente e de forma totalmente incorreta. Pedi para verificar as permissões e o maldito fazia parte do grupo administradores. Já havia explicado para umas quatro pessoas, inclusive, duas delas estavam verificando o notebook e não conseguiram até que meu sócio resolveu olhar, fico pensando quantas vezes são necessárias explicar algo para alguém que responde: ENTENDI. Toda vez que esse tipo de coisa ocorre, me pergunto: será que sou realmente um cara ruim em ficar puto com as pessoas? Será que estou completamente errado quando tenho vontade de cometer diversos homicídios? Não posso surtar nesses momentos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário