Sexo e amizade.

Amizade colorida.

- Quero seu pau dentro de mim!
- Diga onde e quando.
- Agora!

Saí em direção de sua casa, tranquilo, não estava desesperado para encontrá-la só porque ela queria sexo. O trânsito estava muito lento e ela me ligou novamente.

- Onde você está?
- Calma, estou chegando.
- Vem logo!

Cheguei, adentrei seu prédio calmamente, cumprimentei o porteiro, perguntei sobre seus filhos e ele disse que estavam bem. O elevador já me esperava, em menos de um minuto eu batia sua porta. Ela abriu a porta, lançou um olhar depravado e logo me beijou com um certo desespero. Mulheres, por que sempre deixam as coisas para última hora?

Fui arrastando-a para dentro do apartamento, fechei a porta com o pé enquanto beijava-a sem parar. Esbarramos na mesa e uma taça de champagne caiu chamando nossa atenção. Olhamos rapidamente para ver o que tinha ocorrido e voltamos a nos beijar. Nos jogamos no sofá, ela começou a arrancar minha camisa arrebentando seus botões, parecia sedenta pelo meu corpo, logo estava arrancando meu cinto e abrindo minha calça.

Tirei seu top, ela já estava sem sutiã, ver novamente aqueles belos seios me deixou excitado, pensei em tirar apenas suas calcinha e deixá-la com a saia, mas não precisei ter esse trabalho. Comecei a acariciar seu sexo enquanto continuávamos nos beijando. Ela, louca de desejo, pede para ser penetrada e logo atendo seu pedido. Nos movimentávamos de forma frenética e sincronizada, ela soltava gemidos baixos mas que me deixavam louco e com mais tesão. Não demorou muito e ela logo chegou ao êxtase, me abraçou forte e amoleceu enquanto eu terminava.

Nos deitamos de forma desconfortável no sofá, envolvi seu corpo no meu e ela acendeu um cigarro. Beijei seu pescoço, apertei-a mais contra meu corpo e ela deu uma risadinha de quem gostou do carinho.

- Que bom que você está aqui.
- Também fico feliz de ter vindo, foi bom te ver novamente.
- Estava com saudades, não me ligou mais...
- Me perdoe, o trabalho anda consumindo minha vida.
- É, eu sei bem como é. Não mudou nada pelo visto.
- Alguém precisa ganhar dinheiro.

Ela riu, se virou para me dar um beijo e voltou a fumar. Senti algo diferente, senti que ela queria dizer algo mas que não seria tão simples. Ela voltou a falar, disse que andava meio carente, que sentia falta de ter alguém ao seu lado todos os dias, queria algo além do sexo. Sem se virar para ver minha expressão, ela prosseguiu...

- Eu gosto muito de você, adoro o modo como me trata quando transamos mas quero algo a mais.
- Você sabe que não me envolvo com ninguém, sabe o medo que tenho de fazer alguém infeliz.
- Mas você acha mesmo que não conseguiria me fazer feliz?
- Somos bons amigos há mais de 10 anos, gosto muito de você mas não sei se conseguiria levar um relacionamento.
- Por quê? Nos damos tão bem, sempre nos divertíamos quando saíamos juntos.
- Era uma outra época, com outras responsabilidades.
- Ah, mas você era apaixonado por mim, o que houve?
- Paixões acabam se não viram amor.
- Eu sei...
- Não fique triste, você encontrará alguém que realmente valha a pena.
- Mas eu quero você.
- Lembre-se do nosso trato, naquela época em que os dois estavam magoados por conta de relacionamentos, combinamos que continuaríamos amigos mas faríamos sexo quando um ou o outro sentisse muita vontade.
- Sim... Mas... Eu acho que podemos ter algo mais envolvendo que apenas sexo.
- Talvez...

Ela se levantou, foi ao banheiro mas voltou rapidamente, pegou uma cerveja e outra taça de champagne. Sentei e ela também, deu um gole em sua bebida, me olhou cheia de carinho e voltamos a nos beijar...

Escrito ao som de Linkin Park - Lying from you.

5 comentários:

  1. Ual! Tirou meu fôlego!

    Ousado, diferente, intrigante. Mergulhei de corpo e alma nesse texto, pude até mesmo reconhecer o rosto dos personagens (pelo menos em pensamento).
    Já li alguns textos nesse mesmo formato de ousar mais no cunho sexual, mas de certa forma o seu me fez despertar certo interesse...
    Você não tem um padrão, gosto disso. Mesmo despertando meu lado curioso, que me faz querer ler cada vez mais você e entender como você funciona quando escreve. HAHAHAHA

    O que eu posso dizer? Você tem o posto de escritor favorito na minha vida.
    Superou todas as minhas expectativas, fez valer cada minuto esperando um novo "Na sua estante".

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. \o/ =D

    Estava aguardando ansioso a sua opinião!

    Há muito tempo que gostaria de escrever um texto assim e nunca tive coragem. Tinha medo de afastar as poucas pessoas que leem. rs rs rs

    Eu sou simples quando escrevo, já assistiu Dexter? Eu tenho um "Passageiro das Trevas", que é meu subconsciente, do nada me vem uma ideia e começo a escrever como se estivesse possuído. Acho que é por isso que não lembro de muitos textos que fiz. rs rs rs

    Esse não era pra ficar "Na sua estante", mas tentei levar mais para o lado romântico da vida. rs rs rs

    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Caraca... Já tinha gostado do texto, mas quando li que foi escrito ao som foda do LP não acreditei no q os meus olhos viam, outro fã daqueles malucos kkk
    Parabéns pelo text, ele me pareceu real e envolvente, deu pra viajar legal na história. Foi o primeiro que eu li, e se todos forem desses naipe e com essa inspiração visitarei mto esse blog rs

    ResponderExcluir
  4. Fico feliz que tenha gostado e espero que volte mais vezes.

    ResponderExcluir
  5. Caraca... Já tinha gostado do texto, mas quando li que foi escrito ao som foda do LP não acreditei no q os meus olhos viam, outro fã daqueles malucos kkk
    Parabéns pelo text, ele me pareceu real e envolvente, deu pra viajar legal na história. Foi o primeiro que eu li, e se todos forem desses naipe e com essa inspiração visitarei mto esse blog rs

    ResponderExcluir