Excelentes motoristas.

Respeito?

Você para no meio da curva, em cima da faixa de moto, passo e faço uma pequena reclamação: "Mas que beleza, hein?", o cara olha pra minha cara como se eu fosse o maior filho da puta do mundo. Bom, tudo bem, foda-se, vamos prosseguir, afinal de contas, era um carro de funerária, coitado desse senhor.

Passam-se alguns segundos, o cara emparelha e começa a soltar palavras indecifráveis; pensei seriamente em ser preconceituoso, mas achei pesado demais. Tentei ouví-lo novamente, mas estava realmente complexo compreender cada palavra que ele cuspia.

- Vocês só sabem reclamar! Reclama de tudo, faz tudo que quer na rua e ainda reclama de tudo! Vai me dizer que nunca errou?
- Viu como você parou? Viu como parou o seu carro bem no meio? Atrapalhando a faixa?

Pensei seriamente em perguntar: "Você viu a porra que fez seu filho da puta? Não tem noção, não enxerga nem com essa porra de óculos?", mas me contive e permaneci em silêncio. O cidadão prosseguiu tentando se comunicar comigo, mas simplesmente ignorei e avancei até a faixa para esperar o semáforo abrir.

Assim que abriu, saí calmamente para seguir meu percurso e o cara acelerou igual um doente mental. Fiquei olhando, só fitando para ver se ele faria alguma merda. Para minha sorte, ele não fez nada, me seguiu mais alguns quarteirões e depois virou em uma rua qualquer.

Depois fiquei pensando que poderia ter dado uma resposta melhor. Algo do tipo: "Posso parecer um motoqueiro como qualquer outro, mas respeito as leis de trânsito para poder reclamar com todo filho da puta que faz alguma merda e atrapalha a vida do próximo." Por que não tive essa ideia antes?

Nenhum comentário:

Postar um comentário