Ato I - No restaurante japonês.

Restaurante japonês.

Sentado num canto qualquer, perdido no meio de um restaurante, comendo solitário como outro ser humano qualquer, vejo você entrar e se sentar numa mesa muito próxima a minha. Não olho muito porque imaginei que logo em seguida algum macho sentaria com você. Continuei comendo meu temaki como se você não estivesse ali. Você se levantou e partiu em direção ao banheiro; dei uma pequena olhada para sua bunda como todo "bom" homem faz, gostei do que vi.

Comecei a comer o terceiro temaki e logo em seguida você estava retornando à sua mesa. Seu rosto cansado e suas roupas me diziam que você estava vindo de alguma academia. Você não foi muito simpática com o atendente, não esboçou nenhum sorriso e nem mesmo deu um boa noite. Fiquei olhando você fazer seu pedido, nem percebi que o garçon havia partido e você deve ter percebido que estava olhando, pois olhou pra mim e continuei olhando para seu rosto.

Esperei por um sorriso, mas você fez uma cara do tipo "está olhando o quê?", nesse momento preferi desviar meu olhar e voltar para a tv. Continuei comendo e assistindo a novela, de vez em quando olhava para você, tentava desvendar algum mistério seu. Você não tem uma aliança de compromisso, noivado ou de casada, não sei se isso é um bom sinal. Sua cara não é mais de menininha, isso é bom, mas não esboçou um sorriso sequer e ainda reclamou de algo que foi servido.

Não direi que é linda, mas você tem um rosto bastante agradável, bonita, até parece ser simpática quando conversa com algum conhecido. Mas acho que hoje algo te incomodava ou chateava, não consigo acreditar que você seja uma pessoa chata.

Levantei, vou em sua direção e sento-me a sua frente. Você me olha, não com espanto, mas com cara de "o que esse cara está fazendo?" Me apresento, me sinto ridículo por isso, mas acho que é melhor que te convidar para ir para um motel do nada. Mesmo depois de me apresentar, você não esboçou um sorriso, mas pelo menos me disse seu nome. Perguntei se você tinha alguém com quem compartilhar a vida e sem ao menos hesitar, você disse não. Sorri e pela primeira vez, você começou a pintar um sorriso no rosto...

5 comentários:

  1. Levantou? rs
    Está inspirado hein.
    Adoro a categoria na sua estante ;)

    ResponderExcluir
  2. Nossa, nem vi esse levantou. rs

    Ah, nem tanto, devia ter me prolongado um pouco mais. Dividi em três partes a ideia que tive, vamos ver como ficará. =)

    Eu também. =D

    ResponderExcluir
  3. Imaginei mesmo uma continuação para este conto =)

    ResponderExcluir
  4. Você joga estilhaços de lembranças sobre mim, claro que não foi relacionado a nenhuma comida japonesa, afinal não tive boas experiências com a culinária japonesa, porque por um longo ano era a única coisa que comia (não namore uma que só coma comida japonesa e mais nada, acredite sua vida será enjoativa) mas essa parte daria um texto que eu não colocaria aqui nos comentários. HAHAHAHAHAHA

    Voltando ao começo, você joga umas lembranças minhas na minha cara, como se um vidro tivesse quebrado e arremessado estilhaços da minha vida, claro que foi em outro lugar, outro "jeito", mas o contexto é o mesmo, sem tirar nem pôr.

    Obrigada por esse "ato" e eu quero os outros atos! Pensei que tinha me abandonado e seria uma sacanagem me largar nas minhas madrugadas inverno! Saudades desses seus textos deliciosos!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Eu juro que ainda não sei ler mentes, mas... rs rs rs

    Ah, foi uma história simples, corriqueira, diria que já fez parte do cotidiano de muitas pessoas. rs rs rs

    Ah, mas não tinha porque pensar que te abandonei, afinal de contas, eu sempre volto, posso até demorar um pouco mas volto.

    Beijão

    ResponderExcluir