Por que me beijou?

500 Days of Summer.

Se eu pudesse te beijar, não o faria, seria muito imprudente de minha parte. Por mais que eu te deseje sei o quanto seria prejudicial emocionalmente. Talvez no dia que souber o que deseja, quem sabe, possamos ficar juntos.

Você me beijou, quando eu menos esperava, quando já não tinha mais esperanças. Passou um dia, dois, três, uma semana, um mês... Ficamos felizes durante um bom tempo, fizemos diversas coisas juntos e a cada dia eu esperava o fim.

Sim, porque sentia que aquilo era apenas uma brincadeira, talvez um passatempo. Mas não queria ficar pensando muito nisso, queria apenas curtir o tempo que me deu. Cinema, jantares, até mesmo sua família eu conheci e até hoje não entendo por quê. Talvez quisesse que eu levasse a brincadeira mais à sério? Ou será que um dia cogitou a hipótese de que poderíamos juntos?

Eu, sinceramente, não consigo imaginar que isso tenha passado pela sua cabeça. Bom, mas também, o que há demais em conhecer a família? Coisas de minha cabeça, realmente não sei porque fiquei pensando nisso. Talvez seja o conceito tolo que carrego em minha mente, por pensar que normalmente apresentamos para a família aquele com quem pretendemos levar algo à sério.

Baladas nunca foram algo que me agradassem, mas por você, acabava indo pela companhia. Noites de sexo intenso já faziam parte de nossa rotina, nossa química era muito interessante e funciona de uma maneira excelente

Nunca perguntávamos o que era aquilo que estávamos fazendo. Nunca nos questionamos se aquilo era um rolo, namoro ou enrosco, apenas vivíamos nos encontrando nos finais de semana e curtindo o máximo que pudéssemos. Eu já sabia, ou devia saber, que aquilo não passava de uma pequena curtição que um dia terminaria.

Em uma noite qualquer, enquanto conversávamos depois do sexo, perguntei o que estávamos fazendo. Você ficou sem jeito, não sabia o que responder e eu disse que não precisava responder, você se calou. Ficou muda, passamos o resto da noite transando e você não falou mais nem uma palavra.

Na manhã seguinte você não estava ao meu lado, havia apenas um pequeno bilhete escrito: "Foi bom enquanto durou..."

2 comentários:

  1. Não desapareci! É que não tenho vida mesmo.

    Ah, Yama, como amo seus textos. Que saudades dá de poder passar as madrugadas aqui. Aqui é como se eu esquecesse de tudo, do tempo que eu não tenho nem para almoçar com a família e esqueço quando chego em casa todo mundo foi dormir, mas ainda assim posso ter uma overdose de textos maravilhosos que só encontro aqui, já que não posso ler livros todos os dias.

    Bom, continue, que eu mesmo não estando aqui nos comentários, vejo cada um dos seus textos e postagens com todo o carinho desse mundo.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Eu imagino o quanto você anda na correria. =(

    Preciso manter pelo menos o "Na sua estante", então. rs rs rs Ando meio sem criatividade novamente, quase não escrevo ultimamente, já deve ter percebido. rs

    Beijão

    ResponderExcluir