Aprenda a viver.

Família.

Aprenda a rir das pequenas coisas, mesmo que elas sejam "zoações" de sua pessoa. Aprenda que mesmo tentando ser a pessoa mais certa do mundo, você nunca será. E se sabe que não é, aprenda a relevar certas coisas. Pense sempre no todo, na família, naquilo que deveria ser a razão do seu viver.

Aprenda que a vida não é fácil, não é simples e nunca será. Já deve ter descoberto que a vida a dois é mais complicada ainda, mas faça por merecer a parceira que tem. Faça sempre prevalecer o bom senso, a amizade, o carinho que fez você se juntar. Pense sempre nas coisas boas que aconteceram por conta dessa união, pense nos frutos maravilhosos que foram cultivados até aqui.

Aprenda a lidar com as situações que exercem pressão, com as dificuldades, tanto as suas quanto as dela. Lembre-se que nunca está sozinho, mas lembre que ela também não. Aprenda, de uma vez por todas, que tudo é por vocês e não apenas por você ou por ela. Lembre-se que nesse vocês, as crianças fazem um peso ainda maior. Se elas não são a coisas mais importante do mundo, que pelo menos sejam 80% das coisas mais importantes.

Cuidado com a forma como lida com as situações do cotidiano, seus pequenos se espelham em você, eles o tem/terão como um herói para eles, pelo menos é o que todos esperamos. Por menores que sejam, tudo que você fizer hoje refletirá na vida deles para sempre. Você é a base moral deles, você pode não se lembrar, mas muitos conceitos para a vida são aprendidos com nossos pais. Se um dia seus filhos tornarem-se rebeldes sem causa, talvez tenha a ver com algo de um passado esquecido, mas, apenas por você.

O ditado "Está nervoso? Vai pescar!" não é para ser levado ao pé da letra, aprenda a usá-la com sabedoria. Aprenda a lidar com seu estresse, se coloque no lugar de sua companheira ou no lugar das crianças, imagine como todos estes personagens importantes de sua vida estão recebendo a mensagem que está tentando passar sem ao menos perceber. Como disse no parágrafo anterior, você será o espelho de suas crianças, se elas virem você gritando com alguém, brigando com sua esposa na frente delas, elas poderão fazê-lo no futuro sem ao menos imaginar o quão feio isto é.

E, por último, mas não menos importante, nunca, mas nunca mesmo, minta para sua companheira. Ela é seu alicerce e o oposto deve ser verdadeiro. Se ela não puder te ajudar, com certeza te ajudará a encontrar ajuda, mas é claro que você deve saber aceitar essa ajuda. Não sinta-se pequeno por precisar de ajuda, o que mais importa é melhorar para poder crescer. Muitas vidas dependem de você por um bom tempo, então, acorde para a vida e comece a refletir melhor sobre todas as oportunidades que está perdendo sendo quem você é.

2 comentários:

  1. Engraçado, esse texto me deixou desconcertada, afinal essa coisa de filhos, ser esposa, não estava passando pela minha cabeça, até o assunto casamento aparecer na minha vida. Quanto mais agora que existe a tal "da minha casa" e fico pensando olhando para aquele apartamento vazio, o quanto eu seria uma péssima esposa. Vamos ver... Primeiro se isso vai dar certo, ainda tem tantos caminhos que meu destino não percorreu.

    Mesmo estando longe é incrível como eu percebo as mudanças no seu modo de escrever está mais suave, ou talvez seja a minha saudade imensa de te ler! Eu poderia comentar diversas coisas sobre esse texto, mas na verdade eu só comentei mesmo, porque eu consegui uma folga da vida e preferi aproveitar aqui, onde ainda é o meu lugar favorito e por que eu queria mesmo é saber como você está? E se gostou da minha cidade "agitadíssima"?

    P.S. Eu li esse e outros, e querido Yama, venha pra Praia Grande para sempre e deixe folhetins com várias histórias na minha porta.

    Beijos escritor favorito.

    ResponderExcluir
  2. É, eu já pensei em casamento, filhas, um cachorro, plantar uma árvore... Infelizmente, ou talvez felizmente, meu namoro terminou antes de chegarmos nesse ponto. Mas conversei muito com pelo menos duas ex-namoradas.

    Eu perdi, Juh! Perdi aquilo que alguns chamavam de arrogância, que outros chamavam de gênio forte. Ultimamente, não me reconheço mais, não sei mais quem sou, talvez eu tenha sido abduzido e esteja sendo controlado remotamente por alguma civilização alienígena. rs

    Esse tipo de texto, normalmente, teria escrito com um pouco mais de raiva. Na verdade, não bem raiva, talvez insatisfação por algumas coisas que vejo na vida. Mas é como você mesmo disse, estou bem mais suave.

    Fico tão feliz em saber que "desperdiça" seu pouco tempo para ler este blog. Acho que você é a leitora que mais acompanhou o blog desde que ele nasceu em 2009. Muitas pessoas acompanharam mas nenhuma ficou tanto tempo, é sério.

    Estou razoavelmente bem, na verdade, desde quarta (25/09), me sinto melhor. Acho que estou mais feliz, consegui voltar a dormir tranquilo, dormir de verdade. Só para te posicionar sobre minha vida, pedi demissão no dia mencionado.

    Sobre sua cidade, depois de 16 anos sem ir para praia, foi uma experiência bem interessante. Talvez meus sobrinhos, cunhadas, irmãos e amigo tenham transformado essa experiência em algo excepcional. Gostei muito daí, principalmente porque peguei um final de semana que estava tudo tranquilo. Não vi a praia lotada e isso me fez até ter vontade de voltar. rs

    Essa história de deixar folhetins em sua porta, me deu preguiça só de pensar. rs rs rs

    Beijão

    ResponderExcluir