Nunca mais mexo na moto

Vamos trocar o óleo? É, está na hora, na realidade, já ultrapassei o meu marco normal. Bem, terça de manhã resolverei isso e já marco logo a maldita inspeção veicular, claro que não deveria reclamar, afinal de contas é algo para preservar os pulmões e o meio ambiente, mas é extremamente irritante. Principalmente para um perdido no trânsito como eu, que não conhece nem um milésimo dessa cidade.
Mas vamos lá, vamos do início, comecemos no básico, vamos trocar o óleo. A ignição funcionou normal, como sempre, vamos ao pior lugar do mundo para trocar óleo, mas para isso eles servem. Óleo trocado, ligue a moto para "subir" o óleo, partida normal novamente. Vamos pagar? Putz, a máquina está sem linha, encaixe a linha telefônica. Putz novamente, não conseguiu comunicar com a base. Não prefere sacar a grana? Pode ir com a moto, eu espero. Nossa, confiar em alguém que mal conhecemos, é coisa que não existe mais.
Vou em um pulo e voltarei em outro. Parei a moto no estacionamento do mercado, caixa eletrônico, grana para pagar diversas coisas, inclusive a troca de óleo, sento novamente na moto, vamos dar a partida e... PAM! Caralho, a moto ligou normal até agora a pouco, por que isso agora? Mas que zica dos infernos, putz, pela queda na iluminação do "indicador de neutro", a bateria arriou novamente, putz, fodeu tudo.
Tranco, novamente tranco, que tristeza, odeio esse tipo de coisa, principalmente quando me contaram que sai caro a brincadeira quando fode não sei lá o que, moto com injeção é bom ou ruim afinal de contas? Bom, foda-se, preciso voltar para pegar minha mochila e pagar a mulher que trocou o óleo, segunda tentativa, vacilada, primeira engatada e pronto, a moto ligou. Acho que moí o motor nessa mas ela ligou novamente. Vamos descer rapidinho, mostrou para o marido da dona da loja, diagnóstico básico, é a bateria, como já havia imaginado.
Conversa vai, conversa vem, a bateria custa R$ 120, trocada! Nossa, fiquei abismado, não acreditei no que acabara de ouvir. Desencanei, inventei que pegaria dinheiro e voltaria amanhã, no entanto, já fui imaginando que levaria na concessionária. Ligo para concessionária, preço da bateria instalada, R$ 274. Hum... Que diferença um tanto quanto gritante, não? Desencano de sair com a moto, desligo o micro e vou trabalhar. Uma última tentativa, a moto deu partida, bom, vamos arriscar. Parei a moto no estacionamento.
Sai às 20:21h, pela primeira vez nesse ano, torci para algo dar certo, mas torci com vontade. Sentei na moto, só faltou eu começar a orar ou rezar. Apertei o botão para ligar a moto, coloquei a chave no contato, luz verde, luz laranja, pronto, apagou, pronto para partida. Sorte, a moto pegou novamente. Caralho, será que amanhã será diferente? Bom, se essa merda aguentar até o sábado, no sábado compro a bateria e resolvo. Dia do caralho, pelo menos consegui ir e voltar com a motoca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário