Aguardo ansiosamente sua chegada

Estou a sua espera!Querida morte, estou lhe escrevendo porque já cansei dessa vida e aguardo ansiosamente sua chegada. Estou cumprindo direitinho minha parte ingerindo cada vez mais nicotina para obter um câncer de pulmão e garantir meu convite de Vsa. Senhoria.
Cansei de filhos da puta, cansei das desgraças do mundo e também não aguento mais um filho da puta que mexe em minhas coisas e não consegue deixar tudo onde estava e da maneira que estava.
Não quero mais trabalhar, já estou cansado disso. Não quero mais ter que conviver com pessoas, não nasci para isso. Eu odeio tudo e todos, por que ainda tenho que ficar nesse mundo maldito?
Não consigo e também nem tenho mais vontade de acordar, seja cedo ou tarde, me dá preguiça só de pensar em sair de casa. Todos os dias não tenho mais vontade de bater nas pessoas, tenho vontade de matá-las, cada vez que acontece algo que me desagrada consigo imaginar pelo menos 3 maneiras de como matá-las, fazendo-as sofrer muito. O mais interessante é que consigo pensar nessas maneiras em 10 segundos. Não sei como não quebrei minha mão hoje, dei tanto soco para tentar fazer a raiva passar que mal consigo dobrar meu mindinho e meu anelar. Não imagino o motivo pelo qual meu guarda-roupa ainda está de pé, as portas não fecham mais como antes, mas ele ainda parece um guarda-roupa.
Todos meus pensamentos estão tomados pelo ódio nesse momento, mas um ódio muito maior que o que veio comigo do trabalho. Se tivesse uma arma nesse momento, acho que teria disparados alguns projéteis com toda certeza do mundo. Como comentei com minha cunhada essa semana, sou igual meu irmão mais novo, talvez um pouco pior apesar dela achar o contrário. E querem saber o por que de toda essa raiva nesse momento? Por causa de um grampo de cabelo. Para muitos pode ser simples, para outros besteira total, pra mim é o simples fato que nem mesmo um palito de fósforo queimado, que seja meu, não deve ser retirado do local onde está, é meu, foda-se que está queimado, é meu e não quero que ninguém mexa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário