Como não testar um sistema

Se fosse um estagiário...Sinceramente, como disse no Twitter, eu não ia escrever este post, mas estou com problemas muito sérios. Essa semana, por um acaso da vida ou não, foi a pior semana do ano. Agora, o mais engraçado, o ano mal começou e já vejo catástrofes imperdoáveis acontecendo.
Essas coisas muito me preocupam, normalmente, quando o final do ano se aproximava, eu começava a ter problemas para trabalhar, ficava extremamente estressado e aquelas coisas todas de fim de ano, mas assim que virava o ano, eu me renovava, era algo engraçado, porque parecia que tudo havia sido apagado e iniciava o ano bem.
Vejo isso acontecer com muitas pessoas mas esse ano vejo algo diferente, parece que a cada novo dia deste ano as coisas só pioram. É engraçado, mas é muito engraçado mesmo. Imaginem vocês, que depois de 2 meses, fui descobrir que um projeto que teoricamente estava funcionando, não funciona. É, por incrível que pareça, por mais inacreditável que seja, aconteceu. Três pessoas diferentes testaram o negócio, encontraram um probleminha, repassamos, foi corrigido e em novos testes nada fora constatado. De repente, depois de mais de um mês, alguém me lembrou desse projeto, pergunto aos outros que testaram, por qual motivo este projeto ainda não havia sido entregue ao cliente, me respondem que haviam encontrado um pequeno problema, no entanto, até aquele momento não havia recebido nenhum e-mail informando sobre o fato.
Engraçado, já havia passado um mês, encontraram um problema e eu nem fiquei sabendo sobre o tal problema. Depois de tanto tempo, resolveram testar novamente para encontrarem novamente o problema, nem mesmo o e-mail deve ter sido encontrado, porque se foi necessário re-testar o projeto, é porque ninguém sabia qual era o problema de um mês atrás. Até aí, tudo bem, já estava tudo atrasado mesmo, um dia a mais ou a menos, não importaria, a merda já estava feita mesmo, vamos assumir e tocar para frente. Assim que o problema chega na mão do desenvolvimento, me lembrei que não havíamos implementado na época a mudança em algumas telas. Primeiro passo, vamos implementar, passo para meu colaborador cumprir a árdua missão de utilizar os complicadíssimos "CTRL + C" e CTRL + V", pois bem, o tempo de duração seria uma média de 2 horas para quem conhecesse bem e para quem conhecesse mais ou menos o projeto uns 2 dias, imaginei que meu colaborador conseguiria cumprir a árdua tarefa em 2 dias.
Passaram-se os 2 dias, cobranças, ouço somente a palavra "problema". Mais um tempo se passou, pergunto se teríamos ou não o projeto terminado, mais alguns dias. Depois desses mais alguns dias, novamente questiono porque não tenho o projeto em mãos para entrega e ouço novamente "problemas". Cheguei a pensar que ele estava mexendo com um monte de merda, porque cada vez que ele mexia fedia mais a merda. Tentei imaginar um possível motivo que satisfizesse minhas inquietudes, eis que me deparo com um novo prazo. Mais de uma semana depois, incrível, eram apenas 2 dias, mais "problemas". Cheguei a pensar que quem desenvolveu inicialmente não fez absolutamente nada, porque meu colaborador estava fazendo novamente o projeto pelo tempo que levava para implementar em outras telas. Cheguei mesmo a pensar que nada havia sido feito, porque não é possível demorar tanto para copiar e colar um código pronto e fazer uma pequena adaptação para cada tela.
Pois é, em um determinado ponto, descobri que de fato algumas coisas não funcionavam como esperado, não que quem desenvolveu não tenha feito, mas algumas coisas que foram com seu funcionamento "OK", na realidade não estavam funcionando. Fiquei tentando imaginar como isso passou desapercebido por 3 diferentes pessoas que testaram o negócio ali dentro da empresa. Era algo tão simples que no primeiro teste seria possível encontrar o problema. Engraçado é que na época que passei para que fosse testado, pelo menos para meu colaborador, ele me lembrou que cheguei até mesmo a explicar as coisas, no entanto, na hora de testar, testou como se as configurações devessem ser feitas da maneira antiga. Engraçado, quando digo que estou criando tipos, de qualquer coisa que seja, devo usar os tipos "novos" ou os "velhos" para testar? Eu acredito que qualquer pessoa pensaria nos "novos", ele disse que entendeu que eram "novos", mas o mais engraçado é que testou com os "velhos".
Estou me perguntando desde ontem de tarde o porque disso ter acontecido, como foi possível testar todas as modificações da forma antiga se o que queríamos era exatamente a nova forma. Queríamos que algo que era totalmente indefinido, fosse algo definido, tivesse um tipo próprio e não um tipo genérico mas o cara resolve testar como se fosse genérico? Por que? Por que? Por que? Você conseguiriam pegar 1/4 do seu salário e queimá-lo? Pois bem, essa façanha foi feita...

Nenhum comentário:

Postar um comentário