As coisas mudam

Saudades de ti...Ultimamente tenho sonhado muito com meu pai, muitos sonhos que acordo e não me lembro, mas tenho flashs das coisas que sonhei. Comentei com minha cunhada que talvez ele quisesse me dizer algo, mas falei brincando e ela me disse para ir em um centro para ver se realmente ele está tentando se comunicar, como não acredito em nada dessas coisas, acabei não encanando e não quis seguir seus conselhos.
Mas vim aqui para falar de outra coisa, hoje quando fomos pedir pizza, lembrei que meu pai praticamente não pediu nada em delivery, normalmente ele ia buscar comida nos finais de semana. Não tenho lembrança de termos saído em família para comermos mas ele sempre trazia coisas legais para comer aos domingos. Se não era churrasco, poderia ser comida chinesa, mas a pizza sempre era tradicional nas noites de domingo, pelo menos até uma pizzaria chamada Carluccio fechar. Na realidade, lembro da pronúncia mas não lembro bem da escrita, mas acho que era assim que se escrevia.
Legal era quando ele trazia massas de uma rotisserie bem próxima daqui, naquela época já era meio careira, hoje em dia eu nem pensaria em comprar uma bala lá. Mas era muito bom aquela coisa do almoço de domingo, a união da família em um dos dias da semana, porque apesar de comermos praticamente todos os dias juntos, acho que o almoço aos domingos é o mais tradicional para todas as famílias.
Claro que em um determinado momento da vida, essa tradição foi quebrada, afinal de contas, quando os filhos crescem eles "abandonam" seus pais. É namoro, amigos ou qualquer outra coisa que nos faz sumir aos finais de semana. Não tem jeito, infelizmente ou felizmente, sempre queremos viver "nossas" vidas. É engraçado sentir falta desse tipo de coisa depois de velho, por que nunca aproveitamos quando podemos ter todas as oportunidades do mundo? Porque somos filhos, o convívio diário e incessante com a família nos faz querer distância. Existem também o fator rebeldia que adquirimos na adolescência, aquela coisa de moleque, que faz parte do nosso crescimento.
Ainda fico curioso em saber como seriam as coisas hoje em dia, com meu sobrinho principalmente, já que ele não teve tempo de ver um netinho nascer. Como seriam os almoços em família nos finais de semana? Será que ele se adaptaria ao "novo mundo" e teria um computador e um sistema para trabalhar com seus clientes? Será que ele teria se aposentado e iria pescar todos os dias ao invés de ir somente aos finais de semana? Será que ele ainda estaria casado com minha mãe? Será que ainda estaríamos morando no mesmo lugar? Será que a vida seria mais fácil? Será que os dias seriam melhores? É, são dúvidas que nunca conseguirei responder...
Escrito na casa de minha querida cunhada ouvindo apenas os sons das fichas no Poker Stars.

Nenhum comentário:

Postar um comentário