Bons tempos

Saudades dos tempos como músico.
Se houveram dias de glória e real felicidade em minha vida, foram aqueles em que empunhava uma guitarra, em algum palco pequeno, perdido em alguma casa de rock na cidade São Paulo. Sim, um dia tive uma banda e tocamos em algumas casas pequenas, na maioria das vezes participando de algum festival de música mas era algo sempre bom. Dedicava muitas horas de minha semana para treinar e treinar, talvez isso tenha matado um pouco a vontade de manter a diversão.
Claro, houveram diversos contra tempos, do nada o vocalista desapareceu do mapa e com o passar do tempo fui perdendo o tesão em tocar, na realidade, acho que queria em outras coisas e ao mesmo tempo queria tocar mas não queria ter que me dedicar tanto a "brincadeira". Um dos grandes motivos que talvez tenha sido o responsável pela minha desistência era essa dedicação extrema que a música exercia sobre minha pessoa. Nunca encarei como um simples hobby, depois de quase 8 anos sem tocar, aceitei o convite do meu grande amigo mas levei a sério desde o primeiro ensaio. Como eu brincava com a galera, para mim, a banda era como uma empresa, se não levarmos a sério, para que nos encontrarmos todo sábado para ensaiar?
Era tanta dedicação que chegou uma hora que a diversão se tornara obrigação e quando seu hobby é transformado nisso, provavelmente você não será muito feliz com isso. Claro, querendo ou não, para ter uma banda legal, com músicos bacanas, fazendo apresentações com o mínimo de erros possíveis, é necessário treino e mais treino, mas também temos que viver outras coisas na vida.
Desde que parei de tocar na banda, tenho pensando em comprar um violão. Já tive um Yamaha super bacana que acabei vendendo para um amigo por falta de grana. Me arrependo bastante dessa façanha, mas na época parecia algo viável e aceitável. Desde 2008 vejo uns violões, depois logo desisto, porque os preços impraticáveis dessa cidade me deixam um tanto desconsolado em adquirir um violão que supere minhas expectativas. Claro, que não procuro algo muito top, mas algo que não me deixe indignado por não possuir uma qualidade que espero de um instrumento. Mas ontem, na Teodoro Sampaio, fiquei meio triste porque já sabia que não encontraria algo com a qualidade e preço que gostaria, por essa razão nem olhei muitos violões. Também o fato de querer especificamente um Yamaha, torna a busca um pouco mais complicada. A falta de variedade no mercado nacional me deixa triste, mas existem outras marcas bacanas que possuem um número maior de modelos e preços. Claro que não encontrarei nada muito fora dos padrões de preços que vejo pela internet.

4 comentários:

  1. Pois é cara, às vezes o momento nos faz tomar certas decisões, que no futuro nos arrependemos. Já se é tarde, mas algumas vezes conseguimos recuperar algum pouco daquela sensação, daquele sonho deixado para trás...

    Violão, acho que dá pra procurar um de 2° mão, pode não ser a mesma coisa, mas melhor que isso é importando...

    ResponderExcluir
  2. É véio, tem algumas coisas bobinhas de que me arrependo muito mas sou feliz por não me arrepender das realmente grandiosas. rs rs rs
    Uma hora resolvo esse lance do violão, basta encontrar um emprego novo, com um salário digno que quito minhas dívidas.
    Mas para quebrar um galho, acho que vou arrumar a minha guitarra mesmo. rs rs rs

    ResponderExcluir
  3. Aeeeeeee, quando estiver tocando uma guitta, manda o som para eu ouvir (te contei que eu sou letrista, componho musicas)Sabe do que eu sinto falta ,dos bares de garagenm que tocavam punk rock de qualidade, agora só vejo esses caras de calça verde fluorescente fazendo merda com a guitarra!! Boa sorte Yama, bjão

    ResponderExcluir
  4. Sim, lembro bem disso querida! Quanto tempo hein? rs rs rs Espero voltar a tocar, vai levar um tempo, estou parado desde 2007, acho que nem sei mais segurar a guitarra! rs rs rs
    Mas nunca fiz um som que me deixasse feliz, mas tentarei fazer um. E realmente, é difícil encontrar bandas bacanas ultimamente. rs rs rs
    Beijão

    ResponderExcluir