Fiz novamente.

Regras.

Cagadas, acontecem o tempo todo, normalmente tento evitá-las ao máximo mas em determinados momentos serão inevitáveis. Mas é como digo: e se fosse algo que não tem volta? Como por exemplo, dar um tiro na sua mãe, brincando, "achando" que a arma estava descarrega, o que fazer? É como os casos que uso de exemplo no trabalho, casos de médicos, atiradores de elite, brincadeira bobas com arma de fogo...

Há um tempo atrás, por falta de opção, fiz uma manobra arrisca no computador de um cliente e perdi 90 Gb de informações, tudo isso porque não tinha onde fazer backup. Cagada? Sim, totalmente e completamente minha. Fiz algo que nunca havia feito e não esperava tal resultado.

Dessa vez fiz algo semelhante, mas para sentir a diferença, fiz com informações minhas. Sim, consegui perder algo que nunca perdi em mais de 10 anos de carreira. Trabalhos feitos por minhas mãos e minha mente, coisas que utilizo no cotidiano há mais de 10 anos se perderam por causa de um número digitado incorretamente. Foi o típico exemplo que cito do atirador de elite, errou por alguns milímetros e acertou a refém no lugar do bandido. Legal, não?

Fui formatar um pendrive utilizando o "diskpart" e infelizmente consegui selecionar meus HD que vale mais que seiscentas e sessenta e seis barras de ouro de 1kg. Não sei como consegui tal façanha, já que para selecionar o pendrive precisava digitar 5 e digitei 1. Como isso é possível? Sono? Falta de atenção? Sendo mais que honesto, não havia nenhum motivo para errar e consegui. Me sinto um lixo, principalmente pelo erro em si, mas o que mais dói foi perder as informações. Doze anos de trabalho, material de estudo, apostilas que criei, entre outras coisas que não tenho como baixar em qualquer site, isso sim dói pra caralho perder.

Estraguei meu final de semana prolongado na quinta, quando aceitei um netbook para formatar. É uma amiga de infância, então pra não ser tão chato, peguei para ajudá-la. A princípio, a minha ideia era um simples não, como faço normalmente. Há pelo menos três ou quatro anos decidi que não arrumaria computador pra ninguém, porque além do trabalho em si, traz apenas dores de cabeça.

Agora compreendo porque Dexter segue rigorosamente as regras que o pai dele passou, para evitar merdas no futuro. Criei esse lance de não mexer mais em computadores alheios meio como uma regra para todos, porque não queria ser "injusto" e arrumar pra um e não pra outro. Para parecer um amigo legal, que não considera um mais que outro. Se tivesse prosseguido com minha regra, não teria feito a merda que fiz.

E para o primeiro filho da puta que comentar sobre backup, nunca faço backup porque troco o HD de tempos em tempos para evitar a perda de dados. E só utilizo HDs de extrema confiança, faço diversos testes antes de utilizá-lo com meus dados importantes. E só parei de fazer backup porque fazia sempre em mídias graváveis, os famosos cds virgem, diversos em dvds, e quando precisei, mesmo guardados com todo cuidado do mundo, não conseguia lê-los.

Mais uma lição pra vida...

2 comentários:

  1. Bicho, que barra, cara, tenebroso, só para contar uma coisa que me deixou maluco há muitos anos, pelos idos de 1995, comecei a escrever o livro que não tinha nome ainda que depois descobri que se chamaria "As Aventuras de Catherine" vou fazer um vídeo sobre isto mais tarde. Então eu tinha um caderno onde eu escrevia a história e também escrevia as coisas que aprendia no meu curso de informática da época, então eu tinha uma amiga de ônibus que me pediu para que eu emprestasse para ela o meu caderno de informática do curso que eu já havia acabado, eu prontamente atendi o pedido pois eu a encontrava sempre no mesmo horário dentro do ônibus o problema foi que eu emprestei o caderno e não me lembrei que tinha 3 capítulos escritos do livro "os originais", fiquei sem ver esta amiga por 3 meses porque ela mudou o horário de trabalho, na época eu não tinha nem telefone fixo e não sabia onde ela morava, sequer sabia seu sobrenome, cagada homérica, pensei perdi o maior trabalho da minha vida, na ocasião pensei tanto dificuldade para escrever aqueles 3 capítulos e tudo perdido. Então quando eu a encontrei rolou um mal entendido porque eu a abracei como se tivesse encontrado minha namorada tamanha a felicidade de recuperar os escritos e comecei a tomar mais cuidado com o livro. Sempre fui muito cru em informática apesar dos cursos e tudo o mais, 3 anos mais tarde eu tinha uma única cópia em um disquete que corrompeu e pela segunda vez morri de medo de perder 4 anos de trabalho de um livro que talvez não fosse publicado, então uma alma divina me disse mude a extensão e talvez você consiga copiar e colar no word e aasim recuperei o meu livro qeu foi publciado em 2000. Eu sei que a história não é a mesma, mais o grau de desespero é muito parecido, porque a minha vida era o meu escrito o meu único orgulho, se eu o tivesse perdido teria ficado maluco, entendo a sua dor e me solidarizo por isto, espero que consiga superar o seu erro. Grande Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Será bem complexo superar o que fiz mas vamos prosseguir de alguma maneira. rs rs rs

    ResponderExcluir