Onde está a produtividade?

Criatividade.

Quero fazer tanta coisa ao mesmo tempo que nem sei por onde começar. Primeiramente, preciso editar e escrever um post, qual faço primeiro? Sinceramente, não sei sobre o que escrever, o vídeo basta editar, mas se não escrever, não terei como programar o post pra amanhã. Isso é algo que admiro em muitos blogueiros, principalmente aqueles que postam algo todos os dias, de onde vem tanta criatividade?

Sei que muitos provavelmente virão com fórmulas quase mágicas para explicar como é possível tirar alguma inspiração para fazer algo criativo, mas a questão é que a sua fórmula pode funcionar com você e não comigo. Da mesma forma que duas pessoas que fumam a mesma quantidade de cigarros podem ou não desenvolver um câncer no mesmo prazo. Diga-se por passagem, um deles pode fumar até morrer e não ter nenhuma complicação respiratória.

Mas, voltando a um assunto mais que ultrapassado, ainda vejo como grande problema a perda do foco. O início de tudo foi o estresse, a criação do blog, a motivação era o estresse. E hoje? O que tenho? Não tenho mais estresse como antigamente, não me sinto mais tão puto da vida e não tenho sobre o que escrever. Escrevo alguns contos de amor, se é que podemos chamá-los assim, posto meus vídeos, alguma coisa sobre House e humor, mas o que escrever quando não tenho nada fixo para determinados dias da semana?

"Simples, escreva um texto sobre a falta de criatividade". Ah, mas quantos textos assim já escrevi? Diversos, ninguém quer saber se você está ou não em uma fase onde a criatividade é quase nula, todos querem ler algo novo. Aliás, nesse blog, quase ninguém quer ler porra nenhuma. Mas é interessante eu ter vontade de prosseguir escrevendo, mesmo sabendo que não ganharei nada com isso, nem mesmo leitores que acompanhem esse blog diariamente. Sejamos justos, uma meia dúzia de gatos pingados acompanham diariamente, isso é o que diz as estatísticas do blogger.

Já não tenho muito sobre o que escrever, não tenho muito sobre o que falar, acho que está na hora de reincidir esse contrato com o mundo virtual e voltar a ser um mero espectador. A vida era mais simples, não tinha preocupações e nem compromisso de postar diariamente, mas também não me expressava, raramente dava minha opinião sobre algo. É, tempos bacanas...

Nenhum comentário:

Postar um comentário