Desequilibrado.

Equilibrium.

Enquanto a tranquilidade retoma seu lugar, um espírito guerreiro começa a ressurgir das cinzas e a imensa vontade de fazer tudo volta a florescer. Tudo ou nada; oito ou oitenta. Essa é uma questão muito complexa e ruim de lidar, principalmente quando você não tem paz de espírito. Essa insana busca por fazer tudo e quando não se tem vontade, não se faz nada. Por que não pode haver um equilíbrio?

Essa sensação de torpor dominando em certos momento me deixa angustiado. Sinto vontade de fazer tudo e nada ao mesmo tempo, sinto que preciso buscar novos horizontes novamente. Para onde devo ir dessa vez? Vou me embrenhar no submundo do meu subconsciente e buscar de volta meu espírito de vez. Essa demora para ressurgimento da ousadia e a luta constante contra o tempo está me matando.

Toda semana estou diferente, nem me reconheço mais perante o espelho; apesar da fisionomia ser a mesma de sempre, por trás dos olhos escuros noto um semblante completamente diferente de tudo que já fui até aqui. Talvez alguma força obscura tenha tomado meu corpo emprestado ou tenha vindo morar nele. Há algo estranho, com certeza, há algo errado.

Será que sou esquizofrênico e nunca percebi? Duvidoso, um pensamento realmente improvável, já que é de fácil percepção. Pelo menos, até onde li sobre isso, é fácil notar essas coisas. Talvez esteja fazendo coisas demais, talvez de menos, quem sabe? Em breve combateremos esse mal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário