Humor e não lembro o quê.


Para quem não me conhece, eu sou o Yama.
Para que me conhece, eu também sou o Yama.

A primeira vez que vi essa "piada" foi com o aparentemente simpático, Marcelo Mansfield. Achei graça a primeira vez que ouvi, a segunda, a terceira... Bom, tudo bem, é o modo que ele criou para começar sua apresentação e quem sou eu para julgar alguém tão grandioso como ele. Mas o meu problema não é com ele, mas com aqueles que resolveram usar a mesma entrada. É, talvez ele nem tenha sido o criador dessa "sacada genial", mas o vi fazer primeiro.

Comprei o livro do Danilo Gentili, A vida e outros detalhes insignificantes, e ele fez a mesma introdução. OK. Comentei com um amigo: Pô, esse lance de se apresentar falando assim, assim, assado, cansou, não acha? Ele só respondeu com uma risadinha. Lembrei de algumas pessoas na internet, aqueles que possuem um vlogger de humor, e muitos já fizeram isso também. Ainda me pergunto por quê.

Comecei a pensar em diversos sites que ganham dinheiro com humor, não, eles não tem essa apresentação no famoso "Quem sou eu?", não é essa a questão. Pensei em como eles ganham dinheiro fazendo humor com coisas alheias. Seja uma foto ou algum vídeo engraçado de terceiros, claro, eles não dizem que o material é próprio, mas o ponto que quero ressaltar é que são poucos que produzem material quando pensamos em sites. Um ou outro, cria um excelente texto de humor, mas a grande maioria...

Mas quem sou eu para criticar esses também? Nem sei fazer humor, já tentei diversas vezes e nunca consegui. Antes, quando escrevia coisas de forma séria, reclamando sobre as coisas da vida pessoal ou profissional, o que as pessoas faziam? Sim, elas davam muita risada, porque a desgraça dos outros é a piada mais engraçada da face da Terra. Um exemplo? Quando um amigo seu leva aquele tombo, o que você faz primeiro? Ajuda o cara? Mas nem fodendo, primeiro você mija de rir e depois pensa em ajudar ou levar para o hospital.

Puta que pariu, comecei este post pensando em uma coisa, falei de outra e já nem sei mais sobre o que queria falar. Aliás, falar porra nenhuma, escrever. Está legal, para escrever, primeiro preciso aprender, desculpem. Mas, voltando ao assunto perdido, é... Realmente não lembro sobre o que queria escrever, mas era alguma reclamação, para variar, porque dizem que a única coisa que sei fazer é reclamar. Mas acho que alguns já notaram que nem isso eu consigo fazer ultimamente. Pronto, vou reclamar que não consigo reclamar.

Qualquer hora vou reclamar da Vivo, depois da Saraiva que amo tanto, não estou sendo irônico; e finalmente reclamarei da NET. Sobre o último, como farei alguns cancelamentos, possivelmente eu tenha assunto para um post, um vídeo e um discurso em praça pública.

Nenhum comentário:

Postar um comentário