Por todas as lágrimas...



E de repente você se pega encolhido num canto de um quarto de hotel qualquer, parecendo aquele garoto de 18 anos que perdeu o pai... Verte todas as lágrimas que não derramou por mais de uma década, simplesmente não consegue conter todas tristeza que mora em seu peito há alguns meses. Tenta pensar em outras coisas, bebe uma cerveja aqui, outra ali e mesmo assim nada tira da cabeça aquele pensamento amargo...


Tento me afundar em trabalho, era o que eu amava demais até um certo ponto. Sempre fui considerado um "workaholic", sempre fui conhecido pelos excessos na vida profissional, nunca sabia dizer se isso era bom ou ruim. Hoje em dia acho que me afogava no trabalho como uma forma de não pensar que existia um mundo lá fora e para poder evitar qualquer sentimento que me fizesse mudar o mundo por uma pessoa. Talvez meu cérebro sempre estivesse certo em me fazer evitar envolver com pessoas, todas são inconstantes, todas são involuntárias, todas fogem da minha zona de conforto.

Lidar com sentimentos não é algo fácil, se fosse ninguém sofreria neste mundo. Mas, como minha grande amiga Ferds diz: "O amor tem que ser leve.", fiquei pensando durante várias horas do dia sobre isso, refletindo profundamente, imaginando um mundo onde o que estou sentindo fosse fácil, simples e leve de se levar. Será que errei comigo mesmo? Meu subconsciente me traiu? Por que isso agora? Não temos tempo para jogos, mas isso não é um jogo, talvez esse seja o problema, é muito pior. É a variável que torna o bug maior, é aquela situação ingrata onde você nunca encontrará a solução, porque isso não depende de você.

Mas, se não depende de mim, o que posso fazer? Nada. Simplesmente é sentar e esperar o letreiro exibindo o fim do filme. É aguardar aquele tão sonhado dia em que você terá a certeza de que tudo deu certo ou não. É ser paciente e apenas continuar sonhando que um dia as cosias serão da forma como imaginou ou você pode simplesmente se atirar do oitavo andar como sempre sugeriu para nós.

Tenha em mente apenas uma coisa: você precisa continuar, mesmo esperando, você precisa se mover, seguir em frente, continuar. Não fique parado. Dê um passo pra frente, continue vivendo sua vidinha medíocre, continue fazendo seu trabalho, um dia, quando menos esperar, talvez as coisas melhorem ou você tenha um ponto final.

Chega! Eu sei o que quero, só não posso tê-lo agora, e isso me consome a alma. Não estou com pressa, mas é quê... A situação é muito ruim, dói demais pensar ou mesmo ter plena certeza de certas coisas. É horrível não saber o dia de amanhã, claro, ninguém sabe exatamente, mas podemos ter pelo menos uma pequena e ludibriada certeza. Mas acha que isso vale a pena? Não sei, não sei dizer, amigo. Apenas sei o que quero, se ter essa pequena certeza valerá de algo para acalmar a alma, tapar um pequeno pedaço do buraco que há em meu peito, não sei dizer ao certo.

Enquanto isso não acontece, vamos viver, prossiga! Você precisa voltar ao mundo, precisa continuar construindo aquela obra inacabada e apenas esperar. Segure toda essa emoção, todo esse sentimento que te consome, guarde naquele buraco profundo onde você deixou qualquer resquício daqueles sentimentos que poderiam tornar-se amor e você não deixou. Volte a ser forte, volte a pensar apenas em trabalho, volte a ser você que doerá bem menos.


XXVI.IV.MCMXCV

Um comentário:

  1. Esse texto me lembrou de uma pessoa do meu passado. A história parece se repetir no seu texto. Poderia dizer que esse texto foi lindo, mas na verdade ele me fez voltar pra minha historia do passado, engraçado que essa pessoa foi e é exatamente como essa pessoa (seja você ou não) é. Mesmo sendo um passado distante da minha vida, hoje eu e essa pessoa a gente trava uma batalha pra esquecer o passado (mesmo que outras pessoas já tenham passado e outras estão em nossas vidas), mas sem sucesso. Lendo seu texto agora, penso eu se não seria melhor que essa história não seja nem lembrada, seja completamente deletada das nossas vidas como se nunca tivéssemos nos conhecido.

    Não se pode nem elogiar como leitora, um texto que tocou no pessoal, principalmente quando toca numa ferida antiga não cicatrizada.

    Beijos.

    ResponderExcluir