Incertezas.


Não seríamos o casal mais perfeito do mundo, talvez tenhamos mais coisas incomuns do que imaginamos, mas ainda assim não consigo mais me imaginar sem você. Muitas mudanças ocorreram desde que te conheci, sou uma pessoa que não reconheço, foram mudanças para melhor, acredito.

Me importo com você muito mais do que poderia me importar com alguém, sinto sua falta como nunca senti a falta de qualquer outra pessoa. Há muito não tinha sentimentos por alguém, não dessa maneira, já amei pessoas na vida, mas nunca senti esse amor de agora. Talvez já tenha sentido algo bem próximo, mas não com tanta intensidade, não com tanto desejo, não com tanto sentimento.

Tenho muito medo do tempo que ficaremos longe, por termos empecilhos que nos separam, porque a distância será o menor dos problemas. Tenho muito medo de não conseguir te ver mais, de talvez ficarmos apenas trocando cartas ou trocando algumas palavras por meio de todas as tecnologias.

É tanta incerteza que meu sono é consumido por milhares de pensamentos, bons e ruins, que trazem alegrias e tristeza, que me fazem derramar lágrimas silenciosas durante a noite enquanto todos pensam que durmo o sono dos anjos. Sim, é duro acordar no meio da madrugada, olhar para o lado e não ver você. É difícil acordar imaginando que um dia não estaremos mais nos vendo, sorrindo, falando besteiras até às 2h da manhã, porque nada de bom acontece depois das 2h da manhã.

São tantas incertezas gerando um medo tão grande, que sinto tudo isso no peito como se meu coração fosse parar. Como se me afogasse em tanta angústia, ansiedade e milhares de outros sentimentos. Mas meu coração segue esperançoso, quem sabe seu coração decida por se entregar ao meu? Quem sabe todos os "sonhos" que dissemos se tornam realidade? Quem sabe?

Só sei que no meio de tanta incerteza, a única que tenho é de que quero ficar com você.


XXVI.IV.MCMXCV

4 comentários:

  1. Parece que com o tempo, seu modo de escrever melhorou de uma forma maravilhosa! Eu como sempre encantada com o que escreve. Já que agora sou leitora, não escrevo mais, fico ainda mais feliz que não tenha abandonado sua escrita, como eu fiz.

    Beijos! (não pare nunca!)

    ResponderExcluir
  2. Yama, te conheci no YouTube. Provavelmente eu tinha uns 16 anos. Assistia aos seus videos regularmente e desde então a vida foi se tornando uma loucura. Consequentemente, fui abandonando aos poucos os canais de YouTube que acompanhava e tantas outras coisas que adorava em função das responsabilidades que aumentavam e o tempo que reduzia.
    Ainda há pouco, estava trabalhando numa animação e dei uma daquelas pausas pra pensar no nada, esvaziar a cabeça. Veio a imagem dos seus vídeos em mente. Forcei a memória, tentei lembrar o nome, joguei no google, entrei num e-mail antigo e consegui te achar. A frustração foi ver que parou com os vídeos. Mas faz parte. hehe
    A grande coincidência (ou não tão coincidência) de tudo isso é que atualmente eu trabalho com audiovisual. Talvez você tenha sido uma boa inspiração. Hoje, sei do corre que é produzir conteúdo pra YouTube e te admiro ainda mais por isso.
    Agora vou acompanhar aqui pelo blog! :)

    ResponderExcluir
  3. Jú, sempre bom te ver por aqui, desculpe pela demora na resposta, o mês de dezembro foi um caos na vida, não estava pensando em muita coisa, estava totalmente focado em uma. =)

    Estou tentando escrever de vez em quando mas me falta inspiração, mas estamos tentando voltar bem de vez em quando. rs

    Beijão

    ResponderExcluir
  4. Stephany, seu nome não me é estranho. rs

    Fico feliz em saber que trabalha com audiovisual. Tinha uns 16 na época? Produzir conteúdo para qualquer mídia, quando não faz parte do seu trabalho é muito complicado. rs Queria voltar a brincar com isso, mas o tempo anda muito escasso mesmo.

    Beijão, espero que curta o que ver por aqui.

    ResponderExcluir